Newsletter Nº351

Newsletter Nº351
News­let­ter Nº351

Faz hoje anos que nas­cia, em 1775, o físi­co e mate­má­ti­co fran­cês André-Marie Ampè­re. Ele foi um dos fun­da­do­res da ciên­cia do elec­tro­mag­ne­tis­mo clás­si­co, a que se refe­riu como “elec­tro­di­nâ­mi­ca”. É tam­bém o inven­tor de nume­ro­sas apli­ca­ções, tais como o sole­nói­de (ter­mo por ele cunha­do) e o telé­gra­fo eléc­tri­co. Como auto­di­dac­ta, Ampè­re foi mem­bro da Aca­de­mia Fran­ce­sa de Ciên­ci­as e pro­fes­sor na Poli­téc­ni­ca de Éco­le e no Collè­ge de Fran­ce. A uni­da­de SI de medi­ção de cor­ren­te eléc­tri­ca, o ampe­re, tem o seu nome. O seu nome é tam­bém um dos 72 nomes ins­cri­tos na Tor­re Eiffel.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1899,o enge­nhei­ro japo­nês Ken­ji­ro Takaya­na­gi. Ele foi pio­nei­ro no desen­vol­vi­men­to da tele­vi­são. Ape­sar de não ter obti­do mui­to reco­nhe­ci­men­to no Oci­den­te, cons­truiu o pri­mei­ro recep­tor de tele­vi­são total­men­te elec­tró­ni­co do mun­do, e é refe­ri­do como “o pai da tele­vi­são”. Em 1925, Takaya­na­gi ini­ci­ou a inves­ti­ga­ção na tele­vi­são após ter lido sobre a nova tec­no­lo­gia numa revis­ta fran­ce­sa. Desen­vol­veu um sis­te­ma seme­lhan­te ao de John Logie Baird, uti­li­zan­do um dis­co Nip­kow para digi­ta­li­zar o sujei­to e gerar sinais eléc­tri­cos. Mas ao con­trá­rio de Baird, Takaya­na­gi deu o impor­tan­te pas­so de uti­li­zar um tubo de rai­os cató­di­cos para exi­bir o sinal rece­bi­do, desen­vol­ven­do assim o pri­mei­ro apa­re­lho de tele­vi­são “total­men­te-elec­tró­ni­co”.

Faz igual­men­te hoje anos que nas­cia, em 1930, o astro­nau­ta nor­te-ame­ri­ca­no Buzz Aldrin. Ele ficou conhe­ci­do por ter esta­be­le­ceu um recor­de de acti­vi­da­de extra-vei­cu­lar e foi o segun­do homem a pôr os pés na Lua. Como anti­go pilo­to da For­ça Aérea dos EUA na Coreia, foi um dos ter­cei­ros astro­nau­tas nome­a­dos pela NASA em Outu­bro de 1963. Em 11 de Novem­bro de 1966, foi lan­ça­do na Gemi­ni 12 com o pilo­to de coman­do James Lovell num voo de 4 dias, duran­te o qual Aldrin esta­be­le­ceu um novo recor­de de acti­vi­da­de extra-vei­cu­lar (5½ horas) fora da nave espa­ci­al. Aldrin foi o pilo­to do módu­lo lunar da Apol­lo 11, lan­ça­do a 16 de Julho de 1969. Esta foi a pri­mei­ra mis­são de ater­ra­gem lunar tri­pu­la­da, e Aldrin foi o segun­do homem a pôr os pés na Lua, (seguin­do Neil Arms­trong) a 20 de Julho de 1969, e pas­sou 2 horas e 15 minu­tos na super­fí­cie lunar.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1931, o físi­co nor­te-ame­ri­ca­no David M. Lee. Ele, com Robert C. Richard­son e Dou­glas D. Oshe­roff, rece­beu em 1996 o Pré­mio Nobel da Físi­ca de 1996 pela sua des­co­ber­ta con­jun­ta em 1972 de super­flui­da­de no raro isó­to­po hélio‑3. Tra­ba­lhan­do no labo­ra­tó­rio de bai­xa tem­pe­ra­tu­ra da Uni­ver­si­da­de de Cor­nell, cons­truí­ram os seus pró­pri­os apa­re­lhos para redu­zir a tem­pe­ra­tu­ra para cer­ca de 0,002K. Este era subs­tan­ci­al­men­te infe­ri­or a cer­ca de 2K, no qual o hélio‑4 do isó­to­po comum se tor­na um super­flui­do, como obser­va­do por Pjo­tr Kapit­sa no final da déca­da de 1930. Mas He‑3 teve de ser redu­zi­do em tem­pe­ra­tu­ra para qua­se zero abso­lu­to antes de se tor­nar super­flui­do, e capaz de fluir sem resis­tên­cia, mes­mo para esca­lar as pare­des dos reci­pi­en­tes e fluir para o exte­ri­or. Os áto­mos tinham, até esse pon­to, movi­do com velo­ci­da­des e direc­ções ale­a­tó­ri­as. Mas como super­flui­dos, os áto­mos movi­men­tam-se então de for­ma coordenada.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sas noti­ci­as, arti­gos cien­tí­fi­cos, pro­je­tos de maker e alguns víde­os interessantes.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº350

