Newsletter Nº167

Newsletter Nº167
News­let­ter Nº167

Faz hoje anos que nas­cia, em 1854, Geor­ge East­man. Este inven­tor e indus­tri­al nor­te-ame­ri­ca­no foi um fabri­can­te pio­nei­ro de mate­ri­ais foto­grá­fi­cos, incluin­do lami­na­dos (paten­te­a­do pela pri­mei­ra vez a 14 de Outu­bro de 1884) e a câma­ra Kodak (paten­te­a­da a 4 de Setem­bro de 1888). Ele fun­dou a East­man-Kodak Com­pany, que duran­te anos man­te­ve um mono­pó­lio vir­tu­al na indús­tria de câma­ras e fil­mes. A intro­du­ção da pri­mei­ra câma­ra Kodak (uma pala­vra cunha­da, 1888, que se tor­nou uma mar­ca regis­ta­da) aju­dou a pro­mo­ver a foto­gra­fia ama­do­ra em lar­ga esca­la.

Faz igual­men­te hoje anos que nas­cia, em 1895, Buck­mins­ter Ful­ler. Este inven­tor, edu­ca­dor, autor, filó­so­fo, enge­nhei­ro e arqui­tec­to nor­te-ame­ri­ca­no que desen­vol­veu a cúpu­la geo­dé­si­ca. Esta gran­de cúpu­la pode ser colo­ca­da direc­ta­men­te no solo como uma estru­tu­ra com­ple­ta. Não há limi­te para o tama­nho para o qual ele pode ser cons­truí­do e reter resis­tên­cia estru­tu­ral sufi­ci­en­te. Ful­ler tam­bém inven­tou uma ampla gama de outras máqui­nas de mudan­ça de para­dig­ma e sis­te­mas estru­tu­rais. Ele esta­va espe­ci­al­men­te inte­res­sa­do em pro­jec­tos de alta resis­tên­cia ao peso, com um máxi­mo de uti­li­da­de para o míni­mo de mate­ri­al. Os seus pro­jec­tos e filo­so­fia de enge­nha­ria são par­te da fun­da­ção da esté­ti­ca con­tem­po­râ­nea de design de alta tec­no­lo­gia. Ele deti­nha mais de 2000 paten­tes.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1913, Wil­lis Lamb. Este físi­co nor­te-ame­ri­ca­no e ven­ce­dor em comum, com Poly­karp Kus­ch, do Pré­mio Nobel de Físi­ca em 1955 “por suas des­co­ber­tas sobre a estru­tu­ra fina do espec­tro de hidro­gé­nio”. O seu tra­ba­lho expe­ri­men­tal esti­mu­lou refi­na­men­tos nas teo­ri­as quân­ti­cas dos fenó­me­nos elec­tro­mag­né­ti­cos.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1928, Eli­as James Corey. Este quí­mi­co orgâ­ni­co nor­te-ame­ri­ca­no, ven­ce­dor do Pré­mio Nobel de Quí­mi­ca em 1990 “pelo seu desen­vol­vi­men­to da teo­ria e meto­do­lo­gia da sín­te­se orgâ­ni­ca”. Ele é conhe­ci­do prin­ci­pal­men­te pelo seu tra­ba­lho em aná­li­ses assis­ti­das por com­pu­ta­dor de pro­ble­mas de sín­te­se. Usan­do a “aná­li­se retro-sin­té­ti­ca”, uma molé­cu­la alvo pode ser divi­di­da por eta­pas rever­sí­veis em com­pos­tos mais sim­ples e pron­ta­men­te dis­po­ní­veis, o que é mui­to auxi­li­a­do pelo uso de com­pu­ta­do­res. Corey sin­te­ti­zou mais de 100 subs­tân­ci­as pela pri­mei­ra vez, incluin­do ter­pe­nos (hidro­car­bo­ne­tos de óleo vege­tal) e gin­ko­li­de B (um extrac­to da árvo­re gin­ko usa­do para con­tro­lar a asma).

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que a Lockhe­ed Mar­tin cri­ou uma cúpu­la de titâ­nio impres­sa em 3-D para tan­ques de com­bus­tí­vel de saté­li­tes. O vei­cu­lo de 1,16 metros de diâ­me­tro com­ple­tou as roda­das finais de tes­tes de qua­li­da­de este mês, fina­li­zan­do um pro­gra­ma de desen­vol­vi­men­to de vári­os anos para cri­ar tan­ques gigan­tes de alta pres­são que trans­por­tam com­bus­tí­vel a bor­do de saté­li­tes.

