Newsletter Nº183

Newsletter Nº183
Newsletter Nº183

Faz hoje anos que nascia, em 1863, [George Parker](https://en.wikipedia.org/wiki/George_Safford_Parker). Este Inventor norte-americano aperfeiçoou a caneta-tinteiro e fundou a Parker Pen Company para fabricá-la. Ele começou numa carreira docente que o introduziu na falta de fiabilidade das canetas usadas pelos seus alunos. Através da venda e reparação delas, ele aprendeu sobre sua construção. Deixou de ensinar em 1888 para experimentar seu próprio projeto. Em 8 de março de 1892, ele incorporou a Parker Pen Company. Posteriormente, ele patenteou muitas melhorias e foi particularmente bem-sucedido na criação de um sistema fiável de fluxo de tinta.

Faz também hoje anos que nascia, em 1879, [Oskar Barnack](https://en.wikipedia.org/wiki/Oskar_Barnack). Este engenheiro alemão projetou a primeira câmara miniatura (1913), a Leica I. A sua introdução comercial, adiada pela primeira guerra mundial, foi feita em 1924 pela empresa de ótica Ernst Leitz em Wetzlar, Alemanha, onde ele estava empregado. Barnack era um fotógrafo entusiasta numa altura em que apenas as câmaras pesadas estavam disponíveis. No início de 1905, ele concebeu usando um negativo de formato reduzido, para ser ampliado após a exposição. Ele adaptou sua ideia do equipamento que ele fez para tirar fotos em filmes cinematográficos para testar a sua sensibilidade e consistência antes do uso do filme. Para esta câmara, Barnack estabeleceu o tamanho padrão de filme de 35 mm ao dobrar o quadro de cinema padrão de 18x24mm. A sua invenção tinha apenas 1/250 do peso de uma câmara de placa.

Faz igualmente anos hoje que nascia, em 1911, [Donald William Kerst](https://en.wikipedia.org/wiki/Donald_William_Kerst). Este físico norte-americano inventou o betatron (1940), o primeiro dispositivo para acelerar electrões (“partículas beta”) a velocidades altas o suficiente para ter um momento suficiente para produzir transformações nucleares em átomos. Os electrões são acelerados por indução eletromagnética num anel em forma de donut (toroidal) do qual o ar foi removido. Este tipo de acelerador de partículas pode produzir electrões de alta energia até 340 MeV para fins de pesquisa, incluindo a produção de raios X de alta energia. Para tais velocidades altas, o campo magnético é aumentado para coincidir com o aumento relativístico na massa das partículas. Durante a Segunda Guerra Mundial, Kerst trabalhou em Los Alamos em um projecto de bomba atómica. Ele completou o maior betatron em 1950, na Universidade de Illinois.

Por fim, faz anos hoje que nascia, em 1950. [Robert B. Laughlin](https://en.wikipedia.org/wiki/Robert_B._Laughlin). Este Físico norte-americano partilhou (com Daniel C. Tsui e Horst Störmer) o Prémio Nobel de Física em 1998 pela pesquisa sobre o efeito quântico de Hall fracionário. Num condutor de corrente, o efeito Hall clássico é a voltagem produzida em ângulo recto com um campo magnético, como descoberto em 1879. Um século depois, o físico alemão Klaus von Klitzing descobriu que num poderoso campo magnético a temperaturas extremamente baixas a resistência Hall de um semicondutor é quantificada em “passos” integrais. Usando campos magnéticos ainda mais fortes e temperaturas mais baixas, Störmer e Tsui descobriram etapas fracionarias, explicadas pela teoria de Laughlin de que os electrões podem formar um novo tipo de fluido quântico com quasi-partículas contendo fracções de uma carga do electrão.

Nesta semana que passou foi lançado o Fedora 29. Dentro de 1 semana fará 15 anos desde que foi lançado o Fedora 1. Esta nova versão do Fedora foi preparada para diferentes ambientes como o “core”, Workstation, Server, Atomic Host, etc. Em termos de novidades esta versão trás como principio a sua modularidade que permite enviar diferentes versões de pacotes na mesma base do Fedora. Outras grandes mudanças incluem o GNOME 3.30 na área de trabalho, o ZRAM para as imagens ARM e uma imagem Vagrant para o Fedora Scientific.

Nesta semana que passou também ficámos a saber que a NASA desactivou o telescópio espacial Kepler. Depois de nove anos no espaço profundo obtendo dados que indicam que o nosso céu será preenchido com biliões de planetas ocultos – mais planetas até que estrelas – o telescópio espacial Kepler da NASA ficou sem combustível necessário para outras operações científicas. A NASA decidiu aposentar a sonda dentro de sua órbita actual e segura, longe da Terra. Kepler deixa um legado de mais de 2.600 descobertas de planetas de fora do nosso sistema solar, muitas das quais poderiam ser lugares promissores para a vida.

Na Newsletter desta semana apresentamos diversos projetos de maker assim como um modelo 3D que poderá ser útil. São apresentadas as newelectronics de 22 e 23 de Outubro de 2018.

Esta Newsletter encontra-se mais uma vez disponível no sistema documenta do altLab. Todas as Newsletters encontram-se indexadas no link.