Newsletter Nº211

Newsletter Nº211
News­let­ter Nº211

Faz hoje anos que nas­cia, em 1763, Louis Nico­las Vau­que­lin. Este quí­mi­co fran­cês ficou conhe­ci­do por ter des­co­ber­to os ele­men­tos cró­mio (1797) e berí­lio (1798).

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1821, Paf­nuty Chebyshev. Este mate­má­ti­co rus­so fun­dou a esco­la mate­má­ti­ca de São Peters­bur­go, e que é lem­bra­do prin­ci­pal­men­te pelo seu tra­ba­lho sobre a teo­ria dos núme­ros pri­mos, incluin­do a deter­mi­na­ção do núme­ro de pri­mos não exce­den­do um deter­mi­na­do núme­ro. Ele escre­veu sobre mui­tos assun­tos, incluin­do a teo­ria das con­gruên­ci­as em 1849, teo­ria da pro­ba­bi­li­da­de, for­mas qua­drá­ti­cas, fun­ções orto­go­nais, a teo­ria das inte­grais, a cons­tru­ção de mapas e o cál­cu­lo de volu­mes geo­mé­tri­cos. Chebyshev tam­bém esta­va inte­res­sa­do em mecâ­ni­ca e estu­dou os pro­ble­mas envol­vi­dos na con­ver­são de movi­men­to rota­ti­vo em movi­men­to rec­ti­lí­neo por aco­pla­men­to mecâ­ni­co. O movi­men­to para­le­lo de Chebyshev é for­ma­do por três bar­ras inter­li­ga­das, apro­xi­man­do-se do movi­men­to rec­ti­lí­neo.

Faz igual­men­te hoje anos que nas­cia, em 1831, David Edward Hughes. Este inven­tor anglo-ame­ri­ca­no do micro­fo­ne de car­bo­no, que foi uma con­tri­bui­ção sig­ni­fi­ca­ti­va para a tele­fo­nia. A sua famí­lia emi­grou para os EUA quan­do ele tinha sete anos. Em 1855, foi-lhe atri­buí­da uma paten­te dos EUA para o pri­mei­ro sis­te­ma de telé­gra­fo impres­so de tex­to no envio e na recep­ção, com um códi­go alfa­bé­ti­co espe­ci­al, con­for­me exi­gi­do pelo códi­go Mor­se. Foi pro­du­zi­do antes mes­mo que a máqui­na de escre­ver fos­se inven­ta­da. Além dis­so, o micro­fo­ne de con­tac­to sol­to da Hughes, inven­ta­do em 1878, foi o pre­cur­sor dos vári­os micro­fo­nes de car­bo­no actu­al­men­te em uso. Ele tam­bém inven­tou o equi­lí­brio de indu­ção e tra­ba­lhou com a teo­ria do mag­ne­tis­mo.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1861, Irving Wight­man Col­burn. Este inven­tor e fabri­can­te nor­te-ame­ri­ca­no é res­pon­sá­vel pela cri­a­ção do pro­ces­so de fabri­ca­ção de folhas con­tí­nu­as de vidro pla­no que tor­nou pos­sí­vel a pro­du­ção em mas­sa de vidro para jane­las. Col­burn come­çou suas expe­ri­ên­ci­as em 1899, que resul­ta­ram na sua paten­te para uma máqui­na de dese­nho de cha­pa de vidro em 25 de mar­ço de 1902. Ele for­mou a Col­burn Machi­ne Glass Co. em Agos­to de 1906, ins­ta­lou máqui­nas de dese­nho em duas fábri­cas em 1908, mas faliu em 1911 antes da tec­no­lo­gia ser aper­fei­ço­a­da. A Tole­do Glass Com­pany com­prou as paten­tes de Col­burn em 1912 e con­tra­tou-o logo de segui­da. Ele come­çou a refi­nar o pro­ces­so na fábri­ca expe­ri­men­tal da Tole­do Glass, onde o seu pri­mei­ro dese­nho de folhas de vidro ocor­reu a 25 de Novem­bro de 1913. Pos­te­ri­or­men­te, a empre­sa foi orga­ni­za­da como a Lib­bey-Owens She­et Glass Com­pany em 1916. Col­burn mor­reu no ano seguin­te antes de poder ver o suces­so total do seu pro­ces­so.