Tam­bém esta sema­na, a OPENER, Inc., pio­nei­ra em veí­cu­los aére­os para via­gens de con­su­mi­do­res, reve­lou hoje o Black­Fly; a pri­mei­ra aero­na­ve ultra-leve de des­co­la­gem e ater­ra­gem ver­ti­cal de asa fixa total­men­te elé­tri­ca ultra­le­ve (VTOL). O Black­Fly é um Veí­cu­lo Aéreo Pes­so­al (PAV) de assen­to úni­co pro­jec­ta­do e cons­truí­do para um novo mun­do de trans­por­te tri­di­men­si­o­nal. Black­Fly é sim­ples de domi­nar e não requer licen­ci­a­men­to for­mal (nos EUA) ou habi­li­da­des espe­ci­ais para ope­rar com segu­ran­ça. Embo­ra o Black­Fly tenha recur­sos anfí­bi­os com­ple­tos, ele é pro­jec­ta­do prin­ci­pal­men­te para ope­rar facil­men­te a par­tir de peque­nas áre­as rel­va­das e per­cor­rer dis­tân­ci­as de até 40 qui­ló­me­tros a uma velo­ci­da­de de 100 km/h (res­tri­ção dos EUA).

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker. É apre­sen­ta­da a revis­ta newe­lec­tro­nics de 10 de Julho de 2018.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº166

Newsletter Nº166
News­let­ter Nº166

Faz hoje anos que nas­cia, em 1750, Ami Argand. Este quí­mi­co suí­ço ficou conhe­ci­do por ter inven­ta­do a lâm­pa­da Argand, um quei­ma­dor de óleo com um pavio tubu­lar den­tro de uma cha­mi­né de vidro que indu­ziu uma cor­ren­te de ar atra­vés de dois tubos de fer­ro, con­cên­tri­cos com o pavio, resul­tan­do numa melhor com­bus­tão. Quei­ma dez vezes mais que uma sim­ples lam­pa­ri­na a óleo, com menos fumo e chei­ro. O óleo de col­za usa­do era vis­co­so, então a ali­men­ta­ção de com­bus­tí­vel era for­ne­ci­da pela gra­vi­da­de de um vaso ele­va­do. Ele fabri­cou a lâm­pa­da por ape­nas alguns anos por­que duran­te a Revo­lu­ção Fran­ce­sa as suas fábri­cas foram des­truí­das. Em 1793, não ten­do nenhu­ma com­pen­sa­ção por suas per­das, Argand mudou-se para Ingla­ter­ra. Ele tam­bém é conhe­ci­do por aju­dar os irmãos Mont­gol­fi­er com seus voos de balão, e pelo seu tra­ba­lho para des­ti­la­ri­as.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1820, Wil­li­am John Mac­quorn Ran­ki­ne. Este enge­nhei­ro e físi­co esco­cês é um dos fun­da­do­res da ciên­cia da ter­mo­di­nâ­mi­ca, par­ti­cu­lar­men­te em refe­rên­cia à teo­ria dos moto­res a vapor. Como pre­si­den­te de enge­nha­ria civil e mecâ­ni­ca em Glas­gow, ele desen­vol­veu méto­dos para resol­ver a dis­tri­bui­ção de for­ça em estru­tu­ra arma­das. Ran­ki­ne tam­bém escre­veu sobre a fadi­ga no metal de eixos fer­ro­viá­ri­os, sobre as pres­sões da Ter­ra na mecâ­ni­ca do solo e a esta­bi­li­da­de das pare­des. Ele foi elei­to Fel­low da Royal Soci­ety em 1853. Entre suas obras mais impor­tan­tes estão o Manu­al de Mecâ­ni­ca Apli­ca­da (1858), Manu­al do Motor a Vapor e Outros Movi­men­ta­do­res Pri­má­ri­os (1859) e Sobre a Teo­ria Ter­mo­di­nâ­mi­ca de Ondas de Dis­túr­bi­os Lon­gi­tu­di­nais Fini­tos.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1891, John Howard North­rop. Este Bioquí­mi­co ame­ri­ca­no rece­beu (com James B. Sum­ner e Wen­dell M. Stan­ley) o Pré­mio Nobel de Quí­mi­ca em 1946 por puri­fi­car e cris­ta­li­zar com suces­so cer­tas enzi­mas, per­mi­tin­do-lhe deter­mi­nar a sua natu­re­za quí­mi­ca. Duran­te a Pri­mei­ra Guer­ra Mun­di­al, ele con­du­ziu pes­qui­sas sobre pro­ces­sos de fer­men­ta­ção ade­qua­dos para a pro­du­ção indus­tri­al de ace­to­na e álco­ol etí­li­co. Este tra­ba­lho levou a um estu­do de enzi­mas essen­ci­ais para a diges­tão, res­pi­ra­ção e pro­ces­sos gerais da vida. Ele cris­ta­li­zou a pep­si­na (1930), uma enzi­ma diges­ti­va pre­sen­te no suco gás­tri­co, e des­co­briu que é uma pro­teí­na, resol­ven­do assim a dis­pu­ta sobre a natu­re­za das enzi­mas. Usan­do os mes­mos méto­dos quí­mi­cos, ele iso­lou o pri­mei­ro vírus bac­te­ri­a­no (bac­te­rió­fa­go) e des­co­briu que é uma nucle­o­pro­teí­na (1938).

