Newsletter Nº237

Newsletter Nº237
News­let­ter Nº237

Faz hoje anos que nas­cia, em 1765, Robert Ful­ton. Este inven­tor, enge­nhei­ro e artis­ta ame­ri­ca­no trou­xe o bar­co a vapor da fase expe­ri­men­tal para o suces­so comer­ci­al. Ele não inven­tou o bar­co a vapor, cons­truí­do no iní­cio dos anos 1700, mas apli­cou suas habi­li­da­des de enge­nha­ria no seu pro­jec­to. Ele mudou as pro­por­ções, equi­lí­brio e velo­ci­da­des das idei­as já pro­pos­tas. Em 1807, o tra­ba­lho foi con­cluí­do no Cler­mont, o pri­mei­ro bar­co a vapor que foi real­men­te bem-suce­di­do e o cul­mi­nar de mui­tos anos de tra­ba­lho. A sua via­gem inau­gu­ral foi em 17 de Agos­to de Nova York a Albany, uma dis­tân­cia de 150 milhas con­cluí­da em 32 horas. Génio mecâ­ni­co com mui­tos talen­tos, ele tam­bém pro­jec­tou um sis­te­ma de vias nave­gá­veis inte­ri­o­res, um sub­ma­ri­no (Nau­ti­lus, 1801) e um navio de guer­ra a vapor.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1807, Augus­te Lau­rent. Este quí­mi­co fran­cês desen­vol­veu a quí­mi­ca orgâ­ni­ca como uma ciên­cia dis­tin­ta. Por um tem­po, ele aju­dou Jean Dumas e alar­gou o seu tra­ba­lho, enten­den­do os com­pos­tos orgâ­ni­cos como deri­va­dos das molé­cu­las de hidro­car­bo­ne­tos. Na cris­ta­lo­gra­fia, ele foi influ­en­ci­a­do por René-Just Haüy. Lau­rent reco­nhe­ceu que os áto­mos de car­bo­no for­ma­vam liga­ções com base numa estru­tu­ra de pirâ­mi­de. Além dis­so, con­tra a opi­nião de mui­tos cole­gas, ele rejei­tou a ideia de Jöns Ber­ze­lius de que mes­mo molé­cu­las orgâ­ni­cas eram for­ma­das a par­tir de enti­da­des car­re­ga­das posi­ti­va e nega­ti­va­men­te. Lau­rent mos­trou (1836) que um áto­mo de hidro­gé­nio com car­ga posi­ti­va pode­ria ser subs­ti­tuí­do por um áto­mo de clo­ro com car­ga nega­ti­va. Ele reco­nhe­ceu famí­li­as de com­pos­tos orgâ­ni­cos com gru­pos carac­te­rís­ti­cos.