Newsletter Nº350
News­let­ter Nº350

Faz hoje anos que, em 1864, físi­co ale­mão Wilhelm Wien. Ele rece­beu o Pré­mio Nobel da Físi­ca em 1911 pela sua lei de des­lo­ca­men­to rela­ti­va à radi­a­ção emi­ti­da pelo cor­po negro per­fei­ta­men­te efi­ci­en­te (uma super­fí­cie que absor­ve toda a ener­gia radi­an­te que cai sobre ele). Ao estu­dar os flu­xos de gás ioni­za­do Wien, em 1898, iden­ti­fi­cou uma par­tí­cu­la posi­ti­va igual em mas­sa ao áto­mo de hidro­gé­nio. Wien, com este tra­ba­lho, lan­çou as bases da espec­tros­co­pia de mas­sa. J. J. Thom­son refi­nou o apa­re­lho de Vie­na e rea­li­zou novas expe­ri­ên­ci­as em 1913, depois, após o tra­ba­lho de Ernest Ruther­ford em 1919, a par­tí­cu­la de Vie­na foi acei­te e bap­ti­za­da com o nome de pro­tão. Wien tam­bém fez impor­tan­tes con­tri­bui­ções para o estu­do dos rai­os cató­di­cos, rai­os X e rai­os de canal.

O nas­ci­men­to da radi­o­di­fu­são públi­ca é atri­buí­do a Lee de Forest, que trans­mi­tiu a pri­mei­ra emis­são públi­ca mun­di­al em Nova Ior­que a 13 de Janei­ro de 1910. Esta emis­são apre­sen­ta­va as vozes de Enri­co Caru­so e de outras estre­las da Ópe­ra Metro­po­li­ta­na. Mem­bros do públi­co e da impren­sa uti­li­za­ram aus­cul­ta­do­res para ouvir a emis­são em vári­os locais de toda a cida­de. Isto mar­cou o iní­cio do que viria a ser uma comu­ni­ca­ção rádio sem fios qua­se universal.

Nes­ta sema­na que pas­sou foi lan­ça­do o Ker­nel de Linux 5.16. A gran­de novi­da­de des­ta ver­são é a intro­du­ção de uma nova sys­tem call cha­ma­da FUTEX2 ou futex_waitv(). Con­tri­buí­do pela Col­la­bo­ra, esta fun­ci­o­na­li­da­de pode­rá aju­dar a melho­rar a expe­ri­ên­cia de jogos nati­vos Linux mas, mais con­cre­ta­men­te, para jogos Win­dows a cor­rer via Wine. Per­mi­te que os jogos espe­rem por múl­ti­plos ‘fute­xes’ com uma úni­ca cha­ma­da de sis­te­ma, o que deve­rá aju­dar a redu­zir a uti­li­za­ção da CPU e aumen­tar o FPS para mui­tos jogos. Adi­ci­o­nal­men­te os rela­tó­ri­os de esta­bi­li­da­de dos sis­te­mas de fichei­ros (filesys­tems) rece­bem uma gran­de melho­ria com uma nova API base­a­da no fano­tify, embo­ra actu­al­men­te ape­nas supor­ta­do em sis­te­mas EXT4.
Cada actu­a­li­za­ção do Ker­nel melho­ra o supor­te grá­fi­co, e esta 5.16 não é excep­ção, ofe­re­cen­do Dis­play­Port 2.0 ao dri­ver da GPU AMD antes das pla­cas de pró­xi­ma gera­ção que o dis­tri­bu­em; mais tra­ba­lho de base para grá­fi­cos DG2/Alchemist e, rela­ci­o­na­do, supor­te ‘está­vel’ para grá­fi­cos Intel Alder Lake S (i.e. DG1). Foi adi­ci­o­na­do supor­te para as ins­tru­ções Intel AMX, assim como para os con­tro­la­do­res Joy-Con e Pro da Nin­ten­do e para o Dual­Sen­se LED em con­tro­la­do­res Plays­ta­ti­on 5. Foram fei­tas melho­ri­as ao nível do supor­te de diver­sos dis­po­si­ti­vos Micro­soft Sur­fa­ce e um novo dri­ver para o Real­tek 802.11ax. Res­ta ago­ra aguar­dar que as dis­tri­bui­ções main-stre­am peguem nes­te ker­nel e o dis­po­ni­bi­li­zem com­pi­la­do para as mesmas.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sas noti­ci­as, arti­gos cien­tí­fi­cos, pro­je­tos de maker e alguns víde­os interessantes.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº349

