Newsletter Nº209

Newsletter Nº209
News­let­ter Nº209

Faz hoje anos que nas­cia, em 1797, Abraham Pineo Ges­ner. Este Quí­mi­co e geó­lo­go cana­di­a­no foi pio­nei­ro na extrac­ção de que­ro­se­ne (que ele nome­ou) pela des­ti­la­ção seca de rocha asfál­ti­ca. Ele per­ce­beu a uti­li­da­de des­se líqui­do (conhe­ci­do como para­fi­na na Ingla­ter­ra) como com­bus­tí­vel mais lim­po em lâm­pa­das para subs­ti­tuir o óleo de baleia. Ele tam­bém inven­tou um pre­ser­van­te de madei­ra, um pro­ces­so de pavi­men­ta­ção de estra­das de asfal­to, bri­que­tes de pó de car­vão com­pac­ta­dos e uma máqui­na para iso­lar fios eléc­tri­cos.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1802, Hein­ri­ch Gus­tav Mag­nus. Este quí­mi­co e físi­co ale­mão des­co­briu o efei­to Mag­nus (a for­ça de sus­ten­ta­ção pro­du­zi­da por um cilin­dro rota­ti­vo, que por exem­plo, dá a cur­va a uma bola cur­va). Na pes­qui­sa quí­mi­ca, ele des­co­briu o pri­mei­ro dos com­pos­tos de pla­ti­na-amó­nio. O sal ver­de de Mag­nus é [Pt(NH3)4][PtCl4]). Com inte­res­ses diver­sos na ciên­cia, ele tam­bém tra­ba­lhou na absor­ção de gases pelo san­gue, na expan­são de gases quan­do aque­ci­dos, nas pres­sões de vapor de água e em vári­as solu­ções, elec­tró­li­se, cor­ren­tes indu­zi­das e ter­mo­e­léc­tri­cas, ópti­ca, mag­ne­tis­mo e hidro­di­nâ­mi­ca. Em 1865, ele repre­sen­tou a Prús­sia numa con­fe­rên­cia con­vo­ca­da para intro­du­zir um sis­te­ma métri­co uni­for­me de pesos e medi­das na Ale­ma­nha.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1844, Eli­jah McCoy. Este inven­tor e enge­nhei­ro afro-ame­ri­ca­no des­ta­cou-se pelas suas 57 paten­tes ame­ri­ca­nas, a mai­o­ria das quais tem a ver com a lubri­fi­ca­ção de moto­res a vapor.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1868, Robert W. Wood. Este Físi­co ame­ri­ca­no foto­gra­fou o refle­xo das ondas sono­ras no ar e inves­ti­gou os efei­tos fisi­o­ló­gi­cos das ondas sono­ras de alta frequên­cia. A pla­ca de zona que ele cri­ou pode­ria subs­ti­tuir a len­te objec­ti­va de um teles­có­pio. Ele inven­tou uma gra­de de difrac­ção melho­ra­da, fez pes­qui­sas em espec­tros­co­pia e ampli­ou a téc­ni­ca de espec­tros­co­pia Raman (um méto­do para estu­dar maté­ria usan­do a luz espa­lha­da por ela). Ele fez foto­gra­fi­as a mos­trar a radi­a­ção infra­ver­me­lha e ultra­vi­o­le­ta e foi o pri­mei­ro a foto­gra­far flu­o­res­cên­cia ultra­vi­o­le­ta. Wood foi o pri­mei­ro a obser­var o fenó­me­no de emis­são de cam­po no qual par­tí­cu­las car­re­ga­das são emi­ti­das de con­du­to­res num cam­po eléc­tri­co.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1947, James Dyson. Este Enge­nhei­ro e inven­tor inglês é conhe­ci­do pelas suas inven­ções que inclu­em o aspi­ra­dor sem saco Dual Cyclo­ne e o seca­dor de mãos Air­bla­de. Ele fun­dou a Dyson Rese­ar­ch Ltd. em 1979. Des­de 1970, quan­do rein­ven­tou o car­ri­nho de mão como seu Ball­bar­row, ele pro­cu­rou cri­ar novos pro­du­tos que fun­ci­o­nas­sem melhor do que qual­quer coi­sa antes deles. Ele lan­çou um aspi­ra­dor de pó sem saco fabri­ca­do e ven­di­do no Japão em 1986. Quan­do foi intro­du­zi­do na Grã-Bre­ta­nha em 1993, o seu aspi­ra­dor de pó tor­nou-se o mais ven­di­do no iní­cio de 1995. Da mes­ma for­ma, quan­do ven­di­do nos EUA a par­tir de 2002, cap­tu­rou 20% do mer­ca­do.

