Newsletter Nº193

Newsletter Nº193
News­let­ter Nº193

Faz hoje anos que nas­cia, em 1911, Nor­man Hea­tley. Este bioquí­mi­co inglês resol­veu os pro­ble­mas na extrac­ção da peni­ci­li­na do seu mol­de, e abriu o cami­nho para a sua pro­du­ção em mas­sa. No Dia D da Segun­da Guer­ra Mun­di­al, os Ali­a­dos tinham um stock ade­qua­do para tra­tar os feri­dos em peri­go de infec­ções bac­te­ri­a­nas gra­ves. Embo­ra tenha sido Fle­ming quem aci­den­tal­men­te des­co­briu a peni­ci­li­na (1928), foi Hea­tley quem a tor­nou prá­ti­ca, fazen­do quan­ti­da­des sufi­ci­en­tes em 1941 para os seus pri­mei­ros tes­tes clí­ni­cos. Seu apa­ra­to incluía “baci­as” de por­ce­la­na, bate­dei­ras de lei­te e ban­de­jas de assar para cul­ti­var as bac­té­ri­as. Além dis­so, um méto­do de ensaio que ele desen­vol­veu pode­ria medir com pre­ci­são a acti­vi­da­de de uma amos­tra de peni­ci­li­na, no que ficou conhe­ci­do como “uni­da­des de Oxford”. O seu méto­do de pro­du­ção usa­va pra­tos de tor­tas, latas de bis­coi­tos e um reci­pi­en­te de por­ce­la­na ape­li­da­do de coma­dre.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1936, Robert Woo­drow Wil­son. Este rádio-astró­no­mo nor­te-ame­ri­ca­no par­ti­lhou com seu cole­ga de tra­ba­lho Arno Pen­zi­as o Pré­mio Nobel de Físi­ca de 1978 pela des­co­ber­ta da radi­a­ção cós­mi­ca de fun­do em micro-ondas usan­do uma ante­na de chi­fre de micro-ondas nos Labo­ra­tó­ri­os Bell, Holm­del, Nova Jer­sey. A sua des­co­ber­ta em 1964 é ago­ra ampla­men­te inter­pre­ta­da como sen­do a radi­a­ção rema­nes­cen­te do mode­lo “Big Bang” para a cri­a­ção do uni­ver­so há vári­os biliões de anos atrás. Wil­son con­ti­nu­ou o seu tra­ba­lho de astro­fí­si­ca com Pen­zi­as, pro­cu­ran­do por molé­cu­las inte­res­te­la­res e deter­mi­nan­do a abun­dân­cia rela­ti­va de isó­to­pos inte­res­te­la­res.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1938, Donald Knuth. Este mate­má­ti­co e cien­tis­ta da com­pu­ta­ção ficou conhe­ci­do por ter cri­a­do o sis­te­ma de com­po­si­ção de tex­to TeX, da lin­gua­gem de defi­ni­ção de fon­tes METAFONT rela­ci­o­na­da e do sis­te­ma de ren­de­ri­za­ção, e da famí­lia de fon­tes moder­nas Com­pu­ter Modern. É tam­bém conhe­ci­do por ter cri­a­do a “bíblia” dos pro­gra­ma­do­res — o TAOCP — The Art of Com­pu­ter Pro­gram­ming. Na déca­da de 1970, Knuth des­cre­veu a ciên­cia da com­pu­ta­ção como “um cam­po total­men­te novo, sem iden­ti­da­de real. E o padrão de publi­ca­ções dis­po­ní­veis não era assim tão alto. Mui­tos dos tra­ba­lhos publi­ca­dos esta­vam sim­ples­men­te erra­dos … Então, uma das minhas moti­va­ções foi para endi­rei­tar uma his­tó­ria que foi mui­to mal con­ta­da. “. Em 2011, os três pri­mei­ros volu­mes e a pri­mei­ra par­te do volu­me qua­tro de sua série foram publi­ca­dos.

