Newsletter Nº236

Newsletter Nº236
Newsletter Nº236

Faz hoje anos que nascia, em 1867, Marie Curie. Esta química e física polaco-francesa ficou conhecida pelas suas célebres experiências sobre minerais de urânio levaram à descoberta de dois novos elementos. Primeiro ela separou o polónio e alguns meses depois o rádio. A quantidade de rádon em equilíbrio radioactivo com um grama de rádio foi denominada curie (redefinida posteriormente como a emissão de 3,7 x 1010 partículas alfa por segundo.) Com Henri Becquerel e seu marido, Pierre Curie, ela recebeu o Prémio Nobel de 1903 por Física. Mais tarde, ela também foi a única ganhadora do segundo Prémio Nobel em 1911, desta vez em Química. A sua família ganhou cinco prémios Nobel em duas gerações. Ela morreu de envenenamento por radiação devido ao seu trabalho pioneiro.

Faz também anos hoje que nascia, em 1878, Lise Meitner. Esta Física austríaco-sueca partilhou o prémio Enrico Fermi com os químicos Otto Hahn e Fritz Strassmann pela sua pesquisa conjunta iniciada em 1934 que levou à descoberta da fissão de urânio. Ela recusou-se a trabalhar na bomba atômica. Em 1917, com Hahn, ela descobriu o novo elemento radioactivo protactinium. Ela foi a primeira a descrever a emissão de electrões Auger. Em 1935, ela encontrou evidências de quatro outros elementos radioactivos correspondentes aos números atómicos 93-96. Em 1938, ela foi forçada a deixar a Alemanha nazi e foi para um posto na Suécia. O seu outro trabalho no campo da física nuclear inclui o estudo de raios beta e o estudo das três principais séries de desintegração. Mais tarde, ela usou o ciclotrão como uma ferramenta.

Por fim, faz anos hoje que nascia, em 1888 – Chandrasekhara Venkata Raman. Este físico indiano influenciou o crescimento da ciência na Índia com o seu trabalho. Ele ganhou o Prémio Nobel de Física de 1930 pela descoberta de 1928, agora chamada de espalhamento Raman: uma mudança na frequência observada quando a luz é espalhada num material transparente. Quando a luz monocromática ou a laser é passada através de um gás, líquido ou sólido transparente e é observada com o espectroscópio, a linha espectral normal associa-se a ela linhas de comprimento de onda mais longas e mais curtas, chamado espectro Raman. Tais linhas, causadas por fotões que perdem ou ganham energia em colisões elásticas com as moléculas da substância, variando com a substância. Assim, o efeito Raman é aplicado na análise química espectro-gráfica e na determinação da estrutura molecular.

Nesta semana que passou ficámos a saber que a maior turbina eólica flutuante do mundo, uma turbina eólica offshore classificada em ABS de 8,4 megawatt (MW), está prestes a ser instalada. É a primeira de três unidades do tipo submersível SEMI, classificadas em ABS, projectadas pela Principle Power que abriga turbinas MHI Vestas que conjugadas têm a capacidade total de 25 MWs de energia eólica offshore flutuante. Este é o primeiro parque eólico flutuante de grande escala da Europa continental, a 20 quilómetros da costa de Viana do Castelo em Portugal. O projecto é desenvolvido pelo consórcio Windplus, que é de propriedade conjunta da EDP Renováveis, ENGIE, Repsol e Principle Power Inc., e está calendarizado para entrar em operação no final de 2019.

Na Newsletter desta semana apresentamos diversos projetos de maker. É apresentado também o livro “Raspberry Pi Beginner’s Guide v3”.

Esta Newsletter encontra-se mais uma vez disponível no sistema documenta do altLab. Todas as Newsletters encontram-se indexadas no link.

Esta Newsletter encontra-se mais uma vez disponível no sistema documenta do altLab. Todas as Newsletters encontram-se indexadas no link.