Newsletter Nº339

Newsletter Nº339
News­let­ter Nº339

Faz hoje anos que nas­cia, em 1845, o físi­co pola­co Zyg­munt Flo­renty von Wro­blews­ki. Ele lique­fez os “gases per­ma­nen­tes” tais como azo­to e monó­xi­do de car­bo­no em mai­o­res quan­ti­da­des do que as ante­ri­or­men­te rea­li­za­das por Cail­le­tet, cujo méto­do ele melho­rou. Em 1883, ele con­se­guiu a lique­fac­ção está­ti­ca do oxi­gé­nio e do ar. Foi o pri­mei­ro a lique­fa­zer o hidro­gé­nio. Embo­ra o tenha con­se­gui­do ape­nas numa névoa fina tran­si­tó­ria, publi­cou (1885) dados nota­vel­men­te pre­ci­sos: tem­pe­ra­tu­ra crí­ti­ca 33 K, pres­são crí­ti­ca, 13,3 atm e pon­to de ebu­li­ção, 23 K (valo­res moder­nos 33,3 K, 12,8 atm, 20,3 K).

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1914, o bioquí­mi­co bri­tâ­ni­co Richard Syn­ge. Ele par­ti­lhou o Pré­mio Nobel da Quí­mi­ca de 1952 com A.J.P. Mar­tin pelo seu desen­vol­vi­men­to da cro­ma­to­gra­fia de par­ti­ção, nome­a­da­men­te a cro­ma­to­gra­fia em papel. Alguns dos avan­ços da quí­mi­ca neces­si­tam de novos méto­dos para a sepa­ra­ção de vári­as subs­tân­ci­as. Na cro­ma­to­gra­fia de papel-fil­tro, uma gota de uma mis­tu­ra de subs­tân­ci­as é dei­xa­da cair sobre uma tira de papel-fil­tro, que é auto­ri­za­da a ela­bo­rar um sol­ven­te ade­qua­do (ex. água com álco­ol butí­li­co), por acção capi­lar. A man­cha come­ça a mover-se e, em segui­da, gra­du­al­men­te segre­ga-se em vári­os pon­tos. Algu­mas man­chas seguem rapi­da­men­te o sol­ven­te, enquan­to outras ficam para trás. O resul­ta­do é uma reso­lu­ção da mis­tu­ra em par­tes com­po­nen­tes. Uma gota de mis­tu­ras extre­ma­men­te com­pli­ca­das pode ser ana­li­sa­da des­ta for­ma simples.

Faz igual­men­te hoje anos que nas­cia, em 1937, o enge­nhei­ro elec­tro­téc­ni­co ame­ri­ca­no Mar­ci­an Hoff. Ele con­ce­beu o 4004, o pri­mei­ro micro­pro­ces­sa­dor comer­ci­al do mun­do, adap­tan­do a tec­no­lo­gia de cir­cui­to inte­gra­do (CI) exis­ten­te para com­bi­nar fun­ções de memó­ria, arit­mé­ti­ca e lógi­ca como um com­pu­ta­dor num úni­co chip de silí­cio. Lide­rou o pro­jec­to na Intel, em con­jun­to com Stan­ley Mazor, Masa­toshi Shi­ma e Fede­ri­co Fag­gin. O 4004 tinha uma ROM de 256 bytes, uma RAM de 32 bits, um regis­to de des­lo­ca­men­to de 10 bits (uma for­ma de RAM) e um micro­pro­ces­sa­dor de 4 bits. Tudo num total de 2300 tran­sís­to­res num paco­te de 16 pinos. Por­que, como um chip, subs­ti­tuiu vári­os cir­cui­tos inte­gra­dos com fios numa cal­cu­la­do­ra pro­gra­má­vel, o 4004 revo­lu­ci­o­nou a indús­tria elec­tró­ni­ca. Quan­do lan­ça­do em Novem­bro de 1971, o 4004 tor­nou pos­sí­vel incluir o pro­ces­sa­men­to de dados em cen­te­nas de dispositivos.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1955, o mag­na­ta empre­sa­ri­al ame­ri­ca­no, inves­ti­dor, autor, e filan­tro­po Bill Gates. Ele foi co-fun­da­dor da Micro­soft, jun­ta­men­te com o seu ami­go de infân­cia Paul Allen. Duran­te a sua car­rei­ra na Micro­soft, Gates ocu­pou os car­gos de pre­si­den­te, direc­tor exe­cu­ti­vo (CEO), pre­si­den­te e arqui­tec­to de soft­ware, sen­do tam­bém o mai­or acci­o­nis­ta indi­vi­du­al até Maio de 2014. É con­si­de­ra­do um dos empre­sá­ri­os mais conhe­ci­dos da revo­lu­ção dos micro­com­pu­ta­do­res dos anos 70 e 80.