Nes­ta sema­na que pas­sou está a decor­rer a CES 2019. Esta fei­ra que decor­re entre os dias 8 e 11 de Janei­ro em Las Vegas e tem cer­ca de 4500 expo­si­to­res é mar­ca­da habi­tu­al­men­te por lan­ça­men­to de pro­du­tos por par­te dos fabri­can­tes de tec­no­lo­gia e este ano não foi excep­ção.
Uma das noti­ci­as que des­ta­co é a apre­sen­ta­ção por par­te da Hyun­dai do seu vei­cu­lo pro­to­ti­po de res­pos­ta a catás­tro­fes natu­rais. O con­cei­to Ele­va­te é base­a­do numa pla­ta­for­ma EV modu­lar com a capa­ci­da­de de alter­nar dife­ren­tes cor­pos para situ­a­ções espe­cí­fi­cas. A arqui­tec­tu­ra da per­na robó­ti­ca tem cin­co graus de liber­da­de, além de moto­res de pro­pul­são e é habi­li­ta­da pelo mais recen­te em tec­no­lo­gia de actu­a­do­res eléc­tri­cos. Este pro­jec­to é exclu­si­va­men­te capaz de andar com os pas­sos dos mamí­fe­ros e rep­teis, per­mi­tin­do que ele se mova em qual­quer direc­ção.
Outra noti­cia des­ta sema­na, tam­bém vin­da da CES 2019 é a apre­sen­ta­ção por par­te da IBM do pri­mei­ro sis­te­ma de com­pu­ta­ção quân­ti­ca inte­gra­do para uso comer­ci­al. O IBM Q Sys­tem One foi pro­jec­ta­do para lidar um dia com pro­ble­mas que actu­al­men­te são con­si­de­ra­dos de natu­re­za mui­to com­ple­xa e expo­nen­ci­al para os sis­te­mas clás­si­cos. Apli­ca­ções futu­ras da com­pu­ta­ção quân­ti­ca podem incluir encon­trar novas manei­ras de mode­lar dados finan­cei­ros e iso­lar os prin­ci­pais fac­to­res de ris­co glo­bais para fazer melho­res inves­ti­men­tos, ou encon­trar o melhor cami­nho entre os sis­te­mas glo­bais para logís­ti­ca ultra-efi­ci­en­te e opti­mi­zar as ope­ra­ções de fro­ta para entre­gas.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como alguns mode­los 3D que pode­rão ser úteis.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº192

Newsletter Nº192
News­let­ter Nº192

Faz hoje anos que nas­cia, em 1823, Robert Whi­tehe­ad. Este enge­nhei­ro bri­tâ­ni­co foi res­pon­sá­vel pela inven­ção do tor­pe­do moder­no. O seu pri­mei­ro tor­pe­do não tinha velo­ci­da­de nem alcan­ce. No entan­to, em 1870 ele con­se­guiu aumen­tar a sua velo­ci­da­de para 7 nós e ago­ra con­se­guia atin­gir um alvo a cer­ca de 600 metros de dis­tân­cia. No ano seguin­te, a mari­nha bri­tâ­ni­ca com­prou a inven­ção de Whi­tehe­ad. Embo­ra um tor­pe­do de mas­tro, uma car­ga liga­da a um lon­go mas­tro e car­re­ga­do por um peque­no bar­co, tives­se sido usa­do duran­te a Guer­ra Civil Ame­ri­ca­na, Robert Whi­tehe­ad foi o pri­mei­ro a pro­du­zir um tor­pe­do auto-pro­pul­si­o­na­do. O tor­pe­do de Whi­tehe­ad era impul­si­o­na­do por um motor de ar com­pri­mi­do, car­re­ga­do com 8 qui­los de dina­mi­te. A sua carac­te­rís­ti­ca mais impor­tan­te era um dis­po­si­ti­vo auto-regu­la­dor que man­ti­nha o tor­pe­do a uma pro­fun­di­da­de pre­de­fi­ni­da cons­tan­te. Edi­son fez um fil­me de um lan­ça­men­to de tor­pe­do de Whi­tehe­ad (1900).