Faz igual­men­te hoje anos que nas­cia, em 1934, Roy Kerr. Este mate­má­ti­co neo­ze­lan­dês resol­veu (1963) as equa­ções de cam­po da rela­ti­vi­da­de geral de Eins­tein para des­cre­ver os bura­cos negros rota­ti­vos, for­ne­cen­do assim uma impor­tan­te con­tri­bui­ção para o cam­po da astro­fí­si­ca. Ele dedu­ziu uma famí­lia úni­ca de solu­ções de dois parâ­me­tros que des­cre­ve o espa­ço-tem­po em tor­no dos bura­cos negros em Julho de 1963. Os dois parâ­me­tros são a mas­sa do bura­co negro e o momen­to angu­lar do bura­co negro. (A solu­ção está­ti­ca, com momen­to angu­lar zero, foi des­co­ber­ta por Karl Schwarzs­child em Dezem­bro de 1915.) Os bura­cos negros rota­ti­vos são fre­quen­te­men­te cha­ma­dos de Bura­cos Negros de Kerr. Ele mos­trou que exis­te uma região seme­lhan­te a um vór­ti­ce fora do hori­zon­te de even­tos, cha­ma­da de região ergo, que arras­ta o espa­ço e o tem­po com o bura­co negro em rota­ção.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1950, Georg Bed­norz. Este Físi­co ale­mão par­ti­lhou o Pré­mio Nobel de Físi­ca de 1987 (com Karl Alex Mül­ler) pela des­co­ber­ta con­jun­ta de super­con­du­ti­vi­da­de numa nova clas­se de mate­ri­ais a tem­pe­ra­tu­ras mais altas do que se pen­sa­va ante­ri­or­men­te. Eles sur­pre­en­de­ram o mun­do apre­sen­tan­do a super­con­du­ti­vi­da­de num mate­ri­al cerâ­mi­co em cama­das a uma tem­pe­ra­tu­ra de 33 Kel­vin (33 graus aci­ma do zero abso­lu­to, ou cer­ca de -460 graus Fah­re­nheit). A sua des­co­ber­ta desen­ca­de­ou uma ava­lan­che de pes­qui­sas em todo o mun­do sobre mate­ri­ais rela­ci­o­na­dos que ren­de­ram deze­nas de novos super-con­du­to­res, che­gan­do a uma tem­pe­ra­tu­ra de tran­si­ção de 135 Kel­vin. Hoje, ele desen­vol­ve com­pos­tos de óxi­dos com­ple­xos com novas estru­tu­ras de cris­tal para pos­sí­veis usos em micro-elec­tró­ni­ca.

Nes­ta sema­na que pas­sou foi tor­na­da publi­ca mais uma falha de segu­ran­ça que afec­ta qua­se todos os pro­ces­sa­do­res da Intel des­de 2011. “Zom­bi­e­Lo­ad”, como é cha­ma­do, é um ata­que de canal late­ral pos­sí­vel nos chips da Intel, per­mi­tin­do que os hac­kers explo­rem efec­ti­va­men­te falhas de dese­nho em vez de injec­tar códi­go mali­ci­o­so. A Intel infor­mou que o Zom­bi­e­Lo­ad é com­pos­to de qua­tro bugs, que os inves­ti­ga­do­res repor­ta­ram ao fabri­can­te de chips há ape­nas um mês. Qua­se todos os com­pu­ta­do­res com chips da Intel data­dos de 2011 são afec­ta­dos pelas vul­ne­ra­bi­li­da­des.

Tam­bém esta sema­na ficá­mos a saber que o MRO da NASA con­cluiu 60.000 via­gens em tor­no de Mar­te. O Mars Recon­nais­san­ce Orbi­ter da NASA entrou em órbi­ta a 10 de Mar­ço de 2006, e tem reco­lhi­do infor­ma­ção diá­ria sobre a super­fí­cie e a atmos­fe­ra do pla­ne­ta, incluin­do visu­a­li­za­ções deta­lha­das com sua câma­ra de expe­ri­ên­ci­as cien­tí­fi­cas de ima­gens de alta reso­lu­ção (HiRI­SE). O HiRI­SE é pode­ro­so o sufi­ci­en­te para ver carac­te­rís­ti­cas da super­fí­cie do tama­nho de uma mesa de jan­tar a cer­ca de 480 qui­ló­me­tros aci­ma da super­fí­cie.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como um mode­lo 3D que pode­rá ser útil. É apre­sen­ta­da a revis­ta newe­lec­tro­nics de 14 de Maio, um livro sobre Kotlin e outro livro sobre Python.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº210

Newsletter Nº210
News­let­ter Nº210

Foi no lon­gín­quo dia 5 de Maio de 2015 que esta aven­tu­ra come­çou… e já se pas­sa­ram 4 anos. A news­let­ter do altLab está de para­béns. Tem sido uma jor­na­da inte­res­san­te e que tem tra­zi­do a este espa­ço um con­jun­to mui­to inte­res­san­te de infor­ma­ção seja ela de cariz Cientifico/Tecnológico ou pro­jec­tos curi­o­sos que estão publi­ca­dos na Inter­net, pas­san­do pelos e-books ou e-maga­zi­nes que estão dis­po­ní­veis gra­tui­ta­men­te para todos. Para já o for­ma­to da news­let­ter irá man­ter-se. Have­rá algu­mas mudan­ças que futu­ra­men­te reve­la­rei.

