Newsletter Nº179

Newsletter Nº179
News­let­ter Nº179

Faz hoje anos que nas­cia, em 1858, Mihaj­lo Pupin. Este Físi­co ame­ri­ca­no-sér­vio desen­vol­veu um meca­nis­mo de ampli­ar enor­me­men­te o alcan­ce da comu­ni­ca­ção tele­fó­ni­ca de lon­ga dis­tân­cia, colo­can­do bobi­nes de car­re­ga­men­to (de ara­me) em inter­va­los pre­de­ter­mi­na­dos ao lon­go do fio trans­mis­sor. Pupin tor­nou-se ins­tru­tor de físi­ca mate­má­ti­ca (1890) na Colum­bia Uni­ver­sity, em Nova York. Em 1986, ele des­co­briu que os áto­mos atin­gi­dos pelos rai­os X emi­tem radi­a­ção de rai­os X secun­dá­ria. Ele tam­bém inven­tou uma for­ma de tirar foto­gra­fi­as de raio X de cur­ta expo­si­ção. A Bell Telepho­ne Com­pany, em 1901, adqui­riu a paten­te de sua inven­ção para tele­fo­nia de lon­ga dis­tân­cia. Pupin ganhou um Pré­mio Pulit­zer (1924) pelo seu tra­ba­lho auto­bi­o­grá­fi­co, From Immi­grant to Inven­tor (1923).

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1903, Cyril Stan­ley Smith. Este Meta­lúr­gi­co bri­tâ­ni­co-ame­ri­ca­no deter­mi­nou em 1943–44 as pro­pri­e­da­des e a tec­no­lo­gia do plu­tó­nio e do urâ­nio, os mate­ri­ais essen­ci­ais nas bom­bas ató­mi­cas que explo­di­ram pela pri­mei­ra vez em 1945. Smith já tinha então 15 anos de expe­ri­ên­cia como inves­ti­ga­dor meta­lúr­gi­co da Ame­ri­can Brass Co. ., duran­te o qual ele estu­dou pro­pri­e­da­des de ligas e sua micro-estru­tu­ra. Na Segun­da Guer­ra Mun­di­al, ele jun­tou-se ao Labo­ra­tó­rio Los Ala­mos no seu iní­cio (1943). As pro­pri­e­da­des e tec­no­lo­gia do plu­tó­nio tinham que ser con­du­zi­das com quan­ti­da­des extre­ma­men­te limi­ta­das de mate­ri­al dis­po­ní­vel. Smith e seu gru­po des­co­bri­ram que era úni­co, com cin­co for­mas alo­tró­pi­cas dife­ren­tes, com enor­mes dife­ren­ças de den­si­da­de entre elas.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1903, John Vin­cent Ata­na­soff. Este físi­co ame­ri­ca­no foi ofi­ci­al­men­te mas tar­di­a­men­te conhe­ci­do pelo desen­vol­vi­men­to do pri­mei­ro com­pu­ta­dor digi­tal elec­tró­ni­co. Cons­truí­do em 1937–42 na Uni­ver­si­da­de do Esta­do de Iowa por Ata­na­soff e um estu­dan­te de pós-gra­du­a­ção, Clif­ford Ber­ry, intro­du­ziu as idei­as de arit­mé­ti­ca biná­ria, memó­ria rege­ne­ra­ti­va e cir­cui­tos lógi­cos. Essas idei­as foram comu­ni­ca­das de Ata­na­soff a John Mau­chly, que as uti­li­zou no pro­jec­to do mais conhe­ci­do ENIAC, cons­truí­do e paten­te­a­do vári­os anos depois. Em 19 de outu­bro de 1973, um juiz fede­ral dos EUA assi­nou sua deci­são após um lon­go jul­ga­men­to no tri­bu­nal que decla­rou a paten­te do ENIAC invá­li­da e nome­ou Ata­na­soff como o inven­tor ori­gi­nal do com­pu­ta­dor digi­tal elec­tró­ni­co, o Ata­na­soff-Ber­ry Com­pu­ter ou ABC.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1916, Vitaly Ginz­burg. Este Físi­co sovié­ti­co e astro­fí­si­co ficou conhe­ci­do pela sua pes­qui­sa sobre a teo­ria da super­con­du­ti­vi­da­de e a teo­ria dos pro­ces­sos de alta ener­gia na astro­fí­si­ca, teo­ri­as da pro­pa­ga­ção de ondas elec­tro­mag­né­ti­cas em plas­mas, radi­o­as­tro­no­mia e a ori­gem dos rai­os cós­mi­cos. Ele aju­dou a desen­vol­ver a bom­ba de hidro­gé­nio sovié­ti­ca. Em 2003, Ginz­burg divi­diu o Pré­mio Nobel de Físi­ca (com Ale­xei A. Abri­ko­sov e Anthony J. Leg­gett) por “con­tri­bui­ções pio­nei­ras à teo­ria dos super-con­du­to­res e super-flui­dos.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1918, Keni­chi Fukui. Este Quí­mi­co japo­nês par­ti­lhou o Pré­mio Nobel de Quí­mi­ca de 1981 com Roald Hoff­mann pela inves­ti­ga­ção dos meca­nis­mos das reac­ções quí­mi­cas. Em 1952, na Uni­ver­si­da­de de Kyo­to, Fukui intro­du­ziu sua “teo­ria de reac­ções orbi­tais de fron­tei­ra”. Ele propôs que a evo­lu­ção de uma reac­ção é deter­mi­na­do pela geo­me­tria e ener­gi­as rela­ti­vas de orbi­tais mole­cu­la­res de rea­gen­tes. A teo­ria expli­ca o ata­que elec­tro­lí­ti­co, por exem­plo, que ocor­re no áto­mo de car­bo­no com a mai­or den­si­da­de de elec­trões de fron­tei­ra (ener­gia mais alta). Em mea­dos da déca­da de 1960, Fukui e Hoff­mann des­co­bri­ram — qua­se simul­ta­ne­a­men­te e inde­pen­den­te­men­te um do outro — que as pro­pri­e­da­des de sime­tria dos orbi­tais de fron­tei­ra pode­ri­am expli­car cer­tos cur­sos de reac­ção que antes eram difí­ceis de enten­der.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1924, Mau­ri­ce Kar­naugh. Este físi­co nor­te-ame­ri­ca­no ficou conhe­ci­do na his­to­ria por ter cri­a­do os mapas de Kar­naugh. O mapa de Kar­naugh (KM ou K-map) é um méto­do de sim­pli­fi­ca­ção das expres­sões de álge­bra boo­le­a­na.