Em 1886 era inau­gu­ra­da a Está­tua da Liber­da­de, um pre­sen­te de ami­za­de do povo fran­cês para o povo dos Esta­dos Uni­dos, é dedi­ca­da no por­to de Nova Ior­que pelo Pre­si­den­te Gro­ver Cle­ve­land. Ori­gi­nal­men­te conhe­ci­da como “Liberty Enligh­te­ning the World”, a está­tua foi pro­pos­ta pelo his­to­ri­a­dor fran­cês Edou­ard de Labou­laye para come­mo­rar a ali­an­ça fran­co-ame­ri­ca­na duran­te a Revo­lu­ção Ame­ri­ca­na. Dese­nha­da pelo escul­tor fran­cês Fre­de­ric-Augus­te Barthol­di, a está­tua de 46 metros tem a for­ma de uma mulher com um bra­ço ergui­do segu­ran­do uma tocha. A sua estru­tu­ra de gigan­tes­cos supor­tes de aço foi con­ce­bi­da por Euge­ne-Emma­nu­el Viol­let-le-Duc e Ale­xan­dre-Gus­ta­ve Eif­fel, este últi­mo famo­so pela sua con­cep­ção da Tor­re Eif­fel em Paris.

Nes­ta sema­na que pas­sou, a fun­da­ção Rasp­ber­ry PI anun­ci­ou uma nova pla­ca a Rasp­ber­ry Pi Zero 2 W. Esta é lan­ça­da seis anos após o lan­ça­men­to da pri­mei­ra pla­ca Zero. Usan­do o mes­mo form-fac­tor esta pla­ca usa o mes­mo pro­ces­sa­dor do Rasp­ber­ry PI 3 — o Bro­ad­com BCM2710A1 SoC. Vem equi­pa­da com 512MB de memó­ria, 2.4GHz IEEE 802.11b/g/n wire­less LAN, Blu­e­to­oth 4.2, BLE e é lan­ça­da a um pre­ço de 15 USD. Este pre­ço reflec­te não só as melho­ri­as que a pla­ca intro­duz rela­ti­va­men­te à ante­ri­or Zero mas tam­bém é fru­to das con­di­ci­o­nan­tes que actu­al­men­te se sen­tem no mer­ca­do de componentes.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sas noti­ci­as, arti­gos cien­tí­fi­cos, pro­je­tos de maker assim como alguns vide­os inte­res­san­tes. É apre­sen­ta­da a revis­ta Mag­Pi nº111 de Novembro.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº338

Newsletter Nº338
News­let­ter Nº338

Faz hoje anos que nas­cia, em 1823, o mate­má­ti­co ita­li­a­no Enri­co Bet­ti. Ele des­ta­cou-se pelas suas con­tri­bui­ções em álge­bra e topo­lo­gia. O seu tra­ba­lho ini­ci­al é na área das equa­ções e álge­bra. Escre­veu a pri­mei­ra expo­si­ção rigo­ro­sa da teo­ria das equa­ções, ante­ri­or­men­te dada sem pro­vas, desen­vol­vi­da pelo notá­vel mate­má­ti­co fran­cês Éva­ris­te Galois (1811–32). Bet­ti esten­deu e deu pro­vas rela­ci­o­na­das com os con­cei­tos algé­bri­cos de Galois, publi­ca­das em vári­as obras de 1851. Bet­ti deu assim um impor­tan­te con­tri­bu­to para a tran­si­ção da álge­bra clás­si­ca para a moder­na. Ele foi o pri­mei­ro a dar uma pro­va de que o gru­po Galois está fecha­do sob mul­ti­pli­ca­ção. Bet­ti tam­bém escre­veu uma memó­ria pio­nei­ra sobre topo­lo­gia, o estu­do das super­fí­ci­es e do espa­ço. Bet­ti fez um tra­ba­lho impor­tan­te em físi­ca teó­ri­ca, em par­ti­cu­lar em teo­ria e elas­ti­ci­da­de potenciais.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1833, o quí­mi­co e inven­tor sue­co Alfred Nobel. Ele inven­tou a dina­mi­te e outros explo­si­vos mais pode­ro­sos. Peri­to em explo­si­vos como o seu pai, em 1866 inven­tou uma for­ma segu­ra e con­tro­lá­vel de nitro­gli­ce­ri­na a que cha­mou dina­mi­te, e mais tar­de, pól­vo­ra sem fumo e (1875) gelig­ni­te. Aju­dou a cri­ar um impé­rio indus­tri­al, fabri­can­do mui­tas das suas outras inven­ções. O Nobel acu­mu­lou uma enor­me for­tu­na, gran­de par­te da qual dei­xou num fun­do para dotar os pré­mi­os anu­ais que levam o seu nome. Con­ce­di­dos pela pri­mei­ra vez em 1901, estes pré­mi­os eram para rea­li­za­ções nas áre­as da físi­ca, quí­mi­ca, fisi­o­lo­gia ou medi­ci­na, lite­ra­tu­ra, e paz. O sex­to pré­mio, de eco­no­mia, foi ins­ti­tuí­do em sua hon­ra em 1969.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1914, o físi­co e enge­nhei­ro nor­te-ame­ri­ca­no Samu­el W. Alder­son. Ele inven­tou o bone­co de tes­te de coli­são uti­li­za­do para tes­tar a segu­ran­ça de auto­mó­veis, pára-que­das e outros dis­po­si­ti­vos. Des­de a déca­da de 1930, quan­do a segu­ran­ça dos car­ros duran­te um aci­den­te era tes­ta­da, tinham sido uti­li­za­dos cadá­ve­res. Quan­do fun­dou uma empre­sa em 1952, Alder­son Rese­ar­ch Labo­ra­to­ri­es, que con­ce­beu um mane­quim antro­po­mór­fi­co, a pri­mei­ra apli­ca­ção foi para tes­tar ban­cos de ejec­ção de jac­tos. Em 1968, pro­du­ziu um mane­quim (cha­ma­do V.I.P.) cons­truí­do espe­ci­fi­ca­men­te para tes­tes auto­mó­veis com ins­tru­men­tos incor­po­ra­dos para a reco­lha de dados. Tinha jun­tas arti­cu­la­das com dimen­sões e dis­tri­bui­ção de peso como um homem adul­to médio. Mais tar­de, a sua empre­sa fez tam­bém fan­tas­mas médi­cos para simu­la­ções, tais como feri­das sin­té­ti­cas que escor­ri­am san­gue falso.