Faz hoje anos que nas­cia, em 1746, Gas­pard Mon­ge. Este Mate­má­ti­co fran­cês ficou conhe­ci­do pela sua ela­bo­ra­ção da geo­me­tria des­cri­ti­va. Embo­ra fos­se filho de um comer­ci­an­te ambu­lan­te, aos 22 anos de ida­de, lec­ci­o­na­va mate­má­ti­ca na esco­la mili­tar de Méziè­res e mais tar­de tor­nou-se pro­fes­sor na Éco­le Poly­te­ch­ni­que, que aju­dou a fun­dar e a orga­ni­zar. Ele desen­vol­veu a mate­má­ti­ca de pro­jec­tar figu­ras sóli­das num pla­no (sobre o qual se baseia o dese­nho de enge­nha­ria moder­no) seguin­do uma suges­tão da teo­ria (1738) de Fré­zi­er. Mon­ge apli­cou mais téc­ni­cas de aná­li­se à teo­ria da cur­va­tu­ra que mais tar­de foi reto­ma­da no tra­ba­lho revo­lu­ci­o­ná­rio de Georg Rie­mann sobre geo­me­tria e cur­va­tu­ra.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1845, Gus­taf de Laval. Este cien­tis­ta, enge­nhei­ro e inven­tor sue­co foi pio­nei­ro no desen­vol­vi­men­to de tur­bi­nas de alta velo­ci­da­de. Depois de ganhar o seu Ph.D. aos 27 anos, ele tra­ba­lhou como enge­nhei­ro téc­ni­co numa side­rur­gia na sua ter­ra natal. Em 1877, ele come­çou a desen­vol­ver um sepa­ra­dor de cre­me cen­trí­fu­go de alta velo­ci­da­de, um avan­ço sig­ni­fi­ca­ti­vo na pro­du­ção de man­tei­ga. Ele aper­fei­ço­ou uma máqui­na de orde­nha a vácuo em 1913. Por vol­ta de 1882, come­çou a tra­ba­lhar em tur­bi­nas a vapor e, em 1889, soli­ci­tou uma paten­te bri­tâ­ni­ca para um tipo de impul­so, com um jac­to de vapor baten­do num con­jun­to de lâmi­nas na peri­fe­ria de uma roda. O seu talen­to inven­ti­vo era amplo, e incluiu ilu­mi­na­ção eléc­tri­ca, ele­tro­me­ta­lur­gia e aero­di­nâ­mi­ca. Duran­te a sua vida, ele adqui­riu 92 paten­tes sue­cas e fun­dou 37 empre­sas.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1850, Edward Wes­ton. Este Enge­nhei­ro elec­tro­téc­ni­co e indus­tri­al ame­ri­ca­no nas­ci­do na Grã-Bre­ta­nha fun­dou a Wes­ton Elec­tri­cal Ins­tru­ment Com­pany. Ele foi para a Amé­ri­ca como um jovem estu­dan­te de medi­ci­na em 1870. Nos anos seguin­tes, ele revo­lu­ci­o­nou a indús­tria de elec­tro-gal­va­ni­za­ção inven­tan­do e fabri­can­do um dína­mo de gal­va­no­plas­tia com mui­to suces­so, que supe­rou em mui­to a efi­ci­ên­cia das bate­ri­as de arma­ze­na­men­to. Ele paten­te­ou o dína­mo e um âno­do de níquel em 1875. A par­tir de então até cer­ca de 1917, Wes­ton rece­beu 334 paten­tes nos EUA. Após as pri­mei­ras expe­ri­ên­ci­as com pro­jec­tos de lâm­pa­das incan­des­cen­tes, ele des­ta­cou-se com a inven­ção e fabri­ca­ção de uma série de ins­tru­men­tos de medi­ção elec­tró­ni­ca de pre­ci­são.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1927, Man­fred Eigen. Este Físi­co e bioquí­mi­co ale­mão par­ti­lhou (com Ronald Nor­rish e Geor­ge Por­ter) o Pré­mio Nobel de 1967 da Quí­mi­ca “pelos seus estu­dos de reac­ções quí­mi­cas extre­ma­men­te rápi­das, afec­tan­do o equi­lí­brio por meio de pul­sos de ener­gia mui­to cur­tos.” Em 1954, Eigen intro­du­ziu as téc­ni­cas de rela­xa­men­to para o estu­do de reac­ções quí­mi­cas extre­ma­men­te rápi­das (aque­las que levam menos de um milis­se­gun­do). O seu méto­do geral era tomar uma solu­ção em equi­lí­brio para uma dada tem­pe­ra­tu­ra e pres­são. Se uma peque­na per­tur­ba­ção fos­se apli­ca­da à solu­ção, o equi­lí­brio seria mui­to bre­ve­men­te des­truí­do e um novo equi­lí­brio seria rapi­da­men­te alcan­ça­do. Eigen estu­dou exac­ta­men­te o que acon­te­ceu nes­te cur­to espa­ço de tem­po por meio de espec­tros­co­pia de absor­ção.

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que a Blue Ori­gin pla­neia levar huma­nos à Lua. Embo­ra Bezos não tenha decla­ra­do expli­ci­ta­men­te que a Blue Ori­gin pla­neia ofe­re­cer o seu novo veí­cu­lo à NASA para a ambi­ci­o­sa ini­ci­a­ti­va da agên­cia de pou­sar astro­nau­tas na Lua em 2024, uma des­cri­ção recém-publi­ca­da no site da empre­sa afir­ma que a vari­an­te da Blue Moon “foi pro­jec­ta­da para pou­sar um veí­cu­lo que nos per­mi­ti­rá levar nova­men­te ame­ri­ca­nos à lua em 2024.”