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1906, Wil­li­am Wil­son Mor­gan. Este astró­no­mo nor­te-ame­ri­ca­no, em 1951, for­ne­ceu a pri­mei­ra evi­dên­cia de que a galá­xia da Via Lác­tea pos­sui bra­ços espi­rais. Ele pas­sou toda a sua car­rei­ra no Obser­va­tó­rio Yer­kes, incluin­do três anos como direc­tor. Evi­tan­do a teo­ria, sua pes­qui­sa foi dedi­ca­da à mor­fo­lo­gia, a clas­si­fi­ca­ção dos obje­tos por sua for­ma e estru­tu­ra. Com Kee­nan e Kell­man, ele intro­du­ziu clas­ses de lumi­no­si­da­de este­lar e a clas­si­fi­ca­ção bidi­men­si­o­nal de espec­tros este­la­res estri­ta­men­te base­a­da nos pró­pri­os espec­tros. Com Oster­brock e Shar­pless, ele demons­trou a exis­tên­cia de bra­ços espi­rais na Galá­xia usan­do dis­tân­ci­as pre­ci­sas de estre­las O e B obti­das a par­tir de clas­si­fi­ca­ções espec­trais. Mor­gan inven­tou o sis­te­ma UBV de mag­ni­tu­des e cores.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1929, Gor­don Moo­re. Este enge­nhei­ro nor­te-ame­ri­ca­no ficou conhe­ci­do por ser co-fun­da­dor e pre­si­den­te da Intel. Ten­do come­ça­do a sua car­rei­ra na Shoc­kley Semi­con­duc­tor Labo­ra­tory pas­sou pela Fair­child Semi­con­duc­tor Labo­ra­tory e por fim, em 1968 fun­dou com Robert Noy­ce a NM Elec­tro­nics que mais tar­de se cha­ma­ria de Intel Cor­po­ra­ti­on. Foi ele que enun­ci­ou num paper que publi­cou a famo­sa Lei de Moo­re. Esta defi­nia que o núme­ro de tran­sís­to­res dos chips teria um aumen­to de 100%, pelo mes­mo cus­to, a cada perío­do de 18 meses. Como o cus­to do com­pu­ta­dor para o con­su­mi­dor cai, o cus­to para os pro­du­to­res cum­pri­rem a lei de Moo­re segue uma ten­dên­cia opos­ta: os cus­tos de R & D, manu­fa­tu­ra e tes­te aumen­ta­ram de for­ma cons­tan­te com cada nova gera­ção de chips. O aumen­to dos cus­tos de fabri­ca­ção é uma con­si­de­ra­ção impor­tan­te para a sus­ten­ta­ção da lei de Moo­re. Isto levou à for­mu­la­ção da segun­da lei de Moo­re, tam­bém cha­ma­da de lei de Rock, segun­do a qual o cus­to de capi­tal de uma fábri­ca de semi­con­du­to­res tam­bém aumen­ta expo­nen­ci­al­men­te ao lon­go do tem­po.

Nes­ta sema­na que pas­sou a NASA infor­mou que às 14h43 EST em 31 de Dezem­bro, enquan­to mui­tos na Ter­ra se pre­pa­ra­vam para rece­ber o Ano Novo, a nave espa­ci­al OSI­RIS-REx da NASA, a 110 milhões de qui­ló­me­tros de dis­tân­cia, rea­li­zou uma quei­ma de oito segun­dos de seus pro­pul­so­res — e bateu um recor­de da explo­ra­ção espa­ci­al. A nave entrou em órbi­ta ao redor do aste­roi­de Ben­nu e trans­for­mou Ben­nu no menor obje­to a ser orbi­ta­do por uma nave. O gran­de objec­ti­vo des­ta mis­são é reco­lher amos­tras do aste­roi­de e tra­zê-las para a Ter­ra.

Esta quin­ta-fei­ra a Chi­na tor­nou-se no pri­mei­ro país a ater­rar uma son­da no lado mais afas­ta­do da Lua, a Chang’e-4, infor­mou a tele­vi­são esta­tal. A son­da com o nome da deu­sa chi­ne­sa da Lua, pou­sou no saté­li­te natu­ral da Ter­ra, na cra­te­ra Von Kár­mán às 03:26 de Lis­boa. A son­da per­ma­ne­ce­rá esta­ci­o­ná­ria na super­fí­cie em uma região conhe­ci­da como bacia do Pólo Sul – Ait­ken. No entan­to, ela tam­bém car­re­ga um rover de seis rodas que os cien­tis­tas chi­ne­ses usa­rão para explo­rar o outro lado da lua. O rover mede 1 metro de diâ­me­tro e pesa 140 kg, sig­ni­fi­ca­ti­va­men­te menor do que o Curi­o­sity da NASA, base­a­do em Mar­te. O tem­po de vida espe­ra­do do pro­je­to é de três meses, e o obje­ti­vo é veri­fi­car o cres­ci­men­to de plan­tas e cap­tar sinais de radi­o­frequên­cia, nor­mal­men­te blo­que­a­dos pela atmos­fe­ra ter­res­tre.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como alguns mode­los 3D que pode­rão ser úteis.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº191

