Newsletter Nº207

Newsletter Nº207
News­let­ter Nº207

Faz hoje anos que nas­cia, em 1838, Paul Émi­le Lecoq de Bois­bau­dran. Este quí­mi­co fran­cês desen­vol­veu méto­dos espec­tros­có­pi­cos aper­fei­ço­a­dos que tinham sido desen­vol­vi­dos por Kir­chhoff. Em 1859, ele come­çou a exa­mi­nar mine­rais em bus­ca de linhas espec­trais des­co­nhe­ci­das. Quin­ze anos de per­sis­tên­cia com­pen­sa­ram quan­do ele des­co­briu os ele­men­tos gálio (1875), sama­rio (1880) e dis­pró­sio (1886). Ele acom­pa­nha­do de Robert Bun­sen, Gus­tav Kir­chhoff e Wil­li­am Cro­o­kes clas­si­fi­ca-se como um dos fun­da­do­res da ciên­cia da espec­tros­co­pia. Gui­a­do pela orga­ni­za­ção de linhas espec­trais para ele­men­tos da mes­ma famí­lia, ele acre­di­ta­va que o ele­men­to que ele cha­ma­va de gálio (em home­na­gem à Fran­ça) era o eka-alu­mí­nio pre­vis­to por Men­de­lei­ev entre o alu­mí­nio e o índio. Uma vez que é líqui­do entre cer­ca de 30 — 1700C, um ter­mó­me­tro de quart­zo de gálio pode medir altas tem­pe­ra­tu­ras.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1863, Hugh Long­bour­ne Cal­len­dar. Este Físi­co inglês ficou famo­so pelo tra­ba­lho em calo­ri­me­tria, ter­mo­me­tria e, prin­ci­pal­men­te, as pro­pri­e­da­des ter­mo­di­nâ­mi­cas do vapor. Ele publi­cou as pri­mei­ras tabe­las de vapor (1915). Em 1886, ele inven­tou o ter­mó­me­tro de resis­tên­cia de pla­ti­na usan­do a resis­ti­vi­da­de eléc­tri­ca da pla­ti­na, per­mi­tin­do a medi­ção pre­ci­sa de tem­pe­ra­tu­ras. Ele tam­bém inven­tou o calo­rí­me­tro de flu­xo con­tí­nuo eléc­tri­co, o ter­mó­me­tro de ar com­pen­sa­do (1891), uma balan­ça de rádio (1910) e um ter­mó­me­tro de rola­men­to (1897) que per­mi­ti­ram a obten­ção de dados de tem­pe­ra­tu­ra cli­má­ti­ca de lon­ga dura­ção. O seu filho, Guy S. Cal­len­dar, rela­ci­o­nou a mudan­ça cli­má­ti­ca com o aumen­to do dió­xi­do de car­bo­no (CO2) resul­tan­te da quei­ma de com­bus­tí­veis de car­bo­no (1938), conhe­ci­do como efei­to Cal­len­dar, par­te do efei­to de estu­fa.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1882, Julius Edgar Lili­en­feld. Este físi­co e enge­nhei­ro elec­tró­ni­co ame­ri­ca­no-aus­tro-hún­ga­ro, foi o inven­tor ori­gi­nal do tran­sís­tor de efei­to de cam­po (FET) (1925) e do con­den­sa­dor elec­tro­lí­ti­co (1931).

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1911, Mau­ri­ce Goldha­ber. Este Físi­co aus­tro-ame­ri­ca­no inven­tou uma expe­ri­ên­cia para mos­trar que os neu­tri­nos sem­pre giram numa direc­ção (somen­te no sen­ti­do con­tra os pon­tei­ros do reló­gio). O seu méto­do era sim­ples, ele­gan­te e usa­va um apa­re­lho peque­no o sufi­ci­en­te para caber numa ban­ca­da, em vez de usar um enor­me ace­le­ra­dor. Ele tam­bém des­co­briu que o núcleo do áto­mo de deu­té­rio con­sis­te num pro­tão e um neu­trão.