Tam­bém esta sema­na ficá­mos a saber que Jean-Jac­ques SAVIN, um aven­tu­rei­ro fran­cês de 72 anos, che­gou à ilha das caraí­bas Mar­ti­ni­ca depois de cru­zar com suces­so o Oce­a­no Atlân­ti­co numa cáp­su­la laran­ja em for­ma de bar­ril.
A jor­na­da demo­rou 122 dias no mar a cáp­su­la onde ele se encon­tra­va via­jou cer­ca de 4,500 km. O ex-pára-que­dis­ta mili­tar pas­sou mais de qua­tro meses no bar­ril, com 3 m de com­pri­men­to e 2,10 m de lar­gu­ra.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como alguns mode­los 3D que pode­rão ser úteis. É apre­sen­ta­da a revis­ta newe­lec­tro­nics de 23 de Abril.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº209

Newsletter Nº209
News­let­ter Nº209

Faz hoje anos que nas­cia, em 1797, Abraham Pineo Ges­ner. Este Quí­mi­co e geó­lo­go cana­di­a­no foi pio­nei­ro na extrac­ção de que­ro­se­ne (que ele nome­ou) pela des­ti­la­ção seca de rocha asfál­ti­ca. Ele per­ce­beu a uti­li­da­de des­se líqui­do (conhe­ci­do como para­fi­na na Ingla­ter­ra) como com­bus­tí­vel mais lim­po em lâm­pa­das para subs­ti­tuir o óleo de baleia. Ele tam­bém inven­tou um pre­ser­van­te de madei­ra, um pro­ces­so de pavi­men­ta­ção de estra­das de asfal­to, bri­que­tes de pó de car­vão com­pac­ta­dos e uma máqui­na para iso­lar fios eléc­tri­cos.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1802, Hein­ri­ch Gus­tav Mag­nus. Este quí­mi­co e físi­co ale­mão des­co­briu o efei­to Mag­nus (a for­ça de sus­ten­ta­ção pro­du­zi­da por um cilin­dro rota­ti­vo, que por exem­plo, dá a cur­va a uma bola cur­va). Na pes­qui­sa quí­mi­ca, ele des­co­briu o pri­mei­ro dos com­pos­tos de pla­ti­na-amó­nio. O sal ver­de de Mag­nus é [Pt(NH3)4][PtCl4]). Com inte­res­ses diver­sos na ciên­cia, ele tam­bém tra­ba­lhou na absor­ção de gases pelo san­gue, na expan­são de gases quan­do aque­ci­dos, nas pres­sões de vapor de água e em vári­as solu­ções, elec­tró­li­se, cor­ren­tes indu­zi­das e ter­mo­e­léc­tri­cas, ópti­ca, mag­ne­tis­mo e hidro­di­nâ­mi­ca. Em 1865, ele repre­sen­tou a Prús­sia numa con­fe­rên­cia con­vo­ca­da para intro­du­zir um sis­te­ma métri­co uni­for­me de pesos e medi­das na Ale­ma­nha.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1844, Eli­jah McCoy. Este inven­tor e enge­nhei­ro afro-ame­ri­ca­no des­ta­cou-se pelas suas 57 paten­tes ame­ri­ca­nas, a mai­o­ria das quais tem a ver com a lubri­fi­ca­ção de moto­res a vapor.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1868, Robert W. Wood. Este Físi­co ame­ri­ca­no foto­gra­fou o refle­xo das ondas sono­ras no ar e inves­ti­gou os efei­tos fisi­o­ló­gi­cos das ondas sono­ras de alta frequên­cia. A pla­ca de zona que ele cri­ou pode­ria subs­ti­tuir a len­te objec­ti­va de um teles­có­pio. Ele inven­tou uma gra­de de difrac­ção melho­ra­da, fez pes­qui­sas em espec­tros­co­pia e ampli­ou a téc­ni­ca de espec­tros­co­pia Raman (um méto­do para estu­dar maté­ria usan­do a luz espa­lha­da por ela). Ele fez foto­gra­fi­as a mos­trar a radi­a­ção infra­ver­me­lha e ultra­vi­o­le­ta e foi o pri­mei­ro a foto­gra­far flu­o­res­cên­cia ultra­vi­o­le­ta. Wood foi o pri­mei­ro a obser­var o fenó­me­no de emis­são de cam­po no qual par­tí­cu­las car­re­ga­das são emi­ti­das de con­du­to­res num cam­po eléc­tri­co.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1947, James Dyson. Este Enge­nhei­ro e inven­tor inglês é conhe­ci­do pelas suas inven­ções que inclu­em o aspi­ra­dor sem saco Dual Cyclo­ne e o seca­dor de mãos Air­bla­de. Ele fun­dou a Dyson Rese­ar­ch Ltd. em 1979. Des­de 1970, quan­do rein­ven­tou o car­ri­nho de mão como seu Ball­bar­row, ele pro­cu­rou cri­ar novos pro­du­tos que fun­ci­o­nas­sem melhor do que qual­quer coi­sa antes deles. Ele lan­çou um aspi­ra­dor de pó sem saco fabri­ca­do e ven­di­do no Japão em 1986. Quan­do foi intro­du­zi­do na Grã-Bre­ta­nha em 1993, o seu aspi­ra­dor de pó tor­nou-se o mais ven­di­do no iní­cio de 1995. Da mes­ma for­ma, quan­do ven­di­do nos EUA a par­tir de 2002, cap­tu­rou 20% do mer­ca­do.

