Newsletter Nº271

Newsletter Nº271
Newsletter Nº271

Faz hoje anos que nascia, em 1802, o inventor americano Thomas Davenport. Ele é considerado o inventor do que provavelmente foi o primeiro motor eléctrico comercialmente bem-sucedido, que ele usou com grande talento para alimentar uma série de invenções. Embora vários outros inventores tenham experimentado motores, Davenport foi o primeiro a obter uma patente nos EUA (nº 132 em 25 de Fevereiro de 1837) para seu motor de corrente contínua. Ele incorporou o conceito do electroíman inventado por Joseph Henry de uma maneira que produziu um movimento rotativo usando sua própria ideia de comutador e escovas para controlar a direcção do fluxo da corrente. Ele usou um motor que construiu para alimentar máquinas de oficina e também construiu o primeiro vagão de comboio eléctrico.

Faz também hoje anos que nascia, em 1819 o inventor americano Elias Howe. Ele inventou uma máquina de costura comercialmente bem-sucedida. Embora tenha sido Walter Hunt quem construiu a primeira máquina de costura dos Estados Unidos, ele não a perseguiu. Mais tarde, Howe passou anos a desenvolver um desenho funcional e recebeu uma patente na sua própria máquina em 10 de Setembro de 1846. O sucesso comercial veio lentamente, exigindo a defesa da sua patente contra a melhor máquina comercializada por Isaac Singer.

Faz igualmente hoje anos que nascia, em 1894, o engenheiro e inventor americano Percy Spencer. Ele teve a ideia do forno de micro-ondas. Em 1940, Sir John Randall e o Dr. H. A. Boot inventaram o tubo de magnetron para produzir micro-ondas por radar. Após a guerra, o Dr. Percy Spencer, da Raytheon Company, estava a investigar o tubo de magnetron. Durante uma experiência, ele descobriu que uma barra de chocolate no bolso tinha derretido totalmente. Como o efeito de aquecimento das micro-ondas era conhecido anteriormente, o Dr. Spencer deduziu que a radiação magnetron derretera o chocolate, não o calor do corpo. Isso levou Spencer a pesquisar alimentos para cozinhar. Os primeiros fornos comerciais de micro-ondas eram equipamentos de grande porte, feitos para restaurantes.

Faz também hoje anos que nascia, em 1911, o físico americano John Archibald Wheeler. Ele foi o primeiro físico americano envolvido no desenvolvimento teórico da bomba atómica. Ele também deu origem a uma nova abordagem da teoria do campo unificado. Wheeler recebeu o Prémio Wolf de 1997 “pelas suas contribuições para a física dos buracos negros, a gravidade quântica e as teorias de espalhamento nuclear e fissão nuclear”. Depois de reconhecer que qualquer grande colecção de matéria fria não tem escolha a não ser ceder à força da gravidade e sofrer colapso total, Wheeler cunhou o termo “buraco negro” em 1967.

Faz igualmente hoje anos que nascia, em 1926,o Físico americano-dinamarquês Ben Roy Mottelson. Ele partilhou o Prémio Nobel de Física de 1975 com Aage N. Bohr e James Rainwater “pela descoberta da conexão entre movimento colectivo e movimento de partículas nos núcleos atómicos e pelo desenvolvimento da teoria da estrutura do núcleo atómico com base nessa conexão”. Este trabalho determinou as formas assimétricas de certos núcleos atómicos e as razões por trás dessas assimetrias. Pesquisas posteriores investigaram o facto de que a matéria nuclear possui propriedades remanescentes dos super-condutores.

Por fim, faz hoje anos que nascia, em 1938, o cientista americano James B. Pollack. Ele foi o investigador da NASA e ajudou a desenvolver a teoria de que a guerra atómica resultaria num “inverno nuclear” como um especialista de renome mundial no estudo de atmosferas e partículas planetárias usando técnicas de transferência radioactiva. Noutro trabalho, ele examinou as mudanças climáticas evolutivas em todos os planetas terrestres e modelos detalhados da evolução inicial dos planetas gigantes de gás. Ele fez contribuições fundamentais para o desenho de várias missões da NASA. Pollack descobriu a primeira evidência real de que as nuvens de Vénus são compostas de ácido sulfúrico. Ele explicou a razão do paradoxo dos anéis de Saturno mostrarem baixa emissividade de micro-ondas, mas alta reflectividade de radar.

Nesta semana que passou, a missão da Rocket Lab não conseguiu atingir a órbita tendo falhado. Após uma descolagem bem-sucedida, passagem do primeiro estágio e separação do estágio, o Rocket Lab teve uma anomalia durante a sua 13ª missão Electron: ‘Pics Or It Didn’t Happen.’
O problema ocorreu aproximadamente quatro minutos após o lançamento a 4 de Julho de 2020 e resultou na perda do foguetão. Como resultado, a carga a bordo do Electron não foi colocada em órbita. O Electron permaneceu dentro das zonas estabelecidas para a missão e não causou danos ao pessoal ou ao local de lançamento. O Rocket Lab está a trabalhar em estreita colaboração com a FAA para investigar a anomalia e identificar a raiz do problema para o corrigir e avançar.

Também esta semana ficámos a saber que os balões Loon da Alphabet começaram a oferecer o seu primeiro serviço comercial de Internet no Quénia. Num post no blog anunciando a notícia, o CEO da Loon, Alastair Westgarth, disse que o serviço 4G LTE será fornecido aos assinantes da Telkom Kenya através de uma frota de cerca de 35 balões, cobrindo uma área de cerca de 50.000 quilómetros quadrados nas áreas oeste e central do país, incluindo sua capital, Nairobi.

Na Newsletter desta semana apresentamos diversas noticias, artigos científicos assim como projetos de maker. É apresentado o livro “Building Secure & Reliable Systems”.

Esta Newsletter encontra-se mais uma vez disponível no sistema documenta do altLab. Todas as Newsletters encontram-se indexadas no link.