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a conhe­cer uma nova for­ma de fazer con­tas de mul­ti­pli­car. Ao divi­dir núme­ros gran­des em núme­ros meno­res, os inves­ti­ga­do­res rees­cre­ve­ram um limi­te mate­má­ti­co fun­da­men­tal de velo­ci­da­de. O méto­do apren­di­do na esco­la pri­má­ria ou o méto­do de “trans­por­te” exi­ge cer­ca de n^2 eta­pas, em que n é o núme­ro de dígi­tos de cada um dos núme­ros que se está a mul­ti­pli­car. Por­tan­to, núme­ros de três dígi­tos exi­gem nove mul­ti­pli­ca­ções, enquan­to núme­ros de 100 dígi­tos exi­gem 10.000 mul­ti­pli­ca­ções.
Outros méto­dos foram entre­tan­to desen­vol­vi­dos dos quais se des­ta­cam o do mate­má­ti­co rus­so Ana­toly Karat­su­ba que envol­ve a sepa­ra­ção de um núme­ro e a recom­bi­na­ção de um novo modo que per­mi­te subs­ti­tuir um peque­no núme­ro de adi­ções e sub­trac­ções por um gran­de núme­ro de mul­ti­pli­ca­ções. O méto­do eco­no­mi­za tem­po por­que a adi­ção leva ape­nas 2*n eta­pas, ao con­trá­rio das eta­pas n^2. Pos­te­ri­or­men­te outros méto­dos foram apre­sen­ta­dos por Arnold Schö­nha­ge e Vol­ker Stras­sen que publi­ca­ram um méto­do capaz de mul­ti­pli­car gran­des núme­ros em pas­sos mul­ti­pli­ca­ti­vos n x log n x log (log n), onde log n é o loga­rit­mo de n.
O méto­do de Schö­nha­ge e Stras­sen, que é como os com­pu­ta­do­res mul­ti­pli­cam gran­des núme­ros, teve outras duas impor­tan­tes con­sequên­ci­as a lon­go pra­zo. Pri­mei­ro, intro­du­ziu o uso de uma téc­ni­ca do cam­po de pro­ces­sa­men­to de sinal cha­ma­do de Fast Fou­ri­er Trans­for­ma­ti­on. A téc­ni­ca tem sido a base para todos os algo­rit­mos de mul­ti­pli­ca­ção rápi­da des­de então.

Esta sema­na que pas­sou ficá­mos tam­bém a saber que a mai­or aero­na­ve do mun­do voa pela pri­mei­ra vez o seu voo de tes­te sobre o Deser­to de Moja­ve. O avião Stra­to­laun­ch com um dese­nho de fuse­la­gem dupla e enver­ga­du­ra mai­or do que o com­pri­men­to de um cam­po de fute­bol ame­ri­ca­no, levan­tou voo a 0658 PDT do Moja­ve Air & Spa­ce Port. Alcan­çan­do uma velo­ci­da­de máxi­ma de 189 milhas por hora, o avião voou por 2,5 horas sobre o Deser­to de Moja­ve a alti­tu­des de até 17.000 pés. Como par­te do voo ini­ci­al, os pilo­tos ava­li­a­ram o desem­pe­nho da aero­na­ve e as qua­li­da­des de manu­seio antes de pou­sar com suces­so no Moja­ve Air and Spa­ce Port. A aero­na­ve Stra­to­laun­ch é uma pla­ta­for­ma de lan­ça­men­to móvel que per­mi­ti­rá aces­so ao espa­ço aéreo de for­ma con­ve­ni­en­te, aces­sí­vel e roti­nei­ra. A ala cen­tral refor­ça­da pode supor­tar vári­os veí­cu­los de lan­ça­men­to, que podem pesar até um total de 225 tone­la­das.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como um mode­lo 3D que pode­rá ser útil. É apre­sen­ta­da a revis­ta Hack­pa­ce nº 18 e o livro “An Intro­duc­ti­on to C & GUI Pro­gram­ming”.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.