Newsletter Nº201

Newsletter Nº201
News­let­ter Nº201

Faz hoje anos que nas­cia, em 1839 — Ludwig Mond. Este Quí­mi­co e indus­tri­al ale­mão-bri­tâ­ni­co aper­fei­ço­ou um méto­do de fabri­ca­ção de soda melho­ran­do o pro­ces­so alca­li­no da Sol­vay. Mond desen­vol­veu um pro­ces­so para a extrac­ção de níquel quan­do, com os seus assis­ten­tes, des­co­briu aci­den­tal­men­te com­pos­tos de car­bo­ni­la de metal enquan­to inves­ti­ga­va por que as vál­vu­las de níquel esta­vam cor­roí­das pelo monó­xi­do de car­bo­no. Outras pes­qui­sas leva­ram à sín­te­se de mais car­bo­ni­los metá­li­cos, que Lord Kel­vin des­cre­veu como “metais com asas” e ao pro­ces­so de níquel-car­bo­ni­la da Mond para refi­nar o níquel. O ter­mo “célu­la de com­bus­tí­vel” foi ape­li­da­do em 1889 por Ludwig Mond e Char­les Lan­ger, que ten­ta­ram cons­truir o pri­mei­ro dis­po­si­ti­vo prá­ti­co para usar gás de car­vão indus­tri­al e de ar, para gerar elec­tri­ci­da­de ao rea­gir hidro­gé­nio com oxi­gé­nio.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1900, Fritz Lon­don. Este Físi­co ger­ma­no-ame­ri­ca­no, com Wal­ter Hei­tler, inven­tou o pri­mei­ro tra­ta­men­to mecâ­ni­co quân­ti­co da molé­cu­la de hidro­gé­nio, enquan­to tra­ba­lha­va com Erwin Schrö­din­ger na Uni­ver­si­da­de de Zuri­que. Num arti­go (1927), eles desen­vol­ve­ram uma equa­ção de onda para a molé­cu­la de hidro­gé­nio com a qual foi pos­sí­vel cal­cu­lar valo­res apro­xi­ma­dos do poten­ci­al de ioni­za­ção da molé­cu­la, calor de dis­so­ci­a­ção e outras cons­tan­tes. Estes valo­res pre­vis­tos foram razo­a­vel­men­te con­sis­ten­tes com valo­res empí­ri­cos obti­dos por mei­os espec­tros­có­pi­cos e quí­mi­cos. Esta teo­ria da liga­ção quí­mi­ca de molé­cu­las homo-pola­res é con­si­de­ra­da um dos avan­ços mais impor­tan­tes da quí­mi­ca moder­na. A abor­da­gem é mais tar­de cha­ma­da de teo­ria da liga­ção de valên­cia.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1917, Betty Hol­ber­ton. Esta enge­nhei­ra infor­me­ti­ca Nor­te-ame­ri­ca­na foi uma dos seis pro­gra­ma­do­res ori­gi­nais do ENIAC, o pri­mei­ro com­pu­ta­dor digi­tal elec­tró­ni­co de pro­pó­si­to geral, e foi a inven­to­ra dos “bre­ak­points” no “debug” de com­pu­ta­do­res. Pro­gra­ma­do o ENIAC para rea­li­zar cál­cu­los para tra­jec­tó­ri­as balís­ti­cas elec­tro­ni­ca­men­te para o Labo­ra­tó­rio de Pes­qui­sa Balís­ti­ca (BRL). Ela aju­dou a desen­vol­ver o UNIVAC, pro­jec­tan­do pai­néis de con­tro­le que colo­cam o tecla­do numé­ri­co ao lado do tecla­do e per­su­a­din­do os enge­nhei­ros a subs­ti­tuir o exte­ri­or pre­to do UNIVAC pelo tom cin­za-bege que veio a ser a cor uni­ver­sal dos com­pu­ta­do­res. Hol­ber­ton tra­ba­lhou com John Mau­chly para desen­vol­ver o con­jun­to de ins­tru­ções C-10 para o BINAC, que é con­si­de­ra­do o pro­tó­ti­po de todas as lin­gua­gens de pro­gra­ma­ção moder­nas. Ela tam­bém par­ti­ci­pou do desen­vol­vi­men­to de padrões ini­ci­ais para as lin­gua­gens de pro­gra­ma­ção COBOL e FORTRAN com Gra­ce Hop­per. Mais tar­de, como fun­ci­o­ná­ria do Nati­o­nal Bure­au of Stan­dards, ela foi mui­to acti­va nas duas pri­mei­ras revi­sões da Lin­gua­gem For­tran (“FORTRAN 77” e “For­tran 90”).