Em 1915 foi fei­ta a pri­mei­ra comu­ni­ca­ção expe­ri­men­tal de fala por radi­o­te­le­fo­nia tran­sa­tlân­ti­ca. Apro­vei­tan­do os trans­mis­so­res e recep­to­res de tubos de vácuo recen­te­men­te desen­vol­vi­dos, a AT&T rea­li­zou tes­tes de radi­o­te­le­fo­nia da NAA, a esta­ção da Mari­nha dos EUA em Arling­ton. B. Webb da AT&T em Arling­ton, VA.Virginia fala com o tenen­te-coro­nel Fer­ri­es do gover­no fran­cês uti­li­zan­do pon­tos de retrans­mis­são no Cana­dá e na Tor­re Eif­fel em Paris. A sua voz foi ouvi­da tão lon­ge como Hono­lu­lu, HI., o que mos­trou cla­ra­men­te o quão avan­ça­do esta­va o equi­pa­men­to de tubos de vácuo, des­de o “um pou­co mais de 10 milhas” (16-km) de alcan­ce dos ino­va­do­res tes­tes do alter­na­dor-trans­mis­sor de Fes­sen­den (1906). O Pre­si­den­te Vail anun­ci­ou que a AT&T esta­va a pla­ne­ar acres­cen­tar liga­ções radi­o­te­le­fó­ni­cas ao sis­te­ma Bell.

Em 2011, a Con­fe­rên­cia Geral sobre Pesos e Medi­das (CGPM) em Sèvres, Fran­ça, con­si­de­rou uma reso­lu­ção para con­si­de­rar a futu­ra revi­são da defi­ni­ção de uni­da­des SI. Esta ain­da neces­si­ta­va de apro­va­ção final, e a sua imple­men­ta­ção não seria antes de 2014. No “Novo SI”, uma for­mu­la­ção “explí­ci­ta-cons­tan­te” apli­car-se-ia a qua­tro das uni­da­des de base do SI. Assim, o qui­lo­gra­ma, o ampe­re, o kel­vin e o mole seri­am rede­fi­ni­dos em ter­mos de inva­ri­an­tes da natu­re­za; as novas defi­ni­ções serão base­a­das em valo­res numé­ri­cos fixos da cons­tan­te de Planck (h), da car­ga ele­men­tar (e), da cons­tan­te de Boltz­mann (k), e da cons­tan­te de Avo­ga­dro (NA), res­pec­ti­va­men­te. Mais nota­vel­men­te, pela pri­mei­ra vez, o qui­lo­gra­ma dei­xa­ria de ser defi­ni­do pelo pro­tó­ti­po inter­na­ci­o­nal, um objec­to metá­li­co espe­cí­fi­co e a sua pos­sí­vel vari­a­ção sub­til na massa.