Nes­ta sema­na que pas­sou uma equi­pa de cien­tis­tas anun­ci­ou que estão a pre­pa­rar-se para a pas­sa­gem de um aste­rói­de den­tro de uma déca­da. A apro­xi­ma­ção do Apophis em 2029 será uma opor­tu­ni­da­de incrí­vel para a ciên­cia dizem os cien­tis­tas. É raro um aste­rói­de des­te tama­nho pas­sar tão per­to da Ter­ra. Embo­ra os cien­tis­tas tenham vis­to peque­nos aste­rói­des, na ordem de 5 a 10 metros, pas­san­do pela Ter­ra a uma dis­tân­cia simi­lar, os aste­rói­des do tama­nho de Apophis são mui­to menos nume­ro­sos e, por­tan­to, não pas­sam tão per­to da Ter­ra quan­to cos­tu­mam. O aste­rói­de Apophis tem um diâ­me­tro de 370 metros e foi des­co­ber­to em 2004.

Tam­bém esta sema­na foi lan­ça­da a nova ver­são do sis­te­ma Fedo­ra. A ver­são 30 con­ta como prin­ci­pais novi­da­des o Gno­me 3.32, o GCC 9, o Bash 5.0 e a glibc to 2.29.

Ain­da esta sema­na ficá­mos a saber que pro­gra­ma­do­res resol­vem enig­ma crip­to­grá­fi­co com 20 anos do MIT. Ber­nard Fabrot pas­sou os últi­mos três anos e meio a ten­tar encon­trar a solu­ção para um que­bra-cabe­ça anun­ci­a­do pela pri­mei­ra vez pelos pes­qui­sa­do­res do MIT em 1999. Sepa­ra­da­men­te, outra equi­pa lide­ra­da pelo exe­cu­ti­vo de tec­no­lo­gia Simon Pef­fers está pres­tes a con­cluir uma solu­ção. O que­bra-cabe­ça envol­ve essen­ci­al­men­te fazer cer­ca de 80 tri­liões de qua­dra­tu­ras suces­si­vas sobre um núme­ro ini­ci­al, e foi espe­ci­fi­ca­men­te pro­jec­ta­do para evi­tar que alguém ten­te resol­vê-lo mais rapi­da­men­te usan­do a com­pu­ta­ção para­le­la. Fabrot e Pef­fers adop­ta­ram abor­da­gens mui­to dife­ren­tes para o desa­fio. Fabrot usou um Intel Core i7-6700 sim­ples, encon­tra­do em PCs de con­su­mo, e cal­cu­lou a solu­ção usan­do a Bibli­o­te­ca Arit­mé­ti­ca de Pre­ci­são Múl­ti­pla GNU (GMP). Por outro lado, a equi­pa de Pef­fers usou um novo algo­rit­mo de mul­ti­pli­ca­ção (pro­jec­ta­do por Erdinç Öztürk da Uni­ver­si­da­de de Saban­ci) para ser exe­cu­ta­do num ace­le­ra­dor de hard­ware pro­gra­má­vel cha­ma­do FPGA. A equi­pa, que está a tra­ba­lhar como par­te de uma cola­bo­ra­ção cha­ma­da Cryp­topha­ge, está no cami­nho cer­to para ter­mi­nar o que­bra-cabe­ça a 11 de maio, após ape­nas dois meses de com­pu­ta­ção. No anún­cio ori­gi­nal, a LCS pro­me­teu que, se uma solu­ção cor­re­ta fos­se apre­sen­ta­da, eles abri­ri­am uma “cáp­su­la do tem­po” espe­ci­al pro­jec­ta­da pelo arqui­tec­to Frank Gehry e reple­ta de arte­fac­tos his­tó­ri­cos do inven­tor da Web Tim Ber­ners-Lee, do co-inven­tor da Ether­net, Bob Met­cal­fe e do fun­da­dor da Micro­soft, Bill Gates. A ceri­mo­nia da aber­tu­ra da cáp­su­la acon­te­ce­rá na quar­ta-fei­ra, 15 de maio, às 16h. no Sta­ta Cen­ter do MIT.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº208

