Maker Faire 2016 — A Garra Makey e a Bee

Era uma vez uma gar­ra e a sua irmã, que pas­sa­vam os dias aban­do­na­das na casa de banho do FabLab em Lis­boa.

Um dia os cava­lei­ro do rei­no do altLab res­ga­ta­ram uma das irmãs e acei­ta­ram-na na sua famí­lia, arran­ja­ram-na e apren­de­ram sobre ela, cons­truí­ram-lhe novos inter­fa­ces e, com o apoio da Lin­do Ser­vi­ço, ves­ti­ram-na, com os melho­res tra­jes do rei­no, para a levar à Maker Fai­re 2016.

A Prin­ce­sa Gar­ra Makey foi ado­ra­da por cri­an­ças dos 8 aos 80, que se deli­ci­a­ram com os doces e pre­sen­tes que ela tinha para dar

Tal foi o bur­bu­ri­nho que os orga­ni­za­do­res da Fes­ta, deci­di­ram reco­nhe­cer por duas vezes o méri­to da Prin­ce­sa com duas belas fitas azuis e dou­ra­das.

Mas a Prin­ce­sa não ia só, leva­va como con­vi­da­dos o Mes­tre Gus­ta­vo com o seu cho­co­la­te arte­sa­nal; O Cava­lei­ro João Alves com o altLap­se: Os altLab­bers João Sil­va e Fer­nan­do Car­va­lho com pro­jec­to “Eze­qui­el” — sonar para os invi­su­ais que iden­ti­fi­ca os obs­tá­cu­los por meio de vibra­ção; Logo ali ao lado pela mão do Luis Dinis e com a aju­da do Fer­nan­do Car­va­lho, rugi­am furi­o­sa­men­te os moto­res, numa pis­ta que era ali­men­ta­da pela ener­gia de quem peda­la­va, pis­ta essa, que tam­bém ela rece­beu a sua mere­ci­da fita de méri­to.

hackyracers_byMakerfaire

De todo o reco­nhe­ci­men­to que a equi­pa pode­ria ter tido, para além das fitas de méri­to de pro­jec­to e da fita de méri­to como Hac­kers­pa­ce, o melhor e ines­pe­ra­do esta­va guar­da­do para o fim e veio de uma Abe­lha…

Das mãos do Mes­tre Fran­cis­co Men­des, veio o mai­or reco­nhe­ci­men­to que pode­ría­mos rece­ber como colec­ti­vo, uma per­fei­ta Pru­sa Bee que orgu­lho­sa­men­te toma­rá o lugar da nos­sa ado­ra­da BQ.

 

E assim aca­ba uma his­tó­ria que pro­me­te come­çar mui­tas outras…

 

AGRADECIMENTOS

Em nome de todo o altLab que­ro expres­sar em Pri­mei­ro lugar o nos­so agra­de­ci­men­to ao Luís Coe­lho, que dis­po­ni­bi­li­zou ao altLab e à sua equi­pa, sem reser­vas e de bra­ços aber­tos o aces­so ás ins­ta­la­ções da Lin­do Ser­vi­ço o que per­mi­tiu ao altLab ves­tir a Prin­ce­sa do Povo. Luís Coe­lho, que segun­do a equi­pa que tra­ba­lhou na Gar­ra Makey mere­ce a fita de méri­to de Melhor Patrão do Mun­do, 🙂 é tam­bém um dos pou­cos homens em por­tu­gal que se pode orgu­lhar de ser res­pon­sa­vel por fazer caír OVNIS em fren­te ao Vas­co da Gama e enco­lher auto­mó­veis.