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1930, Stan­ley Mil­ler. Este Quí­mi­co nor­te-ame­ri­ca­no fez uma série de expe­ri­ên­ci­as famo­sas, para deter­mi­nar a pos­sí­vel ori­gem da vida a par­tir de subs­tân­ci­as quí­mi­cas inor­gâ­ni­cas na ter­ra pri­mi­ti­va, recém-for­ma­da. Ele pas­sou por des­car­gas eléc­tri­cas (simu­lan­do tro­vo­a­das) atra­vés de mis­tu­ras de gases redu­to­res, como hidro­gé­nio, amó­nia, meta­no e água, que se acre­di­ta terem for­ma­do a atmos­fe­ra mais anti­ga. Os dias de aná­li­se mos­tra­ram que os pro­du­tos quí­mi­cos resul­tan­tes incluíam gli­ce­ri­na e ala­ni­na, os ami­noá­ci­dos mais sim­ples, os blo­cos de cons­tru­ção bási­cos das pro­teí­nas. Outros com­pos­tos incluí­ram ureia, aldeí­dos e áci­dos car­bo­xí­li­cos. Assim, uma “sopa pri­mi­ti­va” é a expli­ca­ção mais plau­sí­vel actu­al­men­te acei­ta, embo­ra incom­ple­ta, da ori­gem das com­ple­xas molé­cu­las orgâ­ni­cas da vida.

Nes­ta sema­na que pas­sou Linus Tor­valds anun­ci­ou o pri­mei­ro Ker­nel Linux 5.0. O ciclo de desen­vol­vi­men­to do Ker­nel Linux 5.0 come­çou à dois meses, duran­te os quais sete RC (Rele­a­se Can­di­da­te) foram publi­ca­dos para tes­tar o cami­nho para esta gran­de mudan­ça de ver­são. Embo­ra a prin­ci­pal mudan­ça de ver­são não tenha gran­de sig­ni­fi­ca­do, o ker­nel do Linux 5.0 apre­sen­ta um con­jun­to inte­res­san­te de novi­da­des, como o supor­te Fre­eSync no dri­ver grá­fi­co de códi­go aber­to AMDGPU para per­mi­tir uma expe­ri­ên­cia de visu­a­li­za­ção livre de falhas em máqui­nas com GPUs AMD Rade­on e LCDs com taxas de actu­a­li­za­ção dinâ­mi­cas. Foi tam­bém intro­du­zi­do um novo sche­du­ler ami­go da pou­pan­ça ener­gé­ti­ca que leva à ges­tão de ener­gia melho­ra­da em dis­po­si­ti­vos que usam CPUs big.LITTLE ARM, supor­te à crip­to­gra­fia do sis­te­ma de fichei­ros Adi­an­tum em fscrypt para dis­po­si­ti­vos de bai­xa ener­gia e supor­te a fichei­ros de swap no filesys­tem Btrfs. Outras alte­ra­ções notá­veis ​​inclu­em supor­te para o recur­so Gene­ric Recei­ve Offlo­ad (GRO) na imple­men­ta­ção UDP (User Data­gram Pro­to­col), supor­te para o con­tro­la­dor de recur­sos cpu­set no cgroupv2, assim como supor­te para o sis­te­ma de fichei­ros bin­derfs que per­mi­te exe­cu­tar vári­as ins­tân­ci­as do Android.

Tam­bém nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que a Vol­vo irá tes­tar um auto­car­ro sem con­du­tor em tama­nho real em Sin­ga­pu­ra. A alta den­si­da­de de Sin­ga­pu­ra tem incen­ti­van­do o desen­vol­vi­men­to de tec­no­lo­gi­as sem con­du­tor na espe­ran­ça de que seus habi­tan­tes usem mais veí­cu­los par­ti­lha­dos e trans­por­te públi­co. Tes­tes com um auto­car­ro no cam­pus uni­ver­si­tá­rio podem come­çar den­tro de algu­mas sema­nas ou meses, antes de se muda­rem para vias públi­cas após apro­va­ções regu­la­men­ta­res, dis­se o pre­si­den­te da NTU, Subra Suresh, a repór­te­res.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker. São apre­sen­ta­das as revis­tas newe­lec­tro­nics de 25 e 26 de Feve­rei­ro.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.