Nes­ta sema­na que pas­sou a nave Shenzhou-13 trans­por­tou para a a esta­ção espa­ci­al Tian­gong três astro­nau­tas chi­ne­ses. Dois homens e uma mulher irão ficar na esta­ção duran­te cer­ca de seis meses. Um dos objec­ti­vos da mis­são é tes­tar a capa­ci­da­de dos astro­nau­tas e das ins­ta­la­ções duran­te uma esta­dia lon­ga. Vão tam­bém con­du­zir diver­sas expe­ri­ên­ci­as cien­ti­fi­cas com um bra­ço robó­ti­co que será ins­ta­la­do numa das cami­nha­das no espa­ço pre­vis­tas. A esta­ção espa­ci­al Tian­gong vai pesar cer­ca de 70 tone­la­das, após estar con­cluí­da, e deve­rá fun­ci­o­nar duran­te 15 anos, orbi­tan­do a cer­ca de 400 qui­ló­me­tros aci­ma da super­fí­cie da Terra.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sas noti­ci­as, arti­gos cien­tí­fi­cos, pro­je­tos de maker assim como alguns vide­os inte­res­san­tes. É apre­sen­ta­da a revis­ta Hacks­pa­ce Maga­zi­ne nº48 de Novembro.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº337

Newsletter Nº337
News­let­ter Nº337

Faz hoje anos que nas­cia, em 1788, o físi­co, astró­no­mo e explo­ra­dor irlan­dês-inglês Edward Sabi­ne. Ele estu­dou a for­ma da Ter­ra e o seu cam­po mag­né­ti­co. Foi nome­a­do na Arti­lha­ria Real, e atin­giu o pos­to de Major-Gene­ral antes de se refor­mar em 1877. Como explo­ra­dor, o astró­no­mo do par­ti­do, jun­tou-se à expe­di­ção de John Ross para encon­trar a Pas­sa­gem do Noro­es­te (1818). Tam­bém foi com Par­ry numa expe­di­ção ao Árc­ti­co (1819–20). Atra­vés de expe­ri­ên­ci­as uti­li­zan­do um pên­du­lo em dife­ren­tes locais glo­bais, ele deter­mi­nou a for­ma da Ter­ra (1821–3). Sabi­ne tam­bém estu­dou o cam­po mag­né­ti­co da Ter­ra, e a 6 de Abril de 1852 anun­ci­ou a liga­ção entre man­chas sola­res e vari­a­ções geo­mag­né­ti­cas irregulares.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1840, o físi­co ale­mão Fri­e­dri­ch Wilhelm Georg Kohl­raus­ch. Ele inves­ti­gou as pro­pri­e­da­des dos elec­tró­li­tos (subs­tân­ci­as que con­du­zem elec­tri­ci­da­de em solu­ções por trans­fe­rên­cia de iões) e con­tri­buiu para a com­pre­en­são do seu com­por­ta­men­to. Algu­mas das rea­li­za­ções pio­nei­ras de Kohl­raus­ch inclu­em medi­ções de con­du­ti­vi­da­de em elec­tró­li­tos, o seu tra­ba­lho na deter­mi­na­ção de gran­de­zas mag­né­ti­cas e eléc­tri­cas bási­cas, e o aper­fei­ço­a­men­to das tec­no­lo­gi­as de medi­ção asso­ci­a­das. Foi sob a sua direc­ção que a “Phy­si­ka­lis­ch-Tech­nis­che Rei­ch­sans­talt” (o então Ins­ti­tu­to Impe­ri­al Téc­ni­co Físi­co na Ale­ma­nha) cri­ou nume­ro­sas nor­mas e padrões de cali­bra­ção que foram tam­bém uti­li­za­dos inter­na­ci­o­nal­men­te fora da Alemanha.

Faz igual­men­te hoje anos que nas­cia, em 1857, o inven­tor nor­te-ame­ri­ca­no Elwo­od Hay­nes. Ele cons­truiu um dos pri­mei­ros auto­mó­veis a gaso­li­na de suces­so. Em 1886, quan­do o gás natu­ral foi encon­tra­do na sua cida­de natal de Por­tland, Indi­a­na, Hay­nes orga­ni­zou uma empre­sa para o for­ne­cer à cida­de. Ele con­ce­beu um méto­do para desi­dra­tar o gás antes de este ser bom­be­a­do atra­vés das linhas. Tam­bém em 1886, inven­tou um peque­no ter­mós­ta­to de vapor uti­li­za­do no gás natu­ral. Em 1893, com­prou um motor a gaso­li­na e con­ce­beu uma “car­ru­a­gem sem cava­los”. Quan­do Hay­nes esta­va à pro­cu­ra de uma liga que fizes­se um eléc­tro­do de vela durá­vel, inven­tou a liga de stel­li­te, cuja inven­ção ain­da hoje con­tri­bui para a soci­e­da­de. Mais duro que o aço e resis­ten­te à cor­ro­são, este metal desem­pe­nha ago­ra um papel impor­tan­te no fabri­co de mate­ri­ais aero­náu­ti­cos ade­qua­dos para a explo­ra­ção do espa­ço exterior.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1908, o enge­nhei­ro elec­tro­téc­ni­co nor­te-ame­ri­ca­no Geor­ge Harold Brown. Ele foi pio­nei­ro em rádio-tér­mi­ca, que deu gran­des con­tri­bui­ções para o desen­vol­vi­men­to de ante­nas de rádio e tele­vi­são. Em 1936, Brown inven­tou a cha­ma­da ante­na de esti­lo “turnsty­le” para a radi­o­di­fu­são tele­vi­si­va. Devi­do a isso, a Comis­são Fede­ral de Comu­ni­ca­ções (FCC) adop­tou um sis­te­ma de TV de 441 linhas. Em 1938, Brown desen­vol­veu o fil­tro de ban­da late­ral ves­ti­gi­al para uti­li­za­ção na trans­mis­são de tele­vi­são, dupli­can­do a reso­lu­ção hori­zon­tal das ima­gens de tele­vi­são em qual­quer ban­da. Duran­te a II Guer­ra Mun­di­al, com os inves­ti­ga­do­res da RCA, o gru­po de Geor­ge Brown uti­li­zou o aque­ci­men­to por radi­o­frequên­cia na desi­dra­ta­ção a gra­nel da peni­ci­li­na na E.R. Squibb, uma “máqui­na de cos­tu­ra” para ter­mo­plás­ti­cos, e téc­ni­cas de rebi­ta­gem e sol­da­du­ra mais consistentes.