Que­ro agra­de­cer à equi­pa do altLab que tor­nou o pro­jec­to Pos­sí­vel, em par­ti­cu­lar  ao João Sil­va AKA Guar­da João, que pre­ser­ve­ran­te­men­te par­ti­lhou vari­as noi­ta­das a quei­mar dedos e neu­ró­ni­os para aju­dar a des­cons­truir a lógi­ca de con­tro­le da Gar­ra;

Ao Pedro Angê­lo por ter sido estru­tu­ran­te na pre­pa­ra­ção do códi­go, a par­tir dos fra­cos ensai­os pue­ris que lhe dis­po­ni­bi­li­zei como vec­to­res de cons­tru­ção e pela aber­tu­ra do repo­si­tó­rio da gar­ra assim como o cons­tan­te apoio e res­pos­ta aos desa­fi­os que lhe fomos colo­can­do.

Ao Afon­so Mura­lha que desen­vol­veu o con­tro­le via nun­chuck da wii  e que à rebe­lia dos pais per­ma­ne­ceu dedi­ca­da­men­te con­nos­co no dia ante­ri­or à fei­ra a fina­li­zar as deco­ra­ções e tes­tar os con­tro­les da gar­ra (agra­de­ci­men­to espe­ci­al aos pais por terem per­mi­ti­do 🙂

Ao João Alves que em dete­ri­men­to do seu pro­je­to pes­so­al e do seu tem­po de famí­lia se lan­çou ao desa­fio com um con­tro­la­dor via capa­ce­te das obras (Pro­jec­to que infe­liz­men­te foi mais tei­mo­so que nós e não quis fun­ci­o­nar duran­te a fei­ra) e que per­ma­ne­ceu com a equi­pa da Gar­ra pela madru­ga­da a fora a ulti­mar os per­pa­ra­ti­vos.

Ao Mes­tre Cas­qui­nha da Lin­do Ser­vi­ço, mar­ce­nei­ro por pai­xão e Maker de cer­ve­ja, igua­ri­as e enge­nho­cas, por nos ter empres­ta­do a sua car­ri­nha, sem a qual não teri­a­mos con­se­gui­do trans­por­tar a Gar­ra.

Ao Mes­tre Gui­lher­me da Arti­ca por ter dis­po­ní­bi­li­za­do o trans­por­te para a nos­sa Gar­ra no cami­nho de vol­ta a casa.

Ao Mes­tre Gus­ta­vo ter acei­te o desa­fio de par­ti­lhar con­nos­co o segre­do do seu cho­co­la­te.

A toda a equi­pa do altLab, da Maker­Fai­re, do FabLa­bLis­boa e todos os que de algum modo influ­en­ci­am ou con­tri­bu­em para o conhe­ci­men­to livre…

 

A todos um bem haja e até bre­ve.

 

Vini­cius Sil­va — altLabHost

 

 

Reportagem — altLab n’O Corvo

logo_FINAL_rgb_site

 

Loca­li­za­do no Mer­ca­do do For­no do Tijo­lo, nos Anjos, o altLab é um hac­ker spa­ce. Isto é: uma cole­ti­vi­da­de de arte­sãos digi­tais e de par­ti­lha de conhe­ci­men­to, que está de por­tas aber­tas a todos os que qui­se­rem rein­ven­tar uma máqui­na anti­ga, mate­ri­a­li­zar pro­je­tos pes­so­ais, sol­dar com­po­nen­tes elec­tró­ni­cos ou, sim­ples­men­te, con­vi­ver e apren­der com outros “makers”. À par­te dis­to, o altLab defen­de que o sis­te­ma de ensi­no deve­ria ser alvo de um “hack”. O Cor­vo foi des­co­brir porquê.

Tex­to: Pedro Are­de
Foto­gra­fi­as: Hugo David e Pedro Are­de

Ver repor­ta­gem com­ple­ta <

Workshop — Constrói o teu CSEduino — Resumo

CSEduino_ArduinoDay_160402 (5)

Sen­do esta edi­ção uma evo­lu­ção da ante­ri­or usa­mos nes­ta Workshop uma PCB que sim­pli­fi­cou o tra­ba­lho dos par­ti­ci­pan­tes.

Ten­do entre os par­ti­ci­pan­tes alguns jovens foi bas­tan­te inte­res­san­te veri­fi­car como eles e todos os res­tan­tes par­ti­ci­pan­tes con­se­gui­ram domi­nar a arte de sol­dar fina­li­zan­do todos a mon­ta­gem do CSE­dui­no.