Newsletter Nº349
News­let­ter Nº349

Faz hoje anos que nas­cia, em 1745, o pio­nei­ro fran­cês do balão Jac­ques-Éti­en­ne Mont­gol­fi­er. Ele, com o seu irmão Joseph-Michel Mont­gol­fi­er, desen­vol­veu o balão de ar quen­te e rea­li­zou os pri­mei­ros voos desa­mar­ra­dos. Uma pri­mei­ra expe­ri­ên­cia com um balão de tafe­tá cheio de fumo quen­te foi fei­ta numa demons­tra­ção públi­ca a 5 de Junho de 1783. Seguiu-se um voo com três ani­mais como pas­sa­gei­ros a 19 de Setem­bro de 1783, exi­bi­do em Paris e tes­te­mu­nha­do pelo Rei Luís XVI. A 21 de Novem­bro de 1783, o seu balão trans­por­tou os dois pri­mei­ros homens num voo desa­mar­ra­do — o pri­mei­ro voo tri­pu­la­do de balões. Modi­fi­ca­ções do dese­nho bási­co de Mont­gol­fi­er foram incor­po­ra­das na cons­tru­ção de balões mai­o­res que, em anos pos­te­ri­o­res, leva­ram à explo­ra­ção da atmos­fe­ra supe­ri­or. Éti­en­ne tam­bém desen­vol­veu um pro­ces­so de fabri­co de vellum.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1795, o quí­mi­co fran­cês Ansel­me Payen. Ele fez impor­tan­tes con­tri­bui­ções para a quí­mi­ca indus­tri­al e des­co­briu a celu­lo­se, um cons­ti­tuin­te bási­co das célu­las vege­tais. As fábri­cas do seu pai pro­du­zi­ram vári­os pro­du­tos quí­mi­cos, e açú­car refi­na­do, pelo que Payen estu­dou ciên­cia. Em 1815, aos 20 anos, foi nome­a­do geren­te da fábri­ca do seu pai para a refi­na­ção de bórax bru­to impor­ta­do. Aí desen­vol­veu uma sín­te­se para o bórax a par­tir de soda e áci­do bóri­co e em 1820 cri­ou uma nova indús­tria que pode­ria comer­ci­a­li­zar o pro­du­to sin­té­ti­co a um ter­ço do pre­ço do bórax natu­ral refi­na­do. Em 1822, ele tinha encon­tra­do o valor do car­vão vege­tal ani­mal para cla­ri­fi­car as solu­ções de açú­car. Em 1833, Payen des­co­briu a pri­mei­ra enzi­ma, para a qual cunhou o nome de dias­ta­se. Con­ver­te ami­do em açú­car, e foi mais tar­de (1893) cha­ma­do amilase.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1925, o fabri­can­te de auto­mó­veis John DeLo­re­an. Ele geriu o desen­vol­vi­men­to de vári­os veí­cu­los ao lon­go da sua car­rei­ra, incluin­do o Pon­ti­ac GTO mus­cle car, o Pon­ti­ac Fire­bird, Pon­ti­ac Grand Prix, Che­vro­let Cosworth Vega, e por fim o DMC DeLo­re­an sports car, que foi apre­sen­ta­do no fil­me de 1985 Back to the Futu­re. Foi o che­fe de divi­são mais jovem da his­tó­ria da Gene­ral Motors, ten­do depois par­ti­do para ini­ci­ar a DeLo­re­an Motor Com­pany (DMC) em 1973. Os atra­sos na pro­du­ção sig­ni­fi­ca­ram que o pri­mei­ro car­ro da DMC não che­gou ao mer­ca­do con­su­mi­dor até 1981, quan­do um mer­ca­do de com­pras depri­mi­do foi agra­va­do por má impren­sa de crí­ti­cos e do públi­co. Após um ano, o DeLo­re­an não con­se­guiu recu­pe­rar os seus 175 milhões de dóla­res de cus­tos de inves­ti­men­to, acu­mu­lan­do car­ros não ven­di­dos, e a empre­sa esta­va em difi­cul­da­des finan­cei­ras. Foram pro­du­zi­dos cer­ca de 9000 vei­cu­los. Ape­sar de o car­ro ter uma repu­ta­ção de má qua­li­da­de de cons­tru­ção e uma expe­ri­ên­cia de con­du­ção menos satis­fa­tó­ria, o DeLo­re­an con­ti­nua a ter um for­te segui­men­to impul­si­o­na­do em par­te pela popu­la­ri­da­de dos fil­mes Back to the Futu­re. Esti­ma-se que 6.500 DeLo­re­a­nos ain­da se encon­tram na estrada.