Nes­ta sema­na que pas­sou uma equi­pa de cien­tis­tas anun­ci­ou que estão a pre­pa­rar-se para a pas­sa­gem de um aste­rói­de den­tro de uma déca­da. A apro­xi­ma­ção do Apophis em 2029 será uma opor­tu­ni­da­de incrí­vel para a ciên­cia dizem os cien­tis­tas. É raro um aste­rói­de des­te tama­nho pas­sar tão per­to da Ter­ra. Embo­ra os cien­tis­tas tenham vis­to peque­nos aste­rói­des, na ordem de 5 a 10 metros, pas­san­do pela Ter­ra a uma dis­tân­cia simi­lar, os aste­rói­des do tama­nho de Apophis são mui­to menos nume­ro­sos e, por­tan­to, não pas­sam tão per­to da Ter­ra quan­to cos­tu­mam. O aste­rói­de Apophis tem um diâ­me­tro de 370 metros e foi des­co­ber­to em 2004.

Tam­bém esta sema­na foi lan­ça­da a nova ver­são do sis­te­ma Fedo­ra. A ver­são 30 con­ta como prin­ci­pais novi­da­des o Gno­me 3.32, o GCC 9, o Bash 5.0 e a glibc to 2.29.

Ain­da esta sema­na ficá­mos a saber que pro­gra­ma­do­res resol­vem enig­ma crip­to­grá­fi­co com 20 anos do MIT. Ber­nard Fabrot pas­sou os últi­mos três anos e meio a ten­tar encon­trar a solu­ção para um que­bra-cabe­ça anun­ci­a­do pela pri­mei­ra vez pelos pes­qui­sa­do­res do MIT em 1999. Sepa­ra­da­men­te, outra equi­pa lide­ra­da pelo exe­cu­ti­vo de tec­no­lo­gia Simon Pef­fers está pres­tes a con­cluir uma solu­ção. O que­bra-cabe­ça envol­ve essen­ci­al­men­te fazer cer­ca de 80 tri­liões de qua­dra­tu­ras suces­si­vas sobre um núme­ro ini­ci­al, e foi espe­ci­fi­ca­men­te pro­jec­ta­do para evi­tar que alguém ten­te resol­vê-lo mais rapi­da­men­te usan­do a com­pu­ta­ção para­le­la. Fabrot e Pef­fers adop­ta­ram abor­da­gens mui­to dife­ren­tes para o desa­fio. Fabrot usou um Intel Core i7-6700 sim­ples, encon­tra­do em PCs de con­su­mo, e cal­cu­lou a solu­ção usan­do a Bibli­o­te­ca Arit­mé­ti­ca de Pre­ci­são Múl­ti­pla GNU (GMP). Por outro lado, a equi­pa de Pef­fers usou um novo algo­rit­mo de mul­ti­pli­ca­ção (pro­jec­ta­do por Erdinç Öztürk da Uni­ver­si­da­de de Saban­ci) para ser exe­cu­ta­do num ace­le­ra­dor de hard­ware pro­gra­má­vel cha­ma­do FPGA. A equi­pa, que está a tra­ba­lhar como par­te de uma cola­bo­ra­ção cha­ma­da Cryp­topha­ge, está no cami­nho cer­to para ter­mi­nar o que­bra-cabe­ça a 11 de maio, após ape­nas dois meses de com­pu­ta­ção. No anún­cio ori­gi­nal, a LCS pro­me­teu que, se uma solu­ção cor­re­ta fos­se apre­sen­ta­da, eles abri­ri­am uma “cáp­su­la do tem­po” espe­ci­al pro­jec­ta­da pelo arqui­tec­to Frank Gehry e reple­ta de arte­fac­tos his­tó­ri­cos do inven­tor da Web Tim Ber­ners-Lee, do co-inven­tor da Ether­net, Bob Met­cal­fe e do fun­da­dor da Micro­soft, Bill Gates. A ceri­mo­nia da aber­tu­ra da cáp­su­la acon­te­ce­rá na quar­ta-fei­ra, 15 de maio, às 16h. no Sta­ta Cen­ter do MIT.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.