Newsletter Nº191
News­let­ter Nº191

Faz hoje anos que nas­cia, em 1571, Johan­nes Kepler). Este astró­no­mo ale­mão for­mu­lou as três leis prin­ci­pais do movi­men­to pla­ne­tá­rio que per­mi­ti­ram a Isa­ac New­ton con­ce­ber a lei da gra­vi­ta­ção. A tra­ba­lhar a par­tir das posi­ções cui­da­do­sa­men­te medi­das dos pla­ne­tas regis­ta­das por Tycho Brahe, Kepler dedu­ziu mate­ma­ti­ca­men­te três rela­ções a par­tir dos dados: (1) os pla­ne­tas movem-se em órbi­tas elíp­ti­cas com o Sol num foco; (2) o vetor do raio per­cor­re áre­as iguais em tem­pos iguais; e (3) para dois pla­ne­tas, os qua­dra­dos de seus perío­dos são pro­por­ci­o­nais aos cubos de suas dis­tân­ci­as médi­as ao sol. Kepler suge­riu que as marés eram cau­sa­das pela atra­ção da lua. Ele acre­di­ta­va que o uni­ver­so era gover­na­do por regras mate­má­ti­cas, mas reco­nhe­cia a impor­tân­cia da veri­fi­ca­ção expe­ri­men­tal.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1654, Jacob Ber­noul­li. Este mate­má­ti­co e astró­no­mo suí­ço foi um dos pri­mei­ros a uti­li­zar ple­na­men­te o cál­cu­lo dife­ren­ci­al e intro­du­ziu o ter­mo inte­gral no cál­cu­lo inte­gral. As pri­mei­ras con­tri­bui­ções impor­tan­tes de Jacob Ber­noul­li foram um pan­fle­to sobre os para­le­los da lógi­ca e da álge­bra (1685), o tra­ba­lho sobre a pro­ba­bi­li­da­de em 1685 e a geo­me­tria em 1687. O seu resul­ta­do de geo­me­tria deu uma cons­tru­ção para divi­dir qual­quer tri­ân­gu­lo em qua­tro par­tes iguais com duas linhas per­pen­di­cu­la­res. Em 1689, ele publi­cou impor­tan­tes tra­ba­lhos sobre séri­es infi­ni­tas e publi­cou sua lei de gran­des núme­ros na teo­ria das pro­ba­bi­li­da­des. Ele publi­cou cin­co tra­ta­dos sobre séri­es infi­ni­tas (1682 — 1704). Jacob ficou intri­ga­do com a espi­ral loga­rít­mi­ca e pediu que fos­se escul­pi­da na sua lápi­de. Ele foi o pri­mei­ro da famí­lia de mate­má­ti­cos Ber­noul­li e irmão de Johann Ber­noul­li.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1773, Geor­ge Cay­ley. Este pio­nei­ro aero­náu­ti­co inglês cons­truiu o pri­mei­ro pla­na­dor bem suce­di­do de trans­por­te huma­no (1853). Ele fez exten­sos estu­dos ana­tó­mi­cos e fun­ci­o­nais do vôo das aves. Medin­do as mas­sas mus­cu­la­res de aves e huma­nos, ele per­ce­beu que seria impos­sí­vel para os huma­nos amar­ra­rem um par de asas e ele­va­rem-se no ar. Os seus estu­dos pos­te­ri­o­res sobre os prin­cí­pi­os de sus­ten­ta­ção, resis­tên­cia e impul­so fun­da­ram a ciên­cia da aero­di­nâ­mi­ca da qual ele des­co­briu que as aero­na­ves esta­bi­li­za­do­ras exi­gi­am lemes tra­sei­ros ver­ti­cais e hori­zon­tais, que as asas côn­ca­vas pro­du­zi­am mais sus­ten­ta­ção do que super­fí­ci­es pla­nas e que as asas arras­ta­das pro­por­ci­o­na­vam mai­or esta­bi­li­da­de. Cay­ley tam­bém inven­tou o tra­tor de lagar­tas (1825), sinais auto­má­ti­cos de tra­ves­sia de fer­ro­vi­as, botes sal­va-vidas de auto-direc­ção e um motor de ar de expan­são (ar quen­te).