Em 1838, o sis­te­ma tele­grá­fi­co de Samu­el Mor­se é demons­tra­do pela pri­mei­ra vez na Spe­edwell Iron Works em Mor­ris­town, Nova Jer­sey. O telé­gra­fo, um dis­po­si­ti­vo que uti­li­za­va impul­sos eléc­tri­cos para trans­mi­tir men­sa­gens codi­fi­ca­das atra­vés de um fio, aca­ba­ria por revo­lu­ci­o­nar a comu­ni­ca­ção de lon­ga dis­tân­cia, atin­gin­do o auge da sua popu­la­ri­da­de nas déca­das de 1920 e 1930.

E nes­ta pri­mei­ra edi­ção da news­let­ter de 2022 gos­ta­ria de pas­sar uma vis­ta de olhos pelo que pas­sou mais de rele­van­te nas 52 news­let­ters de 2021.

Em ter­mos de elec­tró­ni­ca DIY tive­mos o lan­ça­men­to do Rasp­ber­ry Pi Pico e da pla­ca Rasp­ber­ry Pi Zero 2 W, não esque­cen­do da ver­são 6.0 do soft­ware EDA KiCad.
O Pla­ne­ta Mar­te foi visi­ta­do por três equi­pa­men­tos lan­ça­dos pelo Homem. Os Emi­ra­dos Ára­bes Uni­dos envi­a­ram a son­da “Amal”. A Chi­na envi­ou a son­da Tianwen‑1 com o rover Zhu­rong e por fim a NASA envi­ou a son­da Mars 2020 com o rover Per­se­ve­ran­ce e o heli­cóp­te­ro Inge­nuity equi­pa­do com Linux.
A Vir­gin Galac­tic assim como a Blue Ori­gin ini­ci­a­ram as via­gens espa­ci­ais comer­ci­ais con­se­guin­do trans­por­tar até à orla exte­ri­or da atmos­fe­ra (cer­ca de 86 qui­ló­me­tros de alti­tu­de) e tra­zer de vol­ta civis à Ter­ra. Ambas dura­ram alguns minutos.
Tam­bém a Spa­ceX lan­çou do Spa­ceX Crew Dra­gon Resi­li­en­ce com qua­tro nor­te-ame­ri­ca­nos civis. Lan­ça­da aco­pla­da ao fogue­tão Fal­con 9, esta mis­são teve o nome de bap­tis­mo “Inspiration4” e é con­si­de­ra­da a pri­mei­ra mis­são espa­ci­al total­men­te civil. Esta mis­são durou 3 dias.
O final do ano de 2021 ficou ain­da mar­ca­do pelo lan­ça­men­to tão aguar­da­do do Teles­có­pio Espa­ci­al James Webb. Desen­vol­vi­do des­de 1996 pela NASA com con­tri­bui­ções da ESA e da CSA, o teles­có­pio irá fazer uma via­gem de 1.500 milhões de qui­ló­me­tros até entrar numa órbi­ta halo a vol­ta do Sol-Ter­ra (Pon­to de Lagran­ge L2) a par­tir de onde fará as observações.
A Micro­soft lan­çou o Win­dows 11, a Cano­ni­cal lan­çou os Ubun­tu 21.04 e 21.10, a RedHat lan­çou o Fedo­ra 35 e a Debi­an lan­çou o Debi­an 11 — Bus­ter. O Linux fez 30 anos em 2021.

Esta sema­na decor­re a CES 2022. A Intel lan­çou a sua 12ª gera­ção de pro­ces­sa­do­res Alder Lake . A AMD apre­sen­tou os seus novos pro­ces­sa­do­res Ryzen 6000. A Sony demons­trou o seu novo con­cei­to de SUV, o Vision‑S 02, que incor­po­ra capa­ci­da­des de ope­ra­ção remo­ta poden­do ser con­tro­la­do à dis­tân­cia atra­vés de redes 5G. A BMW apre­sen­tou em con­jun­to com a Eink um pro­to­ti­po do seu novo car­ro, o iX, que per­mi­te con­tro­lar a cor do vei­cu­lo em tem­po real alte­ran­do a apre­sen­ta­ção do mes­mo de for­ma dinâ­mi­ca entre bran­co e pre­to. O car­ro repre­sen­ta uma nova apli­ca­ção radi­cal da tec­no­lo­gia E Ink, e embo­ra alguns pos­sam vê-lo como o der­ra­dei­ro veí­cu­lo de fuga ao modi­fi­car ins­tan­ta­ne­a­men­te a sua tona­li­da­de, exis­tem algu­mas apli­ca­ções prá­ti­cas (e mais inte­res­san­tes) para um car­ro com mudan­ça de cor. A uti­li­za­ção de bran­co para reflec­tir o Sol em dias quen­tes e de pre­to em dias fri­os para reter o calor do Sol faz dife­ren­ça em ter­mos de apro­vei­ta­men­to térmico.