Newsletter Nº208
News­let­ter Nº208

Faz hoje anos que nas­cia, em 1769, Marc Isam­bard Bru­nel. Este enge­nhei­ro e inven­tor fran­co-inglês resol­veu o pro­ble­ma his­tó­ri­co do tune­la­men­to subaquá­ti­co. Um inven­tor pro­lí­fi­co, Bru­nel pro­jec­tou máqui­nas para ser­rar e dobrar madei­ra, fazer sapa­tas, tri­co­tar e impri­mir. Como enge­nhei­ro civil, os seus pro­jec­tos incluíam a pon­te sus­pen­sa Île de Bour­bon e as pri­mei­ras mari­nas flu­tu­an­tes em Liver­po­ol. Em 1818, no entan­to, Bru­nel paten­te­ou o escu­do de tune­la­men­to, um dis­po­si­ti­vo que pos­si­bi­li­ta­va a pas­sa­gem de túneis com segu­ran­ça atra­vés de cama­das de água. Em 2 de Mar­ço de 1825, come­ça­ram as ope­ra­ções de cons­tru­ção de um túnel sob o rio Tami­sa, entre Rotherhithe e Wap­ping. O Tha­mes Tun­nel foi final­men­te inau­gu­ra­do em 25 de Mar­ço de 1843. Tem uma sec­ção trans­ver­sal de fer­ra­du­ra gémea com altu­ra de 7m, lar­gu­ra de 11m e com­pri­men­to total de 406m.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1849, Felix Klein. Este mate­má­ti­co ale­mão cuja sín­te­se da geo­me­tria como o estu­do das pro­pri­e­da­des de um espa­ço que são inva­ri­an­tes sob um dado gru­po de trans­for­ma­ções, conhe­ci­do como Pro­gra­ma Erlan­ger, influ­en­ci­ou pro­fun­da­men­te o desen­vol­vi­men­to mate­má­ti­co. Ele cri­ou a gar­ra­fa de Klein, uma super­fí­cie fecha­da uni­la­te­ral. Uma gar­ra­fa de Klein não pode ser cons­truí­da no espa­ço eucli­di­a­no. É melhor retra­ta­do como um cilin­dro que se vol­ta atra­vés de si mes­mo para se unir à outra extre­mi­da­de. No entan­to, esta não é uma super­fí­cie con­tí­nua em três espa­ços, pois a super­fí­cie não pode pas­sar por si mes­ma sem uma des­con­ti­nui­da­de. É pos­sí­vel cons­truir uma gar­ra­fa de Klein no espa­ço não-eucli­di­a­no.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1854, Char­les Sum­ner Tain­ter. Este inven­tor ame­ri­ca­no de vári­os ins­tru­men­tos de gra­va­ção de som, incluin­do o foto­fo­ne (1880, com Ale­xan­der Graham Bell), um ins­tru­men­to para trans­mi­tir o som a uma dis­tân­cia atra­vés da agên­cia de luz, usan­do célu­las sen­sí­veis de selé­nio. Ele tam­bém desen­vol­veu o Graphopho­ne (1881, paten­te­a­do em 1886; com Chi­ches­ter A. Bell, pri­mo de Ale­xan­der Graham Bell). Isto melho­rou mui­to a super­fí­cie de papel alu­mí­nio e a pon­ta rígi­da usa­da por Tho­mas Edi­son. Tain­ter inven­tou um cilin­dro de pape­lão reves­ti­do de cera e uma cane­ta de gra­va­ção fle­xí­vel que incor­po­ra as ranhu­ras (em vez de estam­pa­gem) para obter uma melhor repro­du­ção, tor­nan­do o fonó­gra­fo e o dic­to­gra­fo comer­ci­al­men­te pos­sí­veis.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1874, Gugli­el­mo Mar­co­ni. Este enge­nhei­ro elec­tro­téc­ni­co ita­li­a­no e inven­tor que inven­tou o telé­gra­fo sem fio (1935) conhe­ci­do hoje como rádio. Pré­mio Nobel (1909). Em 1894, Mar­co­ni come­çou a expe­ri­men­tar as “Ondas Hert­zi­a­nas”, as ondas de rádio que Hein­ri­ch Hertz pro­du­ziu no seu labo­ra­tó­rio alguns anos antes. Na fal­ta de apoio do Minis­té­rio ita­li­a­no dos Cor­rei­os e Telé­gra­fos, Mar­co­ni recor­reu ao Bri­tish Post Offi­ce. Demons­tra­ções enco­ra­ja­do­ras em Lon­dres e na pla­ní­cie de Salis­bury segui­ram-se. Mar­co­ni obte­ve a pri­mei­ra paten­te mun­di­al de um sis­te­ma de tele­gra­fia sem fio, em 1897, e abriu a pri­mei­ra fábri­ca de rádio do mun­do em Chelms­ford, Ingla­ter­ra, em 1898. Em 1900, ele levou a sua famo­sa paten­te nº 7777 para “tele­gra­fia sin­to­ni­za­da ou sin­tó­ni­ca”.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1900, Wolf­gang Pau­li. Este físi­co astro-ame­ri­ca­no foi lau­re­a­do com o Pré­mio Nobel de Físi­ca em 1945 pela sua des­co­ber­ta em 1925 do prin­cí­pio de exclu­são de Pau­li, que afir­ma que num áto­mo dois elec­trões não podem ocu­par o mes­mo esta­do quân­ti­co simul­ta­ne­a­men­te. Este prin­cí­pio rela­ci­o­na cla­ra­men­te a teo­ria quân­ti­ca com as pro­pri­e­da­des obser­va­das dos áto­mos.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1903, Andrey Kol­mo­go­rov. Este mate­má­ti­co rus­so cujos pos­tu­la­dos bási­cos da teo­ria da pro­ba­bi­li­da­de con­ti­nu­a­ram a ser par­te inte­gran­te da aná­li­se. Este tra­ba­lho teve diver­sas apli­ca­ções, como seu estu­do do movi­men­to dos pla­ne­tas (1954), ou o flu­xo de ar de um motor a jac­to (1941). Na topo­lo­gia, ele inves­ti­gou gru­pos de coho­mo­lo­gia. Ele fez uma gran­de con­tri­bui­ção para res­pon­der à par­te de pro­ba­bi­li­da­de do sex­to pro­ble­ma de Hil­bert e resol­veu (1957) o Déci­mo Ter­cei­ro Pro­ble­ma de Hil­bert.