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que exis­tem for­tes indí­ci­os que espiões chi­ne­ses con­se­gui­ram infil­trar-se em mais de 30 com­pa­nhi­as de tec­no­lo­gia nor­te-ame­ri­ca­nas atra­vés da colo­ca­ção de um chip nas mother­bo­ards dos ser­vi­do­res usa­dos por estas com­pa­nhi­as. As mother­bo­ards foram fabri­ca­das na chi­na pela Super­mi­cro e os chips foram implan­ta­dos em fabri­cas que for­ne­ci­am a Super­mi­cro. Pos­te­ri­or­men­te quan­do um ser­vi­dor era ins­ta­la­do e liga­do, o chip alte­ra­va o núcleo do sis­te­ma ope­ra­ti­vo para acei­tar modi­fi­ca­ções. O chip tam­bém pode­ria entrar em con­tac­to com com­pu­ta­do­res con­tro­la­dos pelos espiões em bus­ca de mais ordens e/ou códi­go mais recen­te.

Tam­bém esta sema­na a Wi-Fi Alli­an­ce intro­du­ziu o Wi-Fi 6. A Wi-Fi Alli­an­ce apre­sen­ta o Wi-Fi 6 como a desig­na­ção da indús­tria para pro­du­tos e redes que supor­tam a pró­xi­ma gera­ção de Wi-Fi®, com base na tec­no­lo­gia 802.11ax. O Wi-Fi 6 faz par­te de uma nova abor­da­gem de nomen­cla­tu­ra da Wi-Fi Alli­an­ce, que for­ne­ce aos uti­li­za­do­res uma desig­na­ção de fácil com­pre­en­são para a tec­no­lo­gia Wi-Fi supor­ta­da pelo seu dis­po­si­ti­vo e usa­da numa liga­ção que o dis­po­si­ti­vo faz com uma rede Wi-Fi. O novo sis­te­ma de nome­a­ção iden­ti­fi­ca as gera­ções de Wi-Fi por uma sequên­cia numé­ri­ca que cor­res­pon­de aos prin­ci­pais avan­ços no Wi-Fi. Os nomes de gera­ção podem ser usa­dos por for­ne­ce­do­res de pro­du­tos para iden­ti­fi­car a tec­no­lo­gia Wi-Fi mais recen­te que um dis­po­si­ti­vo supor­ta, por for­ne­ce­do­res de SO para iden­ti­fi­car a gera­ção de cone­xão Wi-Fi entre um dis­po­si­ti­vo e a rede e por pro­ve­do­res de ser­vi­ço para iden­ti­fi­car os recur­sos de uma rede Wi-Fi para seus cli­en­tes.

Tam­bém esta sema­na a NASA anun­ci­ou que vai pro­ce­der ao “Swit­ch” tem­po­rá­rio dos ‘Brains’ do rover Curi­o­sity. Enge­nhei­ros do Labo­ra­tó­rio de Pro­pul­são a Jato da NASA em Pasa­de­na, Cali­fór­nia, nes­ta sema­na, orde­na­ram que o rover Curi­o­sity da agên­cia mudas­se para seu segun­do com­pu­ta­dor. A tro­ca per­mi­ti­rá que os enge­nhei­ros façam um diag­nós­ti­co deta­lha­do de um pro­ble­ma téc­ni­co que impe­diu que o com­pu­ta­dor acti­vo do rover arma­ze­ne infor­ma­ção e alguns dados impor­tan­tes de enge­nha­ria des­de 15 de Setem­bro.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.