E nes­ta sema­na que pas­sou tam­bém rece­be­mos a noti­cia que o escu­do solar que o Teles­có­pio James Webb trans­por­ta foi aber­to com suces­so. Este escu­do de 21 metros é um mar­co fun­da­men­tal na sua pre­pa­ra­ção para ope­ra­ções cien­tí­fi­cas. O escu­do solar — do tama­nho apro­xi­ma­do de um cam­po de ténis em tama­nho real — foi dobra­do para caber den­tro da área de car­ga útil de do fogue­tão Ari­a­nes­pa­ce Ari­a­ne 5 antes do lan­ça­men­to. A equi­pa Webb come­çou a implan­tar remo­ta­men­te o escu­do do Sol 28 de Dezem­bro de 2021, três dias após o lançamento.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sas noti­ci­as, arti­gos cien­tí­fi­cos, alguns mode­los 3D, pro­je­tos de maker e alguns víde­os inte­res­san­tes. É apre­sen­ta­do o livro de pinouts cri­a­do para desig­ners e enge­nhei­ros como uma refe­rên­cia rápi­da para recor­dar as dife­ren­tes fun­ções de pinout nos seus pro­jec­tos electrónicos.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº348

Newsletter Nº348
News­let­ter Nº348

Faz hoje anos que nas­cia, em 1934, o astro­fí­si­co nor­te-ame­ri­ca­no John N. Bah­call. Ele foi pio­nei­ro no desen­vol­vi­men­to da astro­fí­si­ca dos neu­tri­nos no iní­cio da déca­da de 1960. Ele teo­ri­zou que os neu­tri­nos (par­tí­cu­las suba­tó­mi­cas que não têm car­ga e inte­rac­ção exces­si­va­men­te fra­ca com a maté­ria) podem ser usa­dos para com­pre­en­der como bri­lham as estre­las. São emi­ti­das pelo sol e pelas estre­las duran­te o pro­ces­so de cri­a­ção de ener­gia de fusão, e a mai­o­ria con­se­gue pas­sar atra­vés da Ter­ra sem ser para­da. Ele cal­cu­lou a pro­du­ção espe­ra­da de neu­tri­nos do sol, o que cri­ou um desa­fio expe­ri­men­tal para expli­car o resul­ta­do ines­pe­ra­do. Ganhou a Meda­lha Naci­o­nal da Ciên­cia (1998) tan­to pelas suas con­tri­bui­ções para o pla­ne­a­men­to e desen­vol­vi­men­to do Teles­có­pio Espa­ci­al Hub­ble, como pela sua inves­ti­ga­ção pio­nei­ra em astro­fí­si­ca dos neutrinos.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1950, o cien­tis­ta infor­má­ti­co dina­marquês Bjar­ne Strous­trup. Ele é ficou conhe­ci­do pela cri­a­ção e desen­vol­vi­men­to da lin­gua­gem de pro­gra­ma­ção C++. Em 1979, come­çou a desen­vol­ver o C++ (ini­ci­al­men­te cha­ma­do “C com Clas­ses”). Nas suas pró­pri­as pala­vras, ele “inven­tou o C++, escre­veu as suas pri­mei­ras defi­ni­ções, e pro­du­ziu a sua pri­mei­ra imple­men­ta­ção […] esco­lheu e for­mu­lou os cri­té­ri­os de con­cep­ção de C++, con­ce­beu todas as suas prin­ci­pais ins­ta­la­ções, e foi res­pon­sá­vel pelo pro­ces­sa­men­to de pro­pos­tas de exten­são no comi­té de nor­mas C++”. O C++ foi dis­po­ni­bi­li­za­do em geral em 1985.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1954, o enge­nhei­ro e inven­tor aus­tra­li­a­no Rod­ney Bro­oks. Ele foi pio­nei­ro na apli­ca­ção de inte­li­gên­cia arti­fi­ci­al à cons­tru­ção de robôs autó­no­mos. Foi o direc­tor (1997–2007) do MIT Arti­fi­ci­al Intel­li­i­gen­ce Labo­ra­tory e depois do MIT Com­pu­ter Sci­en­ce & Arti­fi­ci­al Intel­li­gen­ce Labo­ra­tory. Bro­oks fun­dou a iRo­bot Cor­po­ra­ti­on que fabri­ca robôs, incluin­do um robô para Mar­te para reco­lher amos­tras para a NASA, aju­dan­do a cri­ar o avião robô Pre­da­tor para uti­li­za­ção pelos mili­ta­res no Ira­que e Afe­ga­nis­tão. Para a casa, a empre­sa pro­du­ziu o pri­mei­ro robô de lim­pe­za do chão. A máqui­na, cha­ma­da Room­ba, pesa menos de 3 qui­lo­gra­mas e foi intro­du­zi­da ao pre­ço de 199 dólares.

