Newsletter Nº217

Newsletter Nº217
News­let­ter Nº217

Faz hoje anos que nas­cia, em 1806, Augus­tus De Mor­gan. Este mate­má­ti­co e lógi­co inglês fez um tra­ba­lho impor­tan­te na lógi­ca sim­bó­li­ca abs­tra­ta, a teo­ria das rela­ções e for­mu­lou as leis de De Mor­gan: um é “NÃO (A E B) = (NÃO A) OU (NÃO B)” e o outro é “NÃO (A OU B) = (NÃO A) E (NÃO B)”. Estas leis con­ti­nu­am a ser apli­ca­das na teo­ria da pro­va moder­na e na pro­gra­ma­ção de soft­ware. Quan­do ele defi­niu e intro­du­ziu o ter­mo “indu­ção mate­má­ti­ca” (1838), ele deu ao pro­ces­so uma base e cla­re­za rigo­ro­sas que antes não tinham. Ele ori­gi­nou o uso da bar­ra para repre­sen­tar frac­ções, como em 1/5 ou 3/7. Em Tri­go­no­me­tria e Álge­bra Dupla (1849) ele deu uma inter­pre­ta­ção geo­mé­tri­ca de núme­ros com­ple­xos.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1901, Mer­le Antony Tuve. Este Físi­co e geo­fí­si­co nor­te-ame­ri­ca­no fez o pri­mei­ro uso de ondas de rádio pul­sa­das para explo­rar a ionos­fe­ra. Ele inven­tou o equi­pa­men­to de detec­ção neces­sá­rio para medir o tem­po entre rece­ber um pul­so de rádio direc­to e um segun­do pul­so reflec­ti­do da ionos­fe­ra. As obser­va­ções que ele fez for­ne­ce­ram a base teó­ri­ca para o desen­vol­vi­men­to do radar. Tuve, com Lawren­ce R. Hafs­tad e Nor­man P. Hey­den­burg, fize­ram as pri­mei­ras e defi­ni­ti­vas medi­ções da for­ça nucle­ar entre a for­ça pro­tão-pro­tão nas dis­tân­ci­as nucle­a­res. Duran­te a Segun­da Guer­ra Mun­di­al, ele desen­vol­veu o fusí­vel de pro­xi­mi­da­de. Após a guer­ra, ele fez impor­tan­tes con­tri­bui­ções para a sis­mo­lo­gia expe­ri­men­tal, a radi­o­as­tro­no­mia e a astro­no­mia ópti­ca.

Nes­ta sema­na que pas­sou fica­mos a conhe­cer a nova ver­são do Rasp­ber­ry PI — 4. Con­ti­nu­an­do com o cus­to que nos habi­tu­ou esta ver­são intro­duz um con­jun­to de novi­da­des que pas­sam pela exis­tên­cia de três ver­sões da Board. De base todas elas equi­pa­das com um micro-con­tro­la­dor ARM Cor­tex-A72 Quad-Core a 1.5GHz, uma inter­fa­ce Ether­net a Giga­git, wire­less 802.11ac de ban­da dupla, Blu­e­to­oth 5.0, duas por­tas USB 3.0, duas por­tas USB 2.0, supor­te micro-HDMI para duas saí­das de vídeo até 4Kp60, GPI Vide­o­Co­re VI. As três ver­sões são de 1GB, 2GB ou 4GB de RAM. De notar que a dis­po­si­ção das inter­fa­ces foi alte­ra­da o que requer novas cai­xas. Tam­bém a ali­men­ta­ção pas­sou a ser fei­ta por USB‑C para ultra­pas­sar as limi­ta­ções de potên­cia que a inter­fa­ce micro-USB tinha per­mi­tin­do o Rasp­ber­ry PI 4 poder con­su­mir mais.

Tam­bém esta sema­na ficá­mos a saber que no pas­sa­do dia 25 a Spa­ceX lan­çou o STP‑2 (Spa­ce Test Program‑2). Este pro­gra­ma pro­ce­deu ao lan­ça­men­to com suces­so de 24 saté­li­tes. Estes irão tes­tar inú­me­ros fac­to­res que são neces­sá­ri­os ana­li­sar em pre­pa­ra­ção para uma futu­ra mis­são a Mar­te. Des­tes des­ta­cam-se os E‑TBEx que irão explo­rar as bolhas nas cama­das elec­tri­ca­men­te car­re­ga­das da atmos­fe­ra supe­ri­or da Ter­ra, que podem inter­rom­per as comu­ni­ca­ções e os sinais GPS nos quais con­fi­a­mos todos os dias, o “Deep Spa­ce Ato­mic Clock” que é um reló­gio ató­mi­co exclu­si­vo que tes­ta­rá uma nova for­ma das naves espa­ci­ais nave­ga­rem no espa­ço pro­fun­do. A tec­no­lo­gia pode tor­nar a nave­ga­ção seme­lhan­te a um GPS pos­sí­vel na Lua e em Mar­te. O GPIM que tes­ta­rá um novo sis­te­ma de pro­pul­são que fun­ci­o­na com um com­bus­tí­vel não tóxi­co de alto desem­pe­nho de nave espa­ci­al. Esta tec­no­lo­gia pode­rá aju­dar a impul­si­o­nar cons­te­la­ções de peque­nos saté­li­tes den­tro e fora da órbi­ta ter­res­tre bai­xa. Ain­da faz par­te des­te lan­ça­men­to o DSX que a bor­do trans­por­ta um ins­tru­men­to pro­jec­ta­do pelo JPL para medir vibra­ções de naves espa­ci­ais e qua­tro expe­ri­ên­ci­as da NASA que com­põem os Test­beds de Ambi­en­te Espa­ci­al (SET). A SET estu­da­rá como pro­te­ger melhor os saté­li­tes da radi­a­ção espa­ci­al, ana­li­san­do o ambi­en­te hos­til do espa­ço pró­xi­mo da Ter­ra e tes­tan­do vári­as estra­té­gi­as para miti­gar os impac­tos. Estas infor­ma­ções podem ser usa­das para melho­rar o pro­jec­to, a enge­nha­ria e as ope­ra­ções das naves, a fim de pro­te­ger as mes­mas con­tra radi­a­ções noci­vas cau­sa­das pelo Sol.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como um mode­lo 3D que pode­rá ser útil. É apre­sen­ta­da a revis­ta Mag­PI Nº83, o livro The Offi­ci­al Rasp­ber­ry Pi Beginner’s Gui­de – 2nd Edi­ti­on e a revis­ta newe­lec­tro­nics de 11 de Junho.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.