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1822, Louis Pas­teur. Este Quí­mi­co fran­cês é con­si­de­ra­do o fun­da­dor da micro­bi­o­lo­gia. Ele come­çou como quí­mi­co tra­ba­lhan­do nas pro­pri­e­da­des ópti­cas do áci­do tar­tá­ri­co e sua este­re­oquí­mi­ca (1849). Ele mudou-se para a micro­bi­o­lo­gia quan­do des­co­briu o papel das bac­té­ri­as na fer­men­ta­ção — que eram micror­ga­nis­mos na leve­du­ra cau­san­do a for­ma­ção de álco­ol a par­tir do açú­car — e pro­vou que o cres­ci­men­to de micro-orga­nis­mos não era gera­do espon­ta­ne­a­men­te a par­tir de maté­ria não-viva. Isto levou à com­pre­en­são da teo­ria do ger­me da infec­ção e ao seu méto­do de matar bac­té­ri­as noci­vas em líqui­dos, man­ten­do-as por um tem­po a uma dada tem­pe­ra­tu­ra, que ago­ra é conhe­ci­da como pas­teu­ri­za­ção. Ele cri­ou e tes­tou vaci­nas para dif­te­ria, cóle­ra, febre ama­re­la, pes­te, rai­va, antraz e tuber­cu­lo­se.

Nes­ta sema­na que pas­sou foi lan­ça­do o Ker­nel 4.20 do Linux. Linus Tor­valds, depois da sua sabá­ti­ca vol­ta aos coman­dos do Ker­nel Linux e 350.000 novas linhas de códi­go depois as novi­da­des são mui­tas. Des­de logo a remo­çao do con­tro­ver­so algo­rit­mo de cifra Speck da NSA, adi­ci­o­nan­do e melho­ran­do o supor­te a grá­fi­cos, CPUs e outros hardwa­res. Supor­te para AMD Picas­so e Raven 2 APU, Qual­comm Snap­dra­gon 835, melho­ri­as nos grá­fi­cos do Intel Ice­la­ke “Gen 11”. Tam­bém são intro­du­zi­dos alguns “fixes” para o pro­ble­ma do ano 2038 que é o ano em que o nume­ro de segun­dos des­de 1 Janei­ro de 1970 se esgo­ta (e vol­ta a zero) nos sis­te­mas de 32-bits.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como um mode­lo 3D que pode­rá ser útil. É apre­sen­ta­do o livro “Tea­ch Your­self Logic 2017: A Study Gui­de”.

Estan­do a pou­cos dias do final do ano res­ta-me dese­jar a todos em meu nome e em nome do altLab votos de um exce­len­te ano de 2019 com mui­tos pro­je­tos DIY!