E nes­ta sema­na que pas­sou foi final­men­te lan­ça­da a ver­são 6.0.0 do soft­ware para a auto­ma­ti­za­ção do dese­nho elec­tró­ni­co (EDA). Esta ver­são este­ve em desen­vol­vi­men­to duran­te dois anos e meio e nela des­ta­cam-se uma inter­fa­ce de uti­li­za­dor actu­a­li­za­da, con­ce­bi­da para redu­zir as bar­rei­ras de entra­da de novos uti­li­za­do­res e faci­li­tar o atri­to ao mudar entre o KiCad e outro soft­ware de con­cep­ção. O edi­tor esque­má­ti­co do KiCad rece­beu a sua mai­or revi­são de sem­pre para a ver­são 6.0. Ago­ra uti­li­za o mes­mo para­dig­ma de selec­ção e mani­pu­la­ção de objec­tos que o edi­tor PCB, e rece­beu deze­nas de novas fun­ci­o­na­li­da­des para dar poder ao seu dese­nho. O edi­tor PCB da KiCad levou com uma actu­a­li­za­ção com­ple­ta, apre­sen­tan­do mui­tas opções novas para o aju­dar a nave­gar em dese­nhos com­pli­ca­dos. Visu­a­li­ze a sua pla­ca de mais for­mas do que nun­ca com o visu­a­li­za­dor 3D actu­a­li­za­do do KiCad, com con­tro­los de ilu­mi­na­ção de ray­tra­cing, des­ta­que de objec­tos selec­ci­o­na­dos no edi­tor PCB, e aces­so mais fácil aos con­tro­los fre­quen­te­men­te utilizados.

Tam­bém nes­ta sema­na que pas­sou o teles­có­pio Espa­ci­al James Webb foi lan­ça­do para o espa­ço a bor­do de um fogue­tão Ari­a­ne 5 a par­tir da Gui­a­na Fran­ce­sa no dia 25. Este equi­pa­men­to este­ve a ser desen­vol­vi­do des­de 1996 pela NASA com con­tri­bui­ções da ESA e da CSA. O espe­lho pri­má­rio do JWST, o Ele­men­to Teles­có­pio Ópti­co, con­sis­te em seg­men­tos de espe­lho de 18 hexá­go­nos, indi­vi­du­al­men­te ajus­tá­veis, fei­tos de berí­lio dou­ra­do, que se com­bi­nam para cri­ar um espe­lho de 6,5 metros de diâ­me­tro — con­si­de­ra­vel­men­te mai­or do que o espe­lho de Hub­ble de 2,4 m — tem uma sen­si­bi­li­da­de 100 vezes superior.
As equi­pas ter­res­tres come­ça­ram a rece­ber dados de tele­me­tria do Webb cer­ca de cin­co minu­tos após o lan­ça­men­to. O fogue­tão Ari­a­nes­pa­ce Ari­a­ne 5 actu­ou como espe­ra­do, sepa­ran­do-se do teles­có­pio 27 minu­tos depois do lan­ça­men­to. O teles­có­pio foi lan­ça­do a uma alti­tu­de de apro­xi­ma­da­men­te 1.400 qui­ló­me­tros. Apro­xi­ma­da­men­te 30 minu­tos após o lan­ça­men­to, o Webb des­do­brou a sua matriz de pai­néis sola­res, e os ges­to­res da mis­são con­fir­ma­ram que a mes­ma for­ne­cia ener­gia ao teles­có­pio. O teles­có­pio está equi­pa­do com um escu­do solar des­do­brá­vel do tama­nho de um cam­po de ténis que o man­te­rá frio para poder ope­rar. Espe­ra-se o iní­cio das obser­va­ções cien­tí­fi­cas seis meses após o lan­ça­men­to e os pri­mei­ros dados ain­da em mea­dos de 2022.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sas noti­ci­as, arti­gos cien­tí­fi­cos, pro­je­tos de maker assim como alguns víde­os inte­res­san­tes. Nes­ta ulti­ma news­let­ter do ano res­ta-me dese­jar a todos um exce­len­te ano de 2022.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº347