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que a NASA regis­tou o pri­mei­ro ruí­do sís­mi­co em Mar­te. A par­tir da Insight o fra­co sinal sís­mi­co, detec­ta­do pelo ins­tru­men­to Sís­mi­co de Expe­ri­men­ta­ção para Estru­tu­ra Inte­ri­or (SEIS), foi regis­ta­do a 6 de Abril, o dia mar­ci­a­no de 128º, ou sol. Este é o pri­mei­ro tre­mor regis­ta­do que pare­ce ter vin­do de den­tro do pla­ne­ta, em opo­si­ção a ser cau­sa­do por for­ças aci­ma da super­fí­cie, como o ven­to. Os cien­tis­tas ain­da estão exa­mi­nan­do os dados para deter­mi­nar a cau­sa exac­ta do sinal.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker. É apre­sen­ta­da a revis­ta Mag­PI nº 81 e o livro “Wea­ra­ble Tech Pro­jects”.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº207

Newsletter Nº207
News­let­ter Nº207

Faz hoje anos que nas­cia, em 1838, Paul Émi­le Lecoq de Bois­bau­dran. Este quí­mi­co fran­cês desen­vol­veu méto­dos espec­tros­có­pi­cos aper­fei­ço­a­dos que tinham sido desen­vol­vi­dos por Kir­chhoff. Em 1859, ele come­çou a exa­mi­nar mine­rais em bus­ca de linhas espec­trais des­co­nhe­ci­das. Quin­ze anos de per­sis­tên­cia com­pen­sa­ram quan­do ele des­co­briu os ele­men­tos gálio (1875), sama­rio (1880) e dis­pró­sio (1886). Ele acom­pa­nha­do de Robert Bun­sen, Gus­tav Kir­chhoff e Wil­li­am Cro­o­kes clas­si­fi­ca-se como um dos fun­da­do­res da ciên­cia da espec­tros­co­pia. Gui­a­do pela orga­ni­za­ção de linhas espec­trais para ele­men­tos da mes­ma famí­lia, ele acre­di­ta­va que o ele­men­to que ele cha­ma­va de gálio (em home­na­gem à Fran­ça) era o eka-alu­mí­nio pre­vis­to por Men­de­lei­ev entre o alu­mí­nio e o índio. Uma vez que é líqui­do entre cer­ca de 30 — 1700C, um ter­mó­me­tro de quart­zo de gálio pode medir altas tem­pe­ra­tu­ras.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1863, Hugh Long­bour­ne Cal­len­dar. Este Físi­co inglês ficou famo­so pelo tra­ba­lho em calo­ri­me­tria, ter­mo­me­tria e, prin­ci­pal­men­te, as pro­pri­e­da­des ter­mo­di­nâ­mi­cas do vapor. Ele publi­cou as pri­mei­ras tabe­las de vapor (1915). Em 1886, ele inven­tou o ter­mó­me­tro de resis­tên­cia de pla­ti­na usan­do a resis­ti­vi­da­de eléc­tri­ca da pla­ti­na, per­mi­tin­do a medi­ção pre­ci­sa de tem­pe­ra­tu­ras. Ele tam­bém inven­tou o calo­rí­me­tro de flu­xo con­tí­nuo eléc­tri­co, o ter­mó­me­tro de ar com­pen­sa­do (1891), uma balan­ça de rádio (1910) e um ter­mó­me­tro de rola­men­to (1897) que per­mi­ti­ram a obten­ção de dados de tem­pe­ra­tu­ra cli­má­ti­ca de lon­ga dura­ção. O seu filho, Guy S. Cal­len­dar, rela­ci­o­nou a mudan­ça cli­má­ti­ca com o aumen­to do dió­xi­do de car­bo­no (CO2) resul­tan­te da quei­ma de com­bus­tí­veis de car­bo­no (1938), conhe­ci­do como efei­to Cal­len­dar, par­te do efei­to de estu­fa.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1882, Julius Edgar Lili­en­feld. Este físi­co e enge­nhei­ro elec­tró­ni­co ame­ri­ca­no-aus­tro-hún­ga­ro, foi o inven­tor ori­gi­nal do tran­sís­tor de efei­to de cam­po (FET) (1925) e do con­den­sa­dor elec­tro­lí­ti­co (1931).