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº190

Newsletter Nº190
News­let­ter Nº190

Faz hoje anos que nas­cia, em 1868, Har­vey S. Fires­to­ne. Ele foi um indus­tri­al nor­te-ame­ri­ca­no que desen­vol­veu pneus pneu­má­ti­cos rec­ti­lí­ne­os usa­dos nos mode­los T Fords. No seu iní­cio de car­rei­ra, a par­tir de 1893, ganha­va a vida ven­den­do bug­gi­es em Detroit, Michi­gan. Pos­te­ri­or­men­te, mudou-se para Akron, Ohio, e fun­dou a Fires­to­ne Tire and Rub­ber Com­pany em 1900. O seu suces­so cres­ceu quan­do, em 1906, jun­tou-se a Henry Ford para for­ne­cer pneus para seus popu­la­res car­ros Mode­lo T. No final dos anos 1930, qua­se um quar­to de todos os pneus usa­dos nos Esta­dos Uni­dos eram fabri­ca­dos pela Fires­to­ne. As suas ino­va­ções na indús­tria muda­ram o design e a pro­du­ção de pneus, incluin­do ban­de­jas anti­der­ra­pan­tes, pneus de balão de bai­xa pres­são e pneus de tra­to­res agrí­co­las.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1890, Jaros­lav Hey­rovský. Este Quí­mi­co che­cos­lo­va­co rece­beu o Pré­mio Nobel da Quí­mi­ca de 1959 “pela sua des­co­ber­ta e desen­vol­vi­men­to dos méto­dos de aná­li­se pola­ro­grá­fi­ca” (1922), que é uma das téc­ni­cas ana­lí­ti­cas mais ver­sá­teis. Apli­ca-se o prin­cí­pio de que na elec­tró­li­se os iões são des­car­re­ga­dos num eléc­tro­do e, se o eléc­tro­do for peque­no, a cor­ren­te pode ser limi­ta­da pela taxa de movi­men­to de iões para a super­fí­cie do elé­tro­do. Na pola­ro­gra­fia, o cáto­do é uma peque­na gota de mer­cú­rio (cons­tan­te­men­te a for­mar-se e cain­do para man­ter a super­fí­cie lim­pa). A ten­são é aumen­ta­da len­ta­men­te e a cor­ren­te é tra­ça­da con­tra a ten­são. A cor­ren­te aumen­ta em eta­pas, cada uma cor­res­pon­den­do a um tipo par­ti­cu­lar de ião posi­ti­vo na solu­ção. A altu­ra das eta­pas indi­ca a con­cen­tra­ção do ião.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1901, Robert J. Van de Gra­aff. Este Físi­co nor­te- ame­ri­ca­no é o inven­tor do gera­dor Van de Gra­aff, um tipo de gera­dor elec­tros­tá­ti­co de alta ten­são que pode ser usa­do como ace­le­ra­dor de par­tí­cu­las em pes­qui­sa ató­mi­ca. As dife­ren­ças de poten­ci­al alcan­ça­das nos moder­nos gera­do­res Van de Gra­aff podem ser de até 5 MV. É um prin­cí­pio de cam­pos eléc­tri­cos que car­gas em uma super­fí­cie podem sal­tar em pon­tos onde a cur­va­tu­ra é gran­de, isto é, onde o raio é peque­no. Assim, uma cúpu­la de gran­de raio ini­be a des­car­ga eléc­tri­ca e a car­ga adi­ci­o­nal pode atin­gir uma alta ten­são. Este gera­dor tem sido usa­do em apli­ca­ções médi­cas (como pro­du­ção de rai­os X de alta ener­gia) e indus­tri­ais (este­ri­li­za­ção de ali­men­tos). Na déca­da de 1950, Van de Gra­aff inven­tou o trans­for­ma­dor de núcleo iso­lan­te capaz de pro­du­zir cor­ren­te con­tí­nua de alta ten­são.

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que a NASA colo­cou na super­fí­cie de Mar­te o pri­mei­ro ins­tru­men­to a par­tir da son­da InSight com­ple­tan­do uma miles­to­ne mui­to impor­tan­te. Novas ima­gens da son­da mos­tram o sis­mó­gra­fo no chão, sua cober­tu­ra cor de cobre leve­men­te ilu­mi­na­da no cre­pús­cu­lo mar­ci­a­no. Pare­ce que tudo está cal­mo e tudo é bri­lhan­te para a InSight a cami­nho do final do ano.

Tam­bém esta sema­na Elon Musk reve­la túnel da Boring Com­pany, pro­me­ten­do uma nova era no trans­por­te de alta velo­ci­da­de. Com um Tes­la Model X modi­fi­ca­do atra­ves­san­do um túnel da Boring Com­pany na noi­te de ter­ça-fei­ra, Elon Musk mos­trou a visão de um sis­te­ma de túneis de alta velo­ci­da­de que acre­di­ta poder ali­vi­ar o con­ges­ti­o­na­men­to e revo­lu­ci­o­nar a manei­ra como milhões de pas­sa­gei­ros cir­cu­lam pelas cida­des.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como alguns mode­los 3D que pode­rão ser úteis. É apre­sen­ta­da a revis­ta Mag­PI nº 77 Dezem­bro, a revis­ta Hacks­pa­ce Nº14, o livro “The Offi­ci­al Rasp­ber­ry Pi Beginner’s Gui­de” e o livro “Makers­pa­ce Play­bo­ok — Scho­ol Edi­ti­on”.

Estan­do em ple­na épo­ca nata­lí­cia res­ta-me dese­jar a todos em meu nome e em nome do altLab votos de um exce­len­te Natal com mui­tas pren­das no sapa­ti­nho.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº189

