Newsletter Nº294

Newsletter Nº294
Newsletter Nº294

Faz hoje anos que nascia, em 1778, o químico inglês Humphry Davy. Ele descobriu vários elementos e compostos químicos, inventou a lâmpada de segurança do mineiro e resumiu o método científico. Davy descobriu os metais alcalinos: potássio e sódio, um isolamento feito com corrente eléctrica pela primeira vez; bem como metais alcalino-ferrosos: cálcio, estrôncio, bário e magnésio (1808). Ele descobriu o boro ao mesmo tempo que Gay-Lussac. Ele reconheceu o cloro como um elemento que os trabalhadores anteriores confundiam como um composto.

Faz também hoje anos que nascia, em 1797, o físico norte-americano Joseph Henry. Ele foi um dos notáveis cientistas americanos depois de Benjamin Franklin. Quando adolescente, Henry interessou-se por teatro, mas depois de ler um livro de palestras sobre ciências, a sua vida voltou-se para sempre nessa busca. Ele ajudou Samuel F.B. Morse no desenvolvimento do telégrafo. Independentemente de Michael Faraday, Henry investigou a electricidade e o magnetismo e descobriu o fenómeno da auto-indução. (Seu nome foi dado à unidade SI de indutância, o henry, H). Ele foi o primeiro director do Smithsonian Institution (1846-1878), onde iniciou a fundação de um serviço meteorológico nacional. Henry insistiu que a pesquisa básica era de fundamental importância, não um luxo.

Faz igualmente hoje anos que nascia, em 1842, o matemático norueguês Sophus Lie. Ele fez contribuições significativas para as teorias de invariantes algébricos, grupos contínuos de transformações e equações diferenciais. Grupos de Lie e álgebras de Lie foram nomeados em sua homenagem. Lie estava em Paris na eclosão da guerra franco-alemã de 1870. Lie deixou a França, decidindo ir para a Itália. No caminho, ele foi preso como um espião alemão e as suas notas matemáticas foram consideradas mensagens codificadas. Só após a intervenção do matemático francês Gaston Darboux, Lie foi libertado e decidiu regressar a Christiania, na Noruega, onde originalmente tinha estudado matemática para continuar o seu trabalho.

Faz também hoje anos que nascia, em 1861, o engenheiro electrotécnico de origem irlandesa Arthur Edwin Kennelly. Ele fez inovações em métodos analíticos em electrónica, particularmente a aplicação definitiva da teoria dos números complexos para circuitos de corrente alternada (CA). Após sua co-descoberta (com Oliver Heaviside) das propriedades reflexivas de rádio da ionosfera na atmosfera superior, o estrato foi chamado de camada Kennelly-Heaviside.

Por fim, faz hoje anos que nascia, em 1908, o químico norte-americano Willard Libby. Ele descobriu a técnica de datação por carbono-14 (ou radiocarbono) que forneceu uma ferramenta extremamente valiosa para arqueólogos, antropólogos e cientistas da Terra. Por esse desenvolvimento, ele foi homenageado com o Prémio Nobel de Química em 1960. Libby é um especialista em radioquímica, particularmente química de átomos quentes, técnicas de traçadores e trabalho com traçadores de isótopos. Ele tornou-se conhecido na Universidade de Chicago também pelo seu trabalho com trítio natural e seu uso em hidrologia e geofísica. Em 18 de maio de 1952, ele determinou que a idade de Stonehenge era 1848 aC, com base na análise de radio-isótopos no carvão.

Faz hoje anos que, em 1903, os primeiros voos tripulados, motorizados, sustentados e controlados foram realizados pelos irmãos Wright com o The Flyer, um biplano de madeira e tecido, em Kitty Hawk, Carolina do Norte. Apesar de um frio cortante, vento de 27 mph, às 10 da manhã, os Wrights decidiram tentar um voo. Orville Wright, lançado de uma pista contra o vento. O biplano voou baixo sobre o solo por 37 m, no ar por 12 segundos. Pela primeira vez, uma máquina que carregava um homem ergueu-se no ar pela sua própria força em pleno voo, voou para a frente sem redução de velocidade e finalmente pousou num ponto tão alto como aquele de onde tinha partido. Mais três voos foram feitos nas horas seguintes. O último, com Wilbur Wright a bordo, foi o mais longo, cobrindo 260 m em 59 segundos. O vento então perturbou o Flyer, danificando-o e ele nunca mais voou.

