Newsletter Nº227

Newsletter Nº227
News­let­ter Nº227

Faz hoje anos que nas­cia, em 1667, Giro­la­mo Sac­che­ri. Este Mate­má­ti­co ita­li­a­no tra­ba­lhou para pro­var o quin­to pos­tu­la­do de Eucli­des, que pode ser decla­ra­do como: “Atra­vés de qual­quer pon­to que não este­ja numa deter­mi­na­da linha, uma e ape­nas uma linha podem ser tra­ça­das para­le­las à linha”. Eucli­des viu que a pro­va não era evi­den­te, mas tam­bém não a for­ne­ceu; em vez dis­so, ele a acei­tou como uma supo­si­ção. Pos­te­ri­or­men­te, mui­tos mate­má­ti­cos ten­ta­ram pro­var este quin­to pos­tu­la­do a par­tir dos res­tan­tes axi­o­mas — e falha­ram. Sac­che­ri adop­tou a nova abor­da­gem de assu­mir pri­mei­ro que o pos­tu­la­do esta­va erra­do, depois seguiu todas as con­sequên­ci­as, pro­cu­ran­do qual­quer con­tra­di­ção que dei­xas­se o úni­co pos­tu­la­do ori­gi­nal como a úni­ca solu­ção pos­sí­vel. No pro­ces­so, ele che­gou per­to de des­co­brir a geo­me­tria não eucli­di­a­na, mas desis­tiu cedo demais.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1850, Eugen Golds­tein. Este físi­co ale­mão des­co­briu e nome­ou os rai­os do canal (1886) que emer­gem atra­vés de ori­fí­ci­os nos âno­dos dos tubos de des­car­ga eléc­tri­ca de bai­xa pres­são (pos­te­ri­or­men­te mos­tra­dos como par­tí­cu­las car­re­ga­das posi­ti­va­men­te). Ante­ri­or­men­te, ele desig­nou o ter­mo “raio cató­di­co” (1876) emi­ti­do a par­tir de um cáto­do. Ele foi o pri­mei­ro a ver que eles podi­am pro­jec­tar uma som­bra e foram emi­ti­dos per­pen­di­cu­lar­men­te à super­fí­cie. Ele tam­bém inves­ti­gou os com­pri­men­tos de onda da luz emi­ti­da por metais e óxi­dos quan­do os rai­os do canal coli­dem sobre eles.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1932, Robert H. Den­nard. Este Enge­nhei­ro elec­tro­téc­ni­co nor­te-ame­ri­ca­no é res­pon­sá­vel pela inven­ção da memó­ria dinâ­mi­ca de aces­so ale­a­tó­rio (DRAM), para a qual foi emi­ti­da uma paten­te em 1968. Den­nard tam­bém foi um dos pri­mei­ros a reco­nhe­cer o tre­men­do poten­ci­al de redu­zir os MOS­FETs. A teo­ria de esca­la que ele e seus cole­gas for­mu­la­ram em 1974 pos­tu­lou que os MOS­FETs con­ti­nu­am a fun­ci­o­nar como inter­rup­to­res con­tro­la­dos por ten­são, enquan­to todas as figu­ras de méri­to, como den­si­da­de de layout, velo­ci­da­de ope­ra­ci­o­nal e efi­ci­ên­cia ener­gé­ti­ca, melho­ram — des­de que as dimen­sões geo­mé­tri­cas, as ten­sões e con­cen­tra­ções de doping sejam con­sis­ten­te­men­te dimen­si­o­na­das para man­ter o mes­mo cam­po eléc­tri­co. Esta pro­pri­e­da­de está sub­ja­cen­te ao cum­pri­men­to da Lei de Moo­re e à evo­lu­ção da micro-elec­tró­ni­ca nas últi­mas déca­das.

Nes­ta sema­na que pas­sou a nave espa­ci­al Indi­a­na Chandrayaan‑2 liber­tou a son­da Vikram que irá ater­rar na Lua. As duas meta­des da mis­são lunar da Índia se sepa­ra­ram em pre­pa­ra­ção para o momen­to mais impor­tan­te de todo o esfor­ço.
A 2 de Setem­bro, a mis­são Chandrayaan‑2 divi­diu-se em duas naves espa­ci­ais dis­tin­tas: uma que irá cir­cu­lar pelos pólos da Lua por cer­ca de um ano e um módu­lo de ater­ra­gem que, no final des­ta sema­na, ten­ta­rá o pri­mei­ro toque da Índia na Lua.

Tam­bém esta sema­na ficá­mos a saber que foi lan­ça­da a espe­ci­fi­ca­ção USB 4. Esta vem essen­ci­al­men­te per­mi­tir a ope­ra­ção de duas fai­xas usan­do cabos USB Type‑C exis­ten­tes e ope­ra­ção de até 40 Gbps em cabos cer­ti­fi­ca­dos, os vári­os pro­to­co­los de dados e exi­bi­ção irão par­ti­lhar com efi­ci­ên­cia a lar­gu­ra de ban­da agre­ga­da máxi­ma, e a com­pa­ti­bi­li­da­de com ver­sões ante­ri­o­res com USB 3.2, USB 2.0 e Thun­der­bolt 3.

Por fim, é espe­ra­do que um aste­rói­de mai­or que a Tor­re Eif­fel pos­sa pas­sar per­to da Ter­ra nas pró­xi­mas horas. O GT3 2019 é clas­si­fi­ca­do como um “aste­rói­de poten­ci­al­men­te peri­go­so”, o que sig­ni­fi­ca que está a ser exa­mi­na­do deta­lha­da­men­te pela comu­ni­da­de astro­nó­mi­ca, ape­nas algu­mas sema­nas após a pas­sa­gem mui­to pró­xi­ma de outro sobre­voo — o de um objec­to “ani­qui­la­dor de cida­des” com a desig­na­ção de 2019 OK. A NASA aler­tou que este aste­rói­de gigan­tes­co que ultra­pas­sa uma bom­ba nucle­ar de 50 mega-tone­la­das de ener­gia pas­sa­rá pela Ter­ra ama­nhã. A rocha espa­ci­al em ques­tão, que tem o nome de 2019 GT3, tem uns impres­si­o­nan­tes 370 metros de lar­gu­ra, mai­or em tama­nho do que a icó­ni­ca Tor­re Eif­fel.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.