Em 1947, Chuck Yea­ger, um pilo­to de caça da II Guer­ra Mun­di­al, tor­nou-se o pri­mei­ro huma­no a voar mais rápi­do do que a velo­ci­da­de do som, que­bran­do a bar­rei­ra do som num avião Bell XS‑1 movi­do a fogue­te sobre o Murac Dry Lake, Cali­fór­nia. Os qua­tro moto­res de fogue­tão des­te minús­cu­lo avião de inves­ti­ga­ção com nariz de agu­lha podi­am engo­lir todo um for­ne­ci­men­to de com­bus­tí­vel em 2–1/2 minu­tos. Para pou­par com­bus­tí­vel, o Bell XS‑1 foi trans­por­ta­do para alti­tu­de por um B‑29 e depois lan­ça­do, e Yea­ger dis­pa­rou os seus fogue­tes. A 37.000 pés, o X‑1 voou bem, mas come­çou a bater à medi­da que se apro­xi­ma­va da bar­rei­ra do som. Quan­do um avião via­ja à velo­ci­da­de do som, as par­tí­cu­las de ar à fren­te são com­pri­mi­das numa “pare­de de ar espes­so” invisível.

Nes­ta sema­na que pas­sou foi lan­ça­do o Ubun­tu 21.10. Deno­mi­na­do de “Impish Indri” esta ver­são que não é LTS traz como prin­ci­pais novi­da­des o Desk­top GNOME 40, o Ker­nel 5.13, PHP 8.0, GCC 11, Mesa 21.2 e uti­li­za a com­pres­são Zstd para os paco­tes Debi­an. Traz tam­bém supor­te para a ulti­ma ver­são dos dri­vers pro­pri­e­tá­ri­os da NVIDIA com Wayland.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sas noti­ci­as, arti­gos cien­tí­fi­cos, pro­je­tos de maker assim como alguns vide­os interessantes.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº336

Newsletter Nº336
News­let­ter Nº336

Faz hoje anos que nas­cia, em 1885, o físi­co dina­marquês Niels Bohr. Ele foi o pri­mei­ro a apli­car a teo­ria quân­ti­ca, que res­trin­ge a ener­gia de um sis­te­ma a cer­tos valo­res dis­cre­tos, ao pro­ble­ma da estru­tu­ra ató­mi­ca e mole­cu­lar. Por este tra­ba­lho, rece­beu o Pré­mio Nobel da Físi­ca em 1922. Desen­vol­veu a cha­ma­da teo­ria de Bohr do áto­mo e mode­lo líqui­do do núcleo. Bohr era de ori­gem judai­ca e quan­do os nazis ocu­pa­ram a Dina­mar­ca esca­pou em 1943 para a Sué­cia, num bar­co de pes­ca. De lá foi trans­por­ta­do de avião para Ingla­ter­ra, onde come­çou a tra­ba­lhar no pro­jec­to de fazer uma bom­ba de fis­são nucle­ar. Após alguns meses, foi com a equi­pa de inves­ti­ga­ção bri­tâ­ni­ca para Los Ala­mos, nos EUA, onde con­ti­nu­ou a tra­ba­lhar no projecto.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1939, o quí­mi­co inglês Har­ry Kro­to. Ele par­ti­lhou (com Richard E. Smal­ley e Robert F. Curl, Jr.) o Pré­mio Nobel da Quí­mi­ca de 1996 pela sua des­co­ber­ta con­jun­ta dos com­pos­tos de car­bo­no cha­ma­dos ful­le­re­nes. Estas novas for­mas do ele­men­to car­bo­no con­têm 60 ou mais áto­mos dis­pos­tos em con­chas fecha­das. O núme­ro de áto­mos de car­bo­no na con­cha pode vari­ar, e por esta razão nume­ro­sas novas estru­tu­ras de car­bo­no tor­na­ram-se conhe­ci­das. Ante­ri­or­men­te, eram conhe­ci­das seis for­mas cris­ta­li­nas do ele­men­to car­bo­no, nome­a­da­men­te dois tipos de gra­fi­te, dois tipos de dia­man­te, caoit (1968) e carbono(VI) (1972). Os ful­le­re­nos for­mam-se quan­do o car­bo­no vapo­ri­za­do con­den­sa numa atmos­fe­ra de gás iner­te. Os aglo­me­ra­dos de car­bo­no podem então ser ana­li­sa­dos com espec­tro­me­tria de massa.

