Newsletter Nº272

Newsletter Nº272
Newsletter Nº272

Faz hoje anos que nascia, em 1704, o engenheiro mecânico inglês John Kay). Ele foi o inventor do tear de força com carro voador, patenteado em 1733, o que foi um passo importante para a tecelagem automática. Kay colocou caixas de transporte em cada lado do tear, conectadas por uma prancha longa, conhecida como corrida de transporte. Por meio de cordas presas a um pino de picking, um único tecelão, usando uma mão, pode fazer com que a lançadeira seja empurrada para frente e para trás através do tear de uma caixa de lançadeira para a outra. Um tecelão usando o carro voador de Kay poderia produzir tecidos muito mais largos em velocidades mais rápidas do que antes.

Faz também hoje anos que nascia, em 1888, o Físico holandês Frits Zernike. Ele recebeu o Prémio Nobel de Física em 1953 pela sua invenção do microscópio de contraste de fase, um instrumento que permite o estudo da estrutura celular interna sem a necessidade de manchar e, assim, matar as células. Além de sua capacidade de tornar visível objectos microscópicos e incolores, também é possível detectar pequenas falhas em espelhos, lentes de telescópio e outros instrumentos indispensáveis à pesquisa. Nesse sentido, a placa de fase de Zernike serve como um indicador que localiza e mede pequenas irregularidades da superfície numa fracção do comprimento de onda da luz.

Faz igualmente hoje anos que nascia, em 1906, o inventor norte-americano Reynold B. Johnson. Ele é conhecido como sendo o pai do disco rígido. Durante o período em que foi funcionário da IBM ainda foi responsável por outras invenções que incluem equipamentos automáticos de pontuação de testes e a fita de cassete de vídeo.

Faz também hoje anos que nascia, em 1926, o Bioquímico americano Irwin Rose. Ele recebeu uma parte do Prémio Nobel de Química de 2004 (com os israelitas Aaron Ciechanover e Avram Hershko) por descobrir o papel da proteína ubiquitina nas células. Esta pequena molécula de proteína liga-se a outras proteínas, marcando-as para remoção, que são reconhecidas pelos proteassomas da célula. Estas estruturas são as unidades de eliminação de resíduos da célula, onde as proteínas são quebradas em pequenos pedaços para reutilização. Esse processo mediado pela ubiquitina limpa as proteínas indesejadas resultantes durante a divisão celular e executa o controle de qualidade das proteínas recém-sintetizadas. Processos defeituosos de quebra de proteínas levam a condições como fibrose cística, várias doenças neuro-degenerativas e certos tipos de cancro.

Por fim, faz hoje anos que nascia, em 1951, o Cientista de computação americano Dan Bricklin. Ele, juntamente com Bob Frankston, criou o VisiCalc, o primeiro programa de folha calculo (1979) que criou um mercado parar além dos entusiastas dos novos computadores pessoais. As empresas acharam o programa muito útil devido à velocidade e precisão dos seus cálculos. Originalmente escrito em linguagem Assembler 6502 para correr num Apple II de 32K bytes, foi portado para praticamente todos os principais computadores pessoais baseados em 6502 e Z80 disponíveis. Eles não obtiveram grandes lucros financeiros com o programa de folhas de calculo, apesar de, eventualmente, terem vendido mais de meio milhão de cópias em 1983. Este programa foi a ideia base para mais tarde surgirem o Lotus 1-2-3, o QuattroPro e o Excel.

Nesta semana que passou a JEDEC Solid State Technology Association anunciou a publicação do tão esperado padrão JESD79-5 DDR5 SDRAM. O padrão endereça os requisitos de exigência impulsionados por aplicações intensivas de cloud e data center corporativo, fornecendo aos engenheiros de sistemas o dobro do desempenho e muito mais eficiência de energia comparativamente com o DDR4. A produção em massa deverá começar nesta segunda metade do ano.

Também esta semana ficámos a saber que vamos ser visitados pelo cometa Neowise (nome cientifico C/2020 F3). Descoberto em Março pela NASA este cometa começou a ser visto a olho nu no inicio do mês estando a aproximar-se do dia em que melhor se pode observar – dia 23 de Julho. Trata-se de um fenómeno raro e o ultimo que foi visto já foi à mais de 20 anos. O Neowise é visível em qualquer parte do hemisfério norte, inclusive nas cidades, desde que o céu esteja limpo. Para o ver, é preciso olhar para nordeste, entre as constelações de Dolphin e a Ursa Maior. O Neowise descreve uma grande elipse em torno do Sol e sua órbita leva 6.765 anos, ou seja, a sua última visita perto da Terra foi anterior à invenção da escrita na Mesopotâmia.

Na Newsletter desta semana apresentamos diversas noticias, artigos científicos assim como projetos de maker.

Esta Newsletter encontra-se mais uma vez disponível no sistema documenta do altLab. Todas as Newsletters encontram-se indexadas no link.