Newsletter Nº347
News­let­ter Nº347

Faz hoje anos que nas­cia, em 1722, o quí­mi­co e meta­lúr­gi­co sue­co Axel Fre­drik Crons­tedt. Ele foi o pri­mei­ro a iso­lar o níquel (1751) e a notar as suas ligei­ras pro­pri­e­da­des mag­né­ti­cas. Uma nova clas­si­fi­ca­ção quí­mi­ca de mine­rais que ele fez foi tra­du­zi­da para vári­as lín­guas. Os padrões que encon­trou na estru­tu­ra inter­na dos mine­rais per­mi­ti­ram-lhe dis­tin­guir entre os mine­rais sim­ples de um só com­po­nen­te e os com­pos­tos por uma mis­tu­ra de vári­os mine­rais. Des­co­briu o zeó­li­to, um sili­ca­to sua­vi­zan­te da água e ana­li­sou o tungs­ta­to mine­ral de cál­cio de alta den­si­da­de. Atra­vés da uti­li­za­ção hábil do maça­ri­co para inten­si­fi­car uma cha­ma e quei­mar uma peque­na quan­ti­da­de de um mine­ral, pôde fazer uma iden­ti­fi­ca­ção da sua com­po­si­ção quí­mi­ca com base na cor da cha­ma. Ele não inven­tou o ins­tru­men­to, mas fun­dou uma téc­ni­ca de aná­li­se sis­te­má­ti­ca do maçarico.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1732, o indus­tri­al e inven­tor inglês Richard Ark­wright. Ele intro­du­ziu méto­dos de pro­du­ção de fábri­cas têx­teis meca­ni­za­dos e moto­ri­za­dos que foi mui­to bem suce­di­da. A máqui­na Spin­ning-Fra­me que ele inven­tou (1769, paten­te bri­tâ­ni­ca nº 931) para fiar fio de algo­dão uti­li­za­va múl­ti­plos con­jun­tos de rolos empa­re­lha­dos que gira­vam a dife­ren­tes velo­ci­da­des capa­zes de extrair fio com a espes­su­ra cor­rec­ta, e um con­jun­to de fusos para tor­cer as fibras fir­me­men­te jun­tas. Pro­du­ziu um fio mui­to mais for­te do que o fio fei­to pela Spin­ning-Jenny de James Har­gre­a­ves. A máqui­na de Ark­wright era dema­si­a­do gran­de para ser acci­o­na­da manu­al­men­te, por isso ele alimentou‑a com uma roda de água (1771) quan­do ficou conhe­ci­da como a Mol­du­ra de Água. O negó­cio têx­til de Ark­wright expan­diu-se, ele cons­truiu mais fábri­cas, e mais tar­de adop­tou a for­ça do vapor.

Faz igual­men­te hoje anos que nas­cia, em 1766, o mine­ra­lo­gis­ta sue­co Wilhelm Hisin­ger. Ele her­dou o tra­ba­lho em fer­ro do seu pai, e pros­se­guiu a ciên­cia em pri­va­do. De uma das suas minas de fer­ro em Bastnäs veio um mine­ral de den­si­da­de invul­gar­men­te ele­va­da. Hisin­ger dis­tri­buiu amos­tras a vári­os ana­lis­tas quí­mi­cos euro­peus. Após o seu exa­me em 1803, Mar­tin Kla­proth sus­pei­tou que o mes­mo con­ti­nha um novo ele­men­to. Nes­se ano, tan­to Hisin­ger como Jöns Ber­ze­lius iso­la­ram o novo ele­men­to. Deram-lhe o nome de cerium em reco­nhe­ci­men­to da des­co­ber­ta de Gius­se­pe Piaz­zi da nova plan­ta menor, Ceres, dois anos antes (1 de Janei­ro de 1801). Em 1806, Hisin­ger inves­ti­gou o efei­to da elec­tri­ci­da­de nas solu­ções sali­nas. Ele con­tri­buiu para o conhe­ci­men­to geo­ló­gi­co do seu país, e regis­tou des­co­ber­tas dos seus fós­seis de ani­mais e plan­tas. Tam­bém acu­mu­lou colec­ções de rochas finas, mine­rais e fós­seis, que aca­bou por dar ao museu de his­tó­ria natu­ral sueco.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1822, o inven­tor ale­mão Wilhelm Bau­er. Ele foi um pio­nei­ro dos sub­ma­ri­nos. A 1 de Feve­rei­ro de 1851, no por­to de Kiel, fez uma pro­va de mer­gu­lho no seu pri­mei­ro sub­ma­ri­no, Le Plon­geur-Marin (“O Mer­gu­lha­dor Mari­nho”), ape­nas para afun­dar a 50 pés devi­do a fugas de água no cas­co. Sobre­vi­veu espe­ran­do que a pres­são do ar inte­ri­or, com­pri­mi­da à medi­da que mais água vaza­va para den­tro, igua­las­se a pres­são da água no exte­ri­or. Sete horas mais tar­de, ele e a sua tri­pu­la­ção abri­ram a esco­ti­lha e subi­ram à super­fí­cie para encon­trar ser­vi­ços fune­rá­ri­os em cur­so. Em 1855, Bau­er cons­truiu um sub­ma­ri­no de fer­ro de 52 pés, de qua­tro homens, Le Dia­ble-Marin (“O Dia­bo Mari­nho”) com 11 tri­pu­lan­tes. As foto­gra­fi­as que Bau­er fez atra­vés das suas jane­las são pro­va­vel­men­te as pri­mei­ras tira­das debai­xo de água. Ele tam­bém expe­ri­men­tou a puri­fi­ca­ção do ar e sinais sono­ros subaquáticos.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1938, o cien­tis­ta infor­má­ti­co nor­te-ame­ri­ca­no Bob Kahn. Ele co-cri­ou os pro­to­co­los de comu­ta­ção de paco­tes que per­mi­tem aos com­pu­ta­do­res tro­car infor­ma­ções na Inter­net. No final dos anos 60, Kahn per­ce­beu que uma rede de comu­ta­ção de paco­tes podia efec­ti­va­men­te trans­mi­tir gran­des quan­ti­da­des de dados entre com­pu­ta­do­res. Jun­ta­men­te com cole­gas cien­tis­tas infor­má­ti­cos Vin­ton Cerf, Lawren­ce Roberts, Paul Baran, e Leo­nard Klein­rock, Kahn cons­truiu a ARPANET, a pri­mei­ra rede a ligar com suces­so com­pu­ta­do­res em todo o país. Kahn e Cerf tam­bém desen­vol­ve­ram o Pro­to­co­lo de Con­tro­lo de Trans­mis­são (TCP) e o Pro­to­co­lo Inter­net (IP), que jun­tos per­mi­tem a comu­ni­ca­ção entre dife­ren­tes tipos de com­pu­ta­do­res e redes; o TCP/IP é o padrão ain­da hoje em uso. É gra­ças aos con­tri­bu­tos de Kahn que é pos­sí­vel nes­te momen­to ler esta newsletter!