Foi num ambi­en­te des­con­traí­do e de cola­bo­ra­ção que decor­reu a workshop onde foram apre­sen­ta­dos diver­sos aspec­tos des­de a intro­du­ção à elec­tró­ni­ca até a cons­tru­ção de alguns cir­cui­tos em “Bre­ad­bo­ard” pas­san­do pela mon­ta­gem dos com­po­nen­tes para a cons­tru­ção do CSE­dui­no.

O resul­ta­do final não podia ser melhor e a opi­nião de todos é que gos­ta­ram da Workshop.

Em para­le­lo decor­reu a demo do kit 37 sen­so­res, dis­po­ní­vel ao públi­co para expe­ri­men­tar, repa­rou-se um ardui­no nano dani­fi­ca­do por alta cor­ren­te com junk de uma mother­bo­ard (o dio­do tinha mor­ri­do) e apre­sen­ta­ram-se pro­jec­tos altLab fei­tos com ardui­no como a pis­ta de car­ros Hacky Racers, uma Laser CNC base­a­da no GRBL para a qual se pro­du­zir a estru­tu­ra e até um sis­te­ma de pre­sis­tên­cia de visão a fun­ci­o­nar num ATiny85.

As ins­ta­la­ções do FabLa­bLX pro­por­ci­o­na­ram-nos o espa­ço e mei­os para que pudés­se­mos dar a Workshop com qua­li­da­de, um gran­de bem haja pelo gran­de apoio que nos têm dado.

Aqui ficam as ima­gens… Con­ti­nue rea­ding “Workshop — Cons­trói o teu CSE­dui­no — Resu­mo”

His name is João Alveirinho… @15.07.15

Humanity has lost a Master anr the sky has a new Star.
 
 
O altLab está de Luto.
 
 

O Céu ganha hoje mais uma estre­la em Pro­xi­ma Cen­tau­ri e a huma­ni­da­de per­de um núcleo de sabe­do­ria com­pai­xão e cama­ra­da­gem.
 
 

A par­ti­da do Mes­tre JAC, como era conhe­ci­do pelos ami­gos no Lab, dei­xa sau­da­des e um vazio difí­cil de pre­en­cher.
Duran­te a bre­ve pas­sa­gem pelo colec­ti­vo, foi uma estre­la ins­pi­ra­do­ra que ilu­mi­nou, com seu bri­lho for­te e calo­ro­so, o colec­ti­vo.
Foi mui­to mais do que um Ami­go para todos nós, foi Mes­tre, Alu­no, Cole­ga dedi­ca­do, Estu­di­o­so tei­mo­so, Pre­ser­ve­ran­te e um exem­plo vivo de melho­ria con­ti­nua dis­ci­pli­na e seren­di­pi­da­de. Um Ser de bon­da­de e par­ti­lha genuí­na.
 
 

Tan­to que ain­da temos para apren­der con­ti­go, mas o des­ti­no sub­trai-nos a essa pos­si­bi­li­da­de.
 
 

Um gran­de bem Haja Mes­tre João Alvei­ri­nho, foi uma hon­ra, obri­ga­do por todo o tem­po que divi­dis­te con­nos­co.
 

À famí­lia ofe­re­ce­mos as nos­sas con­do­lên­ci­as e apoio no que puder­mos aju­dar…
 

Vini­cius Sil­va
altLab Host e todos os ami­gos altLab

// UPDATE @18.07.2015

O Mes­tre par­te para outro pla­no aos 46 anos de ida­de.
O Cor­po será vela­do esta sex­ta-fei­ra dia 18.07.2015 na Igre­ja Matriz da Ama­do­ra, o Fune­ral será dia 19.07.2015 na sua ter­ra mãe em Mal­pi­ca do Tejo, Cas­te­lo Bran­co às 15h.

//


Em tua hon­ra:

The light that burns twi­ce as bright burns half as long — and you have bur­ned so very, very bright JAC