Em 1959 a son­da rus­sa Luna 3 foto­gra­fa­va pela pri­mei­ra vez o lado escu­ro da Lua. O objec­ti­vo da mis­são da son­da Luna 3 era for­ne­cer as pri­mei­ras ima­gens do lado escu­ro da Lua. Para con­se­guir isto, a son­da foi equi­pa­da com uma câma­ra com uma len­te de 35 mm, uma len­te de 200 mm, com aber­tu­ra de f/5.6, e outra câma­ra de 500 mm com f/9.5. A sequên­cia de ima­gens foi auto­ma­ti­ca­men­te dis­pa­ra­da quan­do a foto-célu­la da son­da Luna 3 detec­tou o lado escu­ro da Lua, o que acon­te­ceu quan­do a son­da pas­sa­va a apro­xi­ma­da­men­te 64370 qui­ló­me­tros aci­ma da super­fí­cie lunar.

Nes­ta sema­na que pas­sou foi lan­ça­do ofi­ci­al­men­te o Win­dows 11 da Micro­soft. Foca­do na expe­ri­ên­cia do uti­li­za­dor o Win­dows 11 é a nova pro­pos­ta da Micro­soft para o Desk­top do PC. Refres­can­do a inter­fa­ce já habi­tu­al do Win­dows trás um con­jun­to de aspec­tos ino­va­do­res e que de algu­ma for­ma que­bram com o pas­sa­do. Este pas­sa a ter requi­si­tos supe­ri­o­res aos do Win­dows 10 nome­a­da­men­te no espa­ço em dis­co neces­sá­rio que é de 64GB, pro­ces­sa­dor de 1 Ghz com pelo menos 2 cores, 4GB de memó­ria RAM e o sis­te­ma com capa­ci­da­de de UEFI e TPM 2.0. Tem tam­bém que supor­tar um ecrã de 9 pole­ga­das e 720p míni­mo com uma pla­ca grá­fi­ca com­pa­tí­vel com o DirectX 12 ou supe­ri­or com dri­vers WDDM 2.0.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sas noti­ci­as, arti­gos cien­tí­fi­cos, pro­je­tos de maker assim como alguns vide­os interessantes.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº335

Newsletter Nº335
News­let­ter Nº335

Faz hoje anos que nas­cia, em 1802, o quí­mi­co fran­cês Antoi­ne Jérô­me Balard. Ele des­co­briu o ele­men­to bro­mo, deter­mi­nou as suas pro­pri­e­da­des, e estu­dou alguns dos seus com­pos­tos. Mais tar­de, pro­vou a pre­sen­ça de bro­mo em plan­tas e ani­mais mari­nhos. Esta des­co­ber­ta foi um sub­pro­du­to de uma inves­ti­ga­ção quí­mi­ca mais geral sobre o mar e as suas for­mas de vida. O bro­mo tinha um peso ató­mi­co pró­xi­mo da média arit­mé­ti­ca de dois outros halo­gé­ne­os conhe­ci­dos, o clo­ro e o iodo, suge­rin­do que for­ma­vam uma “famí­lia quí­mi­ca”. Tam­bém inves­ti­gou a extrac­ção bara­ta de sais da água do mar. Des­co­briu o áci­do oxâ­mi­co, uti­li­zan­do o calor para decom­por o oxi­la­to de hidro­gé­nio de amó­nio. Estu­dou e nome­ou o álco­ol amílico.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1870, o físi­co fran­cês Jean Bap­tis­te Per­rin. Ele, nos seus estu­dos sobre o movi­men­to brow­ni­a­no de par­tí­cu­las minús­cu­las sus­pen­sas em líqui­dos, veri­fi­cou a expli­ca­ção de Albert Eins­tein sobre este fenó­me­no e con­fir­mou assim a natu­re­za ató­mi­ca da maté­ria. Uti­li­zan­do uma emul­são gam­bo­ge, Per­rin foi capaz de deter­mi­nar por um novo méto­do, uma das cons­tan­tes físi­cas mais impor­tan­tes, o núme­ro de Avo­ga­dro (o núme­ro de molé­cu­las de uma subs­tân­cia em tan­tas gra­mas como indi­ca­do pelo peso mole­cu­lar, por exem­plo, o núme­ro de molé­cu­las em duas gra­mas de hidro­gé­nio). O valor obti­do cor­res­pon­dia, den­tro dos limi­tes de erro, ao dado pela teo­ria ciné­ti­ca dos gases. Por esta con­quis­ta foi galar­do­a­do com o Pré­mio Nobel da Físi­ca em 1926.