Newsletter Nº189
News­let­ter Nº189

Faz hoje anos que nas­cia, em 1780, Johann Wolf­gang Döbe­rei­ner. Este Quí­mi­co ale­mão foi res­pon­sá­vel pela obser­va­ção (1829) de que quan­do cer­tas tría­des de ele­men­tos esta­vam dis­pos­tas em ordem cres­cen­te de mas­sa ató­mi­ca, a mas­sa do mem­bro cen­tral era apro­xi­ma­da­men­te a média das outras duas, e inter­me­diá­ria em pro­pri­e­da­des quí­mi­cas entre os outros dois ele­men­tos. As tría­des ago­ra são encon­tra­das como mem­bros con­se­cu­ti­vos dos gru­pos da tabe­la perió­di­ca. Por exem­plo, o peso ató­mi­co do bro­mo (80.970) foi a média arit­mé­ti­ca dos pesos ató­mi­cos do clo­ro (35.470) e do iodo (126.470) e as pro­pri­e­da­des dos três ele­men­tos vari­a­ram de manei­ra orde­na­da, do clo­ro ao bro­mo e ao iodo. Döbe­rei­ner encon­trou outras duas “tría­des” — cál­cio, estrôn­cio, bário; e enxo­fre, selé­nio, telú­rio. Ele foi um dos pri­mei­ros quí­mi­cos a ofe­re­cer ins­tru­ções de labo­ra­tó­rio em quí­mi­ca. Ele estu­dou quí­mi­ca geral, far­ma­cêu­ti­ca e ana­lí­ti­ca. Além dis­so, ele inven­tou uma lâm­pa­da na qual o hidro­gé­nio se infla­ma­va em con­tac­to com uma espon­ja de pla­ti­na (1823). Embo­ra a lâm­pa­da tives­se apli­ca­ção limi­ta­da, Döbe­rei­ner esta­va inte­res­sa­do em catá­li­se em geral. Ele des­co­briu a acção cata­lí­ti­ca do dió­xi­do de man­ga­nês na decom­po­si­ção do clo­ra­to de potás­sio.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1816, Wer­ner von Sie­mens. Este enge­nhei­ro elec­tro­téc­ni­co ale­mão desem­pe­nhou um papel impor­tan­te na ori­gem da indús­tria eléc­tri­ca moder­na. Sie­mens com­bi­nou sua habi­li­da­de como inven­tor de suces­so e empre­en­de­dor come­çan­do com sua fir­ma, a Sie­mens & Hals­ke. O seu pri­mei­ro tra­ba­lho foi na indús­tria tele­grá­fi­ca, cons­truin­do a pri­mei­ra linha tele­grá­fi­ca impor­tan­te da Ale­ma­nha, depois outras na Euro­pa e na Ásia. A empre­sa que ele expan­diu-se mais ampla­men­te para a tec­no­lo­gia eléc­tri­ca tor­nou-se a actu­al empre­sa mul­ti­na­ci­o­nal da Sie­mens. O seu nome de nas­ci­men­to era Ernst Wer­ner Sie­mens, até eno­bre­cer como Wer­ner von Sie­mens.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, 1844, John Henry Pat­ter­son. Este Fabri­can­te nor­te-ame­ri­ca­no fun­dou a NCR (Nati­o­nal Cash Regis­ter Co.) e aju­dou a popu­la­ri­zar a moder­na cai­xa regis­ta­do­ra por meio de téc­ni­cas de ven­das agres­si­vas e ino­va­do­ras. Na déca­da de 1870, quan­do ele e seu irmão Frank esta­be­le­ce­ram um negó­cio de suces­so ven­den­do car­vão e supri­men­tos de minei­ros, as ven­das não regis­ta­das eram um pro­ble­ma. Depois de ler uma des­cri­ção da cai­xa regis­ta­do­ra pro­je­ta­da por James Ritty e ven­di­da pela Nati­o­nal Manu­fac­tu­ring Com­pany em Day­ton, John enco­men­dou duas, sem ser vis­ta. Em seis meses eles redu­zi­ram sua dívi­da de US $ 16.000 para US $ 3.000 e os livros mos­tra­ram um lucro de US $ 5.000. Essas máqui­nas moder­nas tinham resol­vi­do os anti­gos pro­ble­mas de desor­ga­ni­za­ção e deso­nes­ti­da­de. Pat­ter­son ficou tão impres­si­o­na­do que ele com­prou a empre­sa.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1910, Char­les Coul­son. Este quí­mi­co teó­ri­co bri­tâ­ni­co foi conhe­ci­do pela apli­ca­ção da teo­ria orbi­tal mole­cu­lar à liga­ção quí­mi­ca, às estru­tu­ras elec­tró­ni­cas de molé­cu­las e ao con­cei­to de valên­cia par­ci­al. Ele desen­vol­veu mui­tas téc­ni­cas mate­má­ti­cas para resol­ver pro­ble­mas quí­mi­cos e físi­cos. A sua teo­ria orbi­tal mole­cu­lar tra­ta uma molé­cu­la como um todo e esten­de a teo­ria quân­ti­ca ató­mi­ca com esta­dos “per­mi­ti­dos” de elec­trões asso­ci­a­dos a dois ou mais núcle­os ató­mi­cos. Com essa abor­da­gem, ele expli­cou a estru­tu­ra do ben­ze­no e outros sis­te­mas con­ju­ga­dos, e usan­do o que ele cha­mou de valên­cia par­ci­al, ele des­cre­veu a liga­ção em com­pos­tos como o dibo­ra­no. Depois de escre­ver sobre Waves (1941) e Elec­tri­city (1941), o seu livro Valen­ce (1952) foi alta­men­te influ­en­te. Ele tam­bém escre­veu sobre con­ci­li­ar visões cien­tí­fi­cas e reli­gi­o­sas, acre­di­tan­do que a fé reli­gi­o­sa era essen­ci­al na bus­ca da ciên­cia.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1923, Phi­lip War­ren Ander­son. Este físi­co nor­te-ame­ri­ca­no par­ti­lhou (com John H. Van Vleck e Sir Nevill F. Mott) o Prê­mio Nobel de Físi­ca de 1977 pelas suas pes­qui­sas sobre semi­con­du­to­res, super­con­du­ti­vi­da­de e mag­ne­tis­mo. Ele fez con­tri­bui­ções para o estu­do da físi­ca do esta­do sóli­do e a pes­qui­sa sobre inte­rac­ções mole­cu­la­res foi faci­li­ta­da pelo seu tra­ba­lho na espec­tros­co­pia de gases. Ele con­ce­beu um mode­lo (conhe­ci­do como o mode­lo de Ander­son) para des­cre­ver o que acon­te­ce quan­do um áto­mo de impu­re­za está pre­sen­te em um metal. Ele tam­bém inves­ti­gou mag­ne­tis­mo e super­con­du­ti­vi­da­de, e seu tra­ba­lho é de fun­da­men­tal impor­tân­cia para a moder­na elec­tró­ni­ca de esta­do sóli­do, pos­si­bi­li­tan­do o desen­vol­vi­men­to de dis­po­si­ti­vos de memó­ria e comu­ta­ção elec­tró­ni­ca de bai­xo cus­to em com­pu­ta­do­res.

E nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que o Homem con­se­guiu colo­car um segun­do objec­to no espa­ço entre estre­las. Tra­ta-se da Voya­ger 2 da NASA. A Voya­ger 2 está ago­ra a pou­co mais de 18 biliões de qui­ló­me­tros da Ter­ra. Os ope­ra­do­res da mis­são ain­da podem comu­ni­car com a Voya­ger 2 ao entrar nes­ta nova fase de sua jor­na­da, mas a infor­ma­ção — moven­do-se à velo­ci­da­de da luz — leva cer­ca de 16,5 horas para via­jar da son­da para a Ter­ra. Em com­pa­ra­ção, a luz emi­ti­da pelo Sol leva cer­ca de oito minu­tos para che­gar à Ter­ra.

Tam­bém esta sema­na ficá­mos a saber que his­tó­ria foi fei­ta e um sonho há mui­to espe­ra­do foi rea­li­za­do em Moja­ve, CA, com a Spa­ceShipTwo da Vir­gin Galac­tic. Este não é o pri­mei­ro voo espa­ci­al com huma­nos a ser lan­ça­do a par­tir de solo ame­ri­ca­no des­de a mis­são final do Spa­ce Shut­tle em 2011, mas a pri­mei­ra vez que um veí­cu­lo tri­pu­la­do cons­truí­do para ser­vi­ço comer­ci­al de pas­sa­gei­ros che­gou ao espa­ço.

Ain­da esta sema­na ficá­mos tam­bém a saber que a son­da chi­ne­sa Chang’e-4 entrou na orbi­ta da Lua. Se a mis­são for bem suce­di­da, esta son­da será a pri­mei­ra a ater­rar e a explo­rar o cha­ma­do “lado negro da Lua”. Ela irá per­cor­rer a super­fí­cie lunar, exa­mi­na­rá a com­po­si­ção da Lua.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como um mode­lo 3D que pode­rá ser útil. É apre­sen­ta­da a revis­ta newe­lec­tro­nics de 11 de Dezem­bro e o livro “Book of Scrat­ch”.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.