Em 1979, o primeiro veículo foguete que alegadamente quebrou a barreira do som em terra foi conduzido pelo piloto acrobático Stan Barrett, que atingiu 1190 km/h (mais rápido que a velocidade do som) numa pista de testes de 4.8 quilómetros em Rogers Lake, Edwards Air Force Base, Califórnia. O seu veículo de três rodas tinha 48.000 h.p. o foguete impulsionado por 12.000 h.p. de um Míssil Sidewinder. Foi interrompido por um pára-quedas de arrasto. O carro em formato de avião custou cerca de US $ 800.000. O recorde de velocidade nunca se tornou oficial porque a média de duas corridas é necessária, e o carro nunca mais andou. Além disso, a carga de combustível do carro era insuficiente para permitir que ele completasse uma milha medida em velocidade recorde, e os motores de foguete não poderiam ser preparados para uma volta de retorno dentro do período estipulado de 1 hora.)

E nesta semana que passou a cápsula da sonda Chang’e-5 pousou cerca das 2 horas locais (18 horas em Portugal) no distrito de Siziwang, na região da Mongólia Interior no passado dia 16. Passaram-se mais de 40 anos desde que as missões American Apollo e a Soviética Luna trouxeram as suas amostras para casa. Os novos espécimes devem fornecer uma nova visão sobre a geologia e a história do satélite da Terra. Não está claro a quantidade, mas possivelmente na faixa de 2-4kg.

Também nesta semana que passou a Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA )tem o prazer de confirmar que as amostras do asteróide Ryugu foram recolhidas dentro do recipiente de amostra dentro da cápsula de reentrada do explorador de asteróide, Hayabusa2. A cápsula Hayabusa2 foi recuperada em Woomera, Austrália, em 6 de Dezembro de 2020 e entregue no Campus JAXA Sagamihara a 8 de Dezembro. Os trabalhos começaram então para abrir o recipiente das amostras dentro da cápsula de reentrada. A 14 de Dezembro, uma amostra de grãos de areia preta que se pensava ser derivada do asteróide Ryugu foi confirmada estar dentro do recipiente de amostra. Acredita-se que sejam partículas presas à entrada do colector de amostras (o recipiente no qual as amostras foram armazenadas).

Também esta semana Linus Torvalds anunciou a disponibilização do kernel de Linux 5.10 LTS. Como de costume, após dois meses de desenvolvimento, o criador do Linux Linus Torvalds lançou oficialmente um novo kernel Linux 5.10. É também o kernel de suporte a longo prazo (LTS) mais recente, que será mantido e receberá correcções de bugs durante os próximos cinco anos até 2026. Como novidades o sistema de ficheiros XFS suporta agora “timestamps” até ao 2486 em vez da limitação anterior para o ano 2038, e o EXT4 suporta o modo de confirmação rápida para um desempenho de reescrita de ficheiros mais rápido. O sistema de ficheiros Btrfs também recebeu melhorias significativas de desempenho na área de operação fsync. Adicionalmente este kernel suporta o display do Raspberry Pi 4 através do driver VC4 DRM. De entre as restantes novidades temos o suporte para o controlador da Nintendo Switch, boot EFI de RISC-V, suporte para extensão de marcação de memória ARM, suporte para placa de som Creative Labs SoundBlaster AE-7, suporte para processador Ingenic MIPS X2000 / X2000E IoT, suporte de processadores de display AMDGPU DC GCN 1.0 “Southern Islands” assim como de encriptação de registos nos ambientes virtualizados de ADM.

Na Newsletter desta semana apresentamos diversas noticias, artigos científicos assim como projetos de maker. É apresentado o livro Data Parallel C++ e a revista MagPI nº 101 de Janeiro de 2021.

Esta Newsletter encontra-se mais uma vez disponível no sistema documenta do altLab. Todas as Newsletters encontram-se indexadas no link.