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1911, Mau­ri­ce Goldha­ber. Este Físi­co aus­tro-ame­ri­ca­no inven­tou uma expe­ri­ên­cia para mos­trar que os neu­tri­nos sem­pre giram numa direc­ção (somen­te no sen­ti­do con­tra os pon­tei­ros do reló­gio). O seu méto­do era sim­ples, ele­gan­te e usa­va um apa­re­lho peque­no o sufi­ci­en­te para caber numa ban­ca­da, em vez de usar um enor­me ace­le­ra­dor. Ele tam­bém des­co­briu que o núcleo do áto­mo de deu­té­rio con­sis­te num pro­tão e um neu­trão.

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a conhe­cer uma nova for­ma de fazer con­tas de mul­ti­pli­car. Ao divi­dir núme­ros gran­des em núme­ros meno­res, os inves­ti­ga­do­res rees­cre­ve­ram um limi­te mate­má­ti­co fun­da­men­tal de velo­ci­da­de. O méto­do apren­di­do na esco­la pri­má­ria ou o méto­do de “trans­por­te” exi­ge cer­ca de n^2 eta­pas, em que n é o núme­ro de dígi­tos de cada um dos núme­ros que se está a mul­ti­pli­car. Por­tan­to, núme­ros de três dígi­tos exi­gem nove mul­ti­pli­ca­ções, enquan­to núme­ros de 100 dígi­tos exi­gem 10.000 mul­ti­pli­ca­ções.
Outros méto­dos foram entre­tan­to desen­vol­vi­dos dos quais se des­ta­cam o do mate­má­ti­co rus­so Ana­toly Karat­su­ba que envol­ve a sepa­ra­ção de um núme­ro e a recom­bi­na­ção de um novo modo que per­mi­te subs­ti­tuir um peque­no núme­ro de adi­ções e sub­trac­ções por um gran­de núme­ro de mul­ti­pli­ca­ções. O méto­do eco­no­mi­za tem­po por­que a adi­ção leva ape­nas 2*n eta­pas, ao con­trá­rio das eta­pas n^2. Pos­te­ri­or­men­te outros méto­dos foram apre­sen­ta­dos por Arnold Schö­nha­ge e Vol­ker Stras­sen que publi­ca­ram um méto­do capaz de mul­ti­pli­car gran­des núme­ros em pas­sos mul­ti­pli­ca­ti­vos n x log n x log (log n), onde log n é o loga­rit­mo de n.
O méto­do de Schö­nha­ge e Stras­sen, que é como os com­pu­ta­do­res mul­ti­pli­cam gran­des núme­ros, teve outras duas impor­tan­tes con­sequên­ci­as a lon­go pra­zo. Pri­mei­ro, intro­du­ziu o uso de uma téc­ni­ca do cam­po de pro­ces­sa­men­to de sinal cha­ma­do de Fast Fou­ri­er Trans­for­ma­ti­on. A téc­ni­ca tem sido a base para todos os algo­rit­mos de mul­ti­pli­ca­ção rápi­da des­de então.

Esta sema­na que pas­sou ficá­mos tam­bém a saber que a mai­or aero­na­ve do mun­do voa pela pri­mei­ra vez o seu voo de tes­te sobre o Deser­to de Moja­ve. O avião Stra­to­laun­ch com um dese­nho de fuse­la­gem dupla e enver­ga­du­ra mai­or do que o com­pri­men­to de um cam­po de fute­bol ame­ri­ca­no, levan­tou voo a 0658 PDT do Moja­ve Air & Spa­ce Port. Alcan­çan­do uma velo­ci­da­de máxi­ma de 189 milhas por hora, o avião voou por 2,5 horas sobre o Deser­to de Moja­ve a alti­tu­des de até 17.000 pés. Como par­te do voo ini­ci­al, os pilo­tos ava­li­a­ram o desem­pe­nho da aero­na­ve e as qua­li­da­des de manu­seio antes de pou­sar com suces­so no Moja­ve Air and Spa­ce Port. A aero­na­ve Stra­to­laun­ch é uma pla­ta­for­ma de lan­ça­men­to móvel que per­mi­ti­rá aces­so ao espa­ço aéreo de for­ma con­ve­ni­en­te, aces­sí­vel e roti­nei­ra. A ala cen­tral refor­ça­da pode supor­tar vári­os veí­cu­los de lan­ça­men­to, que podem pesar até um total de 225 tone­la­das.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como um mode­lo 3D que pode­rá ser útil. É apre­sen­ta­da a revis­ta Hack­pa­ce nº 18 e o livro “An Intro­duc­ti­on to C & GUI Pro­gram­ming”.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.