Faz igual­men­te hoje anos que nas­cia, em 1882, o físi­co ale­mão Hans Gei­ger. Ele intro­du­ziu o con­ta­dor Gei­ger, o pri­mei­ro detec­tor de par­tí­cu­las alfa indi­vi­du­ais e outras radi­a­ções ioni­zan­tes bem suce­di­das. Após ter obti­do o seu dou­to­ra­men­to na Uni­ver­si­da­de de Erlan­gen em 1906, cola­bo­rou na Uni­ver­si­da­de de Man­ches­ter com Ernest Ruther­ford. Uti­li­zou a pri­mei­ra ver­são do seu con­ta­dor de par­tí­cu­las, e outros detec­to­res, em expe­ri­ên­ci­as que leva­ram à iden­ti­fi­ca­ção da par­tí­cu­la alfa como núcleo do áto­mo de hélio e à decla­ra­ção de Ruther­ford (1912) de que o núcleo ocu­pa um volu­me mui­to peque­no no áto­mo. O con­ta­dor Gei­ger-Mül­ler (desen­vol­vi­do com Walther Mül­ler) tinha melho­ra­do a dura­bi­li­da­de, desem­pe­nho e sen­si­bi­li­da­de para detec­tar não só par­tí­cu­las alfa mas tam­bém par­tí­cu­las beta (elec­trões) e fótons elec­tro­mag­né­ti­cos ioni­zan­tes. Gei­ger regres­sou à Ale­ma­nha em 1912 e con­ti­nu­ou a inves­ti­gar os rai­os cós­mi­cos, a radi­o­ac­ti­vi­da­de arti­fi­ci­al, e a fis­são nuclear.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1905, o físi­co inglês Nevill Fran­cis Mott. Ele par­ti­lhou (com Phi­lipW. Ander­son e John H. Van Vleck dos EUA) o Pré­mio Nobel da Físi­ca de 1977 pelas suas pes­qui­sas inde­pen­den­tes sobre as pro­pri­e­da­des mag­né­ti­cas e eléc­tri­cas dos semi­con­du­to­res amor­fos. Enquan­to as pro­pri­e­da­des eléc­tri­cas dos cris­tais são des­cri­tas pela Teo­ria da Ban­da — que com­pa­ra a con­du­ti­vi­da­de dos metais, semi­con­du­to­res, e iso­la­do­res — uma famo­sa excep­ção é for­ne­ci­da pelo óxi­do de níquel. Segun­do a teo­ria da ban­da, o óxi­do de níquel deve­ria ser um con­du­tor metá­li­co mas na rea­li­da­de é um iso­lan­te. Mott refi­nou a teo­ria para incluir a inte­rac­ção elec­trão-elec­trão e expli­cou as cha­ma­das tran­si­ções Mott, atra­vés das quais alguns metais se tor­nam iso­la­do­res à medi­da que a den­si­da­de de elec­trões dimi­nui, sepa­ran­do os áto­mos uns dos outros de algu­ma for­ma conveniente.