Após nove dias e qua­tro minu­tos no céu, o avião expe­ri­men­tal Voya­ger ater­ra­va na Base Aérea Edwards na Cali­fór­nia, com­ple­tan­do o pri­mei­ro voo inin­ter­rup­to à vol­ta do glo­bo com uma úni­ca car­ga de com­bus­tí­vel. Pilo­ta­da pelos ame­ri­ca­nos Dick Rutan e Jea­na Yea­ger, a Voya­ger foi fei­ta prin­ci­pal­men­te de plás­ti­co e papel refor­ça­do e trans­por­tou mais de três vezes o seu peso em com­bus­tí­vel quan­do des­co­lou da Base da For­ça Aérea de Edwards a 14 de Dezem­bro. Quan­do regres­sou, depois de voar 25.012 milhas à vol­ta do pla­ne­ta, já tinha ape­nas cin­co galões de com­bus­tí­vel no seu res­tan­te tan­que de com­bus­tí­vel ope­ra­ci­o­nal. Está­va­mos no ano de 1986.

Em 23 de Dezem­bro de 1672, o astró­no­mo ita­li­a­no Gio­van­ni Cas­si­ni des­co­briu Rhea, a segun­da mai­or lua de Satur­no. Rea é fei­ta de rocha e gelo e está cober­ta de cra­te­ras. Rhea é tam­bém a úni­ca lua des­co­ber­ta a ter uma atmos­fe­ra de oxi­gé­nio. Rea foi a segun­da lua que Cas­si­ni des­co­briu. Ele des­co­briu a lua de Satur­no Iape­tus cer­ca de um ano antes.

Nes­ta sema­na que pas­sou e após mais de duas déca­das de desen­vol­vi­men­to, o teles­có­pio espa­ci­al de pró­xi­ma gera­ção da NASA está na pla­ta­for­ma de lan­ça­men­to. O Teles­có­pio Espa­ci­al James Webb deve­rá ser lan­ça­do no sába­do (25 de Dezem­bro) duran­te uma jane­la de 32 minu­tos que abre às 7:20 EST (1220 GMT). O enor­me obser­va­tó­rio será lan­ça­do de Kou­rou, Gui­a­na Fran­ce­sa, sobre um fogue­te Ari­a­ne 5 ope­ra­do pelo for­ne­ce­dor euro­peu de lan­ça­men­to Arianespace.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sas noti­ci­as, arti­gos cien­tí­fi­cos, pro­je­tos de maker assim como alguns víde­os inte­res­san­tes. É apre­sen­ta­da a revis­ta Hacks­pa­ce­Mag nº 50 de Janei­ro. Apro­vei­to para dese­jar a todos votos de Boas Festas.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.