Faz igual­men­te hoje anos que nas­cia, em 1863, Leo Bae­ke­land. Este indus­tri­al e quí­mi­co bel­ga-ame­ri­ca­no inven­tou o pri­mei­ro plás­ti­co ter­mo-endu­re­cí­vel, a baque­li­te, que não ama­ci­a­va quan­do aque­ci­do. A sua pri­mei­ra inven­ção bem-suce­di­da foi Velox (na déca­da de 1890), um papel foto­grá­fi­co que pode­ria ser usa­do com luz arti­fi­ci­al em vez de luz solar, que ele ven­deu em 1899 a Geor­ge East­man. Ele então expe­ri­men­tou encon­trar um subs­ti­tu­to sin­té­ti­co para goma-laca, um iso­la­dor útil de fios em bobi­nas eléc­tri­cas. Even­tu­al­men­te, ele foi capaz de con­tro­lar o calor e a pres­são para uma reac­ção for­mal­deí­do-fenol. Em 1909, ele mos­trou o pri­mei­ro plás­ti­co total­men­te sin­té­ti­co do mun­do, que pode­ria ser usa­do não ape­nas para iso­la­do­res, mas mol­da­do em botões, maça­ne­tas e inú­me­ros outros itens. Com este pro­du­to paten­te­a­do, ele aju­dou a fun­dar a moder­na indús­tria de plás­ti­cos.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1891, Fre­de­rick Ban­ting. Este médi­co fisi­o­lo­gis­ta cana­di­a­no, assis­ti­do por Char­les H. Best, foi o pri­mei­ro a extrair (1921) a hor­mo­na insu­li­na do pân­cre­as. As injec­ções de insu­li­na pro­va­ram ser o pri­mei­ro tra­ta­men­to efi­caz para o dia­be­tes, uma doen­ça na qual a gli­co­se se acu­mu­la em quan­ti­da­des anor­mal­men­te altas no san­gue. Ban­ting rece­beu uma par­te do Prê­mio Nobel de Fisi­o­lo­gia ou Medi­ci­na de 1923 por essa con­quis­ta.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1913, Mal­com McLe­an. Este empre­sá­rio e inven­tor ame­ri­ca­no desen­vol­veu o con­ten­tor de trans­por­te de metal que ago­ra é usa­do para trans­por­tar mer­ca­do­ri­as em navi­os, com­boi­os e camiões de mer­ca­do­ri­as. Os con­ten­to­res padro­ni­za­dos são for­tes o sufi­ci­en­te para empi­lhar vári­as cama­das nos navi­os e sim­pli­fi­cam bas­tan­te o manu­seio de car­ga por guin­das­tes, com gran­de eco­no­mia de cus­tos com o tra­ba­lho de car­re­gar e des­car­re­gar mer­ca­do­ri­as num núme­ro mai­or de uni­da­des meno­res de cai­xas e sacos. Ao diri­gir um úni­co camião para trans­por­tar mate­ri­ais nos pri­mei­ros anos, ele fun­dou a McLe­an Truc­king Co., que se tor­nou a segun­da mai­or nos EUA. Quan­do per­ce­beu que um camião e sua car­ro­ça­ria de car­ga podi­am ser sepa­ra­dos, ele expan­diu para o manu­seio segu­ro de con­ten­to­res. que podem ser empi­lha­dos para trans­por­te em mas­sa.

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a conhe­cer o pro­jec­to que o GitHub está a desen­vol­ver com vis­ta à pre­ser­va­ção do soft­ware open-sour­ce. O GitHub está em par­ce­ria com a Long Now Foun­da­ti­on, o Inter­net Archi­ve, a Soft­ware Heri­ta­ge Foun­da­ti­on, o Arc­tic World Archi­ve, a Micro­soft Rese­ar­ch, a Bodlei­an Library e a Stan­ford Libra­ri­es para garan­tir a pre­ser­va­ção a lon­go pra­zo do soft­ware de códi­go aber­to do mun­do. Esse conhe­ci­men­to ines­ti­má­vel será pro­te­gi­do, pelo arma­ze­na­men­to de vári­as cópi­as, con­ti­nu­a­men­te, em vári­os for­ma­tos e locais de dados, incluin­do um arqui­vo de lon­go pra­zo pro­je­ta­do para durar pelo menos 1.000 anos.
No dia 2 de Feve­rei­ro de 2020 será fei­to um snapshot do que se encon­tra no Github e serão arqui­va­dos no Arc­tic Code Vault todos os repo­si­tó­ri­os públi­cos acti­vos do GitHub, além de repo­si­tó­ri­os inac­ti­vos sig­ni­fi­ca­ti­vos, con­for­me deter­mi­na­do por estre­las, depen­dên­ci­as e um pai­nel con­sul­ti­vo. O snapshot con­sis­ti­rá no HEAD da rami­fi­ca­ção padrão de cada repo­si­tó­rio, menos os biná­ri­os mai­o­res que 100 KB. Cada repo­si­tó­rio será empa­co­ta­do como um úni­co arqui­vo TAR. Para mai­or den­si­da­de e inte­gri­da­de dos dados, a mai­o­ria dos dados será arma­ze­na­da em códi­go QR. Um índi­ce e um guia legí­veis por huma­nos deta­lham a loca­li­za­ção de cada repo­si­tó­rio e expli­cam como recu­pe­rar os dados.
O Arc­tic Code Vault do GitHub é um repo­si­tó­rio de dados pre­ser­va­do no Arc­tic World Archi­ve (AWA). O arqui­vo encon­tra-se loca­li­za­do numa anti­ga mina de car­vão desac­ti­va­da a 250 metros de pro­fun­di­da­de no per­ma­frost de uma mon­ta­nha no Arti­co em Sval­bard.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como um mode­lo 3D que pode­rá ser útil. É apre­sen­ta­da a revis­ta newe­lec­tro­nics de 12 de Novem­bro de 2019.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.