Faz igual­men­te hoje anos que nas­cia, em 1917, o inven­tor nor­te-ame­ri­ca­no Irving B. Kahn. Ele inven­tou o tele­promp­ter. Em mea­dos dos anos 50, Kahn con­ce­beu e cons­truiu o que foi tal­vez o pri­mei­ro sis­te­ma de pro­jec­ção tra­sei­ra con­tro­la­da remo­ta­men­te e com vári­as ima­gens no mun­do para as ins­ta­la­ções do exér­ci­to dos EUA em Hunts­vil­le, Ala., para fazer apre­sen­ta­ções per­su­a­si­vas aos con­gres­sis­tas visi­tan­tes. Com cin­co ima­gens (uma gran­de, 3¼ por 4 dia­po­si­ti­vos ou ima­gem de fil­me no cen­tro, flan­que­a­da por dia­po­si­ti­vos meno­res em cada lado) e aces­so ale­a­tó­rio, pode­ria pes­qui­sar e selec­ci­o­nar entre 500 dia­po­si­ti­vos. Tele­Promp­Ter tam­bém fez mui­tas con­tri­bui­ções tec­no­ló­gi­cas para a pri­mi­ti­va indús­tria da tele­vi­são por cabo. Em 1961, Kahn e Hub Sch­la­fley demons­tra­ram a Key TV, um con­cei­to pre­co­ce de TV paga, ao mos­trar o segun­do com­ba­te de pesos pesa­dos Pat­ter­son vs. Johans­son, dan­do essen­ci­al­men­te ori­gem a pay-per-view.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1939, o quí­mi­co fran­cês Jean-Marie Lehn. Ele par­ti­lhou (com Char­les J. Peder­sen e Donald J. Cram) o Pré­mio Nobel da Quí­mi­ca de 1987, pela sua con­tri­bui­ção para a sín­te­se labo­ra­to­ri­al de molé­cu­las que imi­tam as fun­ções quí­mi­cas vitais das molé­cu­las nos orga­nis­mos vivos. Tais molé­cu­las têm uma inte­rac­ção alta­men­te selec­ti­va e espe­cí­fi­ca da estru­tu­ra. Estas molé­cu­las podem “reco­nhe­cer-se” umas às outras e esco­lher com que outras molé­cu­las irão for­mar com­ple­xos. De bai­xo peso mole­cu­lar e com pro­pri­e­da­des mui­to espe­ci­ais, as molé­cu­las des­tes com­pos­tos ligam-se de for­ma selec­ti­va, como uma cha­ve encai­xa numa fechadura.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1943, o bioquí­mi­co ale­mão Johann Dei­se­nho­fer. Ele rece­beu o Pré­mio Nobel da Quí­mi­ca de 1988, jun­ta­men­te com Hart­mut Michel e Robert Huber, pela deter­mi­na­ção da estru­tu­ra tri­di­men­si­o­nal de cer­tas pro­teí­nas essen­ci­ais à fotos­sín­te­se. Uti­li­zan­do a cris­ta­lo­gra­fia de rai­os X (1982–85), des­ven­da­ram todos os deta­lhes de como uma pro­teí­na liga­da à mem­bra­na é cons­truí­da, reve­lan­do a estru­tu­ra do áto­mo da molé­cu­la por áto­mo. A pro­teí­na foi reti­ra­da de uma bac­té­ria que, como as plan­tas ver­des e as algas, uti­li­za a ener­gia da luz solar para cons­truir subs­tân­ci­as orgâ­ni­cas. A fotos­sín­te­se em bac­té­ri­as é mais sim­ples do que em algas e plan­tas supe­ri­o­res, mas o tra­ba­lho levou a uma mai­or com­pre­en­são da fotos­sín­te­se tam­bém nes­ses organismos.

Em 1982, H. Ross Perot e Jay Col­burn com­ple­ta­ram a pri­mei­ra cir­cum-nave­ga­ção do mun­do num heli­cóp­te­ro, o Espí­ri­to do Texas. A sua via­gem come­çou 29 dias, 3 horas, e 8 minu­tos antes, a 1 de Setem­bro. Para a sua via­gem à vol­ta do mun­do, que come­çou e ter­mi­nou em Fort Worth, Texas, Perot e Coburn pilo­ta­ram um Long Ran­ger com equi­pa­men­to de nave­ga­ção com­ple­to, equi­pa­men­to de sobre­vi­vên­cia, e arti­gos de emer­gên­cia. Foram adi­ci­o­na­dos flu­tu­a­do­res pop-out, e um tan­que de com­bus­tí­vel auxi­li­ar de 151 galões no lugar do assen­to tra­sei­ro foi uti­li­za­do para per­mi­tir ao Spi­rit of Texas voar oito horas sem rea­bas­te­ci­men­to. Um motor de tur­bi­na Alli­son 250-C28B fun­ci­o­nou sem falhas duran­te 246,5 horas de voo, voan­do mais de 10 horas por dia, sobre o mar aber­to, deser­to esté­ril, e flo­res­ta tro­pi­cal com uma velo­ci­da­de média no solo de 117 mph.

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que o heli­cóp­te­ro Inge­nuity, que se encon­tra na super­fí­cie de Mar­te, rea­li­zou um tes­te de rota­ção a alta velo­ci­da­de a 2.800 RPM no solo e que se tudo cor­res­se bem, o pas­so seguin­te seria rea­li­zar um voo de cur­ta dura­ção, pai­ran­do bre­ve­men­te sobre a loca­li­za­ção actu­al, com uma velo­ci­da­de de rotor de 2.700 RPM. No entan­to, aca­bou por ser um voo sem inci­den­tes, por­que o Inge­nuity deci­diu não levan­tar voo. O equi­pa­men­to detec­tou uma ano­ma­lia em dois dos peque­nos ser­vo­mo­to­res de con­tro­lo de voo (ou sim­ples­men­te “ser­vos”) duran­te o seu chec­kout auto­má­ti­co de pré-voo e fez exac­ta­men­te o que era supos­to fazer: Can­ce­lou o voo.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sas noti­ci­as, arti­gos cien­tí­fi­cos, pro­je­tos de maker assim como alguns vide­os inte­res­san­tes. São apre­sen­ta­das as revis­tas Mag­PI Nº110 e a HackS­pa­ce­Mag Nº47 de Outubro.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.