Newsletter Nº213

Newsletter Nº213
Newsletter Nº213

Faz hoje anos que nascia, em 1423, Georg von Peurbach. Este matemático e astrónomo austríaco promoveu o uso de algarismos arábicos (introduzido 250 anos antes no lugar dos numerais romanos), especialmente numa tabela de senos que ele calculou com precisão sem precedentes. Ele morreu antes que este projecto estivesse terminado e seu aluno, Regiomontanus, continuou até a sua própria morte. Peurbach era um seguidor da astronomia de Ptolomeu. Ele insistiu na realidade sólida das esferas de cristal dos planetas, indo um pouco além dos escritos de Ptolomeu. Ele calculou tabelas de eclipses em Tabulae Ecclipsium, observou o cometa de Halley em Junho de 1456 e o eclipse lunar de 3 de Setembro de 1457 de um local perto de Viena. Peurbach escreveu sobre astronomia, as suas observações e desenvolveu instrumentos astronómicos.

Faz também anos hoje que nascia, em 1908, Hannes Alfvén. Este astrofísico sueco foi um dos fundadores do campo da física dos plasmas (o estudo dos gases ionizados). Ele partilhou o Prémio Nobel de Física em 1970 (com o francês Louis Néel). Alfvén foi reconhecido “pelo trabalho fundamental em magneto-hidrodinâmica com aplicações notáveis em diferentes partes da física dos plasmas”. Ele concebeu a cosmologia do plasma como uma alternativa à teoria do Big Bang da origem do universo. No conceito de cosmologia do plasma, o universo não tem um começo específico nem tem um fim previsível. Em vez de um domínio por forças gravitacionais, a teoria sustenta que são as forças electromagnéticas do plasma em todo o universo que organizam a matéria do universo em sua estrutura observada de estrelas.

Faz igualmente anos hoje que nascia, em 1916, Joseph W. Kennedy. Este químico e físico norte-americano, foi um dos quatro co-descobridores do plutónio, (elemento 94) que foi produzido a partir de óxido de urânio bombardeado com deutério num ciclotron na Univ. da Califórnia em Berkeley. Posteriormente, em 28 de Março de 1941, Glenn Seaborg, Emilio Segrè e Joseph Kennedy demonstraram que o plutónio, como o U235, é fissionável com neutrões lentos, portanto neutrões de qualquer velocidade, o que implica que é um potencial material de bomba de fissão. Ele foi instrutor de química enquanto trabalhava no projecto de pesquisa liderado por Glenn Seaborg na Universidade da Califórnia, em Berkeley. Depois de trabalhar com a Seaborg, Kennedy foi escolhido por J. Robert Oppenheimer para liderar a Divisão de Química do Projecto Manhattan.

Por fim, faz anos hoje que nascia, em 1934, Aleksey Arkhipovich Leonov. Este cosmonauta russo, foi o primeiro homem a sair de uma nave espacial. Em 18 de Março de 1965, Voskhod 2 foi lançado ao espaço levando Leonov com Pavel Belyayev a bordo. Na segunda órbita, Leonov deixou a nave espacial através da fechadura à pressão enquanto ainda estava amarrada à nave. Ele fez filmes e praticou a movimentação fora da nave por 10 minutos. Voskhod 2 fez 17 órbitas a cerca de 177 km acima da terra. Dez anos depois, em 17 de Julho de 1975, Leonov comandou a nave Soyuz soviética, que estava em órbita com uma nave norte-americana Apollo.

Nesta semana que passou ficámos a saber que a SpaceX lançou 60 satélites Starlink do Space Launch Complex 40 (SLC-40) no Cabo Canaveral, na Florida. O Starlink da SpaceX é uma rede de satélites de última geração capaz de ligar o mundo, especialmente para aqueles que ainda não estão conectados, com serviços de Internet de banda larga confiáveis e acessíveis. O primeiro estágio do Falcon 9 para esta missão apoiou anteriormente a missão Telstar 18 VANTAGE em Setembro de 2018 e a missão Iridium-8 em Janeiro de 2019. Após a separação da primeira fase, a SpaceX pousou o primeiro estágio do Falcon 9 no navio “Of Course I Still Love You” que estava no Oceano Atlântico. Aproximadamente uma hora e dois minutos após o lançamento, os satélites Starlink foram posicionados a uma altitude de 440 km. Eles então usaram a propulsão a bordo para atingir uma altitude operacional de 550 km.

Também esta semana o rover Curiosity da NASA confirmou que a região em Marte que está a explorar, chamada de “unidade argilosa”, é bem merecedora de seu nome. Duas amostras que o rover recentemente perfurou em zonas de rocha chamados “Aberlady” e “Kilmarie” revelaram as maiores quantidades de minerais de argila já encontradas durante a missão. Ambos os alvos de perfuração aparecem num novo selfie tirado pelo rover a 12 de Maio de 2019, o dia marciano, ou sol, da missão.

Nesta semana que passou também chegaram inúmeras novidades da Computex 2019 que se realiza em Taiwan e que termina no próximo dia 1 de Junho. A Intel apresentou a 10ª geração de processadores Intel Core e projecto Athena. A NVIDIA apresentou novas placas capazes de fazer ray-tracing em tempo-real possibilitando uma nova geração de jogos. A AMD voltou a fazer história com o anúncio de produtos de computação e gráficos de alto desempenho baseados em tecnologia de 7nm.

Na Newsletter desta semana apresentamos diversos projetos de maker. É apresentada a revista MagPI nº82 de Junho.

Esta Newsletter encontra-se mais uma vez disponível no sistema documenta do altLab. Todas as Newsletters encontram-se indexadas no link.