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que a Bai­du ini­ci­ou a pro­du­ção em volu­me da Apo­long, o pri­mei­ro auto­car­ro total­men­te autó­no­mo L4 da Chi­na. O Apo­long, desen­vol­vi­do em par­ce­ria com o fabri­can­te de auto­car­ros chi­nês King Long e com a pla­ta­for­ma aber­ta autó­no­ma Bai­du, será colo­ca­do em ope­ra­ção comer­ci­al em vári­as cida­des chi­ne­sas, incluin­do Pequim, Shenzhen, Xion­gan, Wuhan e Ping­tan, na pro­vín­cia de Fuji­an. O volu­me de pro­du­ção da Apo­long che­gou a 100 uni­da­des na sua fábri­ca em Xia­men, na pro­vín­cia de Fuji­an, sudes­te da Chi­na.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker. É apre­sen­ta­do o pri­mei­ro núme­ro da revis­ta Micro:Mag assim como o livro Soft­ware-Defi­ned Radio for Engi­ne­ers publi­ca­do pela Ana­log.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº165

Newsletter Nº165
News­let­ter Nº165

Faz hoje anos que nas­cia, em 1825, Emil Erlen­meyer. Este quí­mi­co ale­mão ficou conhe­ci­do por con­tri­buir para o desen­vol­vi­men­to ini­ci­al da teo­ria da estru­tu­ra, for­mu­lan­do a regra de Erlen­meyer e pro­jec­tar o Erlen­meyer, um tipo de fras­co quí­mi­co, que tem o seu nome.

Faz igual­men­te hoje anos que nas­cia, em 1875, Hen­ri Lebes­gue. Este Mate­má­ti­co fran­cês desen­vol­veu uma teo­ria da inte­gra­ção, ago­ra conhe­ci­da pelo seu nome. Ao esten­der o tra­ba­lho de Camil­le Jor­dan e Émi­le Borel no inte­gral de Rie­mann, Lebes­gue for­ne­ceu uma gene­ra­li­za­ção que resol­veu mui­tas das difi­cul­da­des em usar a teo­ria da inte­gra­ção de Rie­mann. Lebes­que for­ne­ceu uma base para o desen­vol­vi­men­to sub­se­quen­te da teo­ria da inte­gra­ção e sua pos­te­ri­or apli­ca­ção no cál­cu­lo, na rec­ti­fi­ca­ção de cur­vas e na teo­ria da teo­ria tri­go­no­mé­tri­ca. Ele tam­bém con­tri­buiu nou­tros cam­pos da mate­má­ti­ca, incluin­do teo­ria dos con­jun­tos, cál­cu­los de vari­a­ção e teo­ria das fun­ções.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1926, Robert Ledley. Este físi­co e radi­o­lo­gis­ta nor­te-ame­ri­ca­no inven­tou o scan­ner de diag­nós­ti­co de rai­os X — ACTA (Auto­ma­tic Com­pu­te­ri­zed Trans­ver­se Axi­al), a pri­mei­ra máqui­na de tomo­gra­fia com­pu­to­ri­za­da (TC) de cor­po intei­ro que revo­lu­ci­o­nou o diag­nós­ti­co médi­co. O ACTA pode fazer uma aná­li­se tri­di­men­si­o­nal de todos os órgãos e par­tes do cor­po numa série de ima­gens de sec­ção trans­ver­sal usan­do rai­os X finos e pro­ces­sa­men­to de com­pu­ta­dor de alta potên­cia dos dados reco­lhi­dos. Usan­do o ACTA, o diag­nós­ti­co de tumo­res é pos­sí­vel, mes­mo den­tro de gran­des órgãos, e pode melho­rar a radi­o­te­ra­pia para o can­cro.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1936, Leon O. Chua. Este enge­nhei­ro elec­tro­téc­ni­co nor­te-ame­ri­ca­no con­tri­buiu para a teo­ria de cir­cui­tos não-line­a­res e a teo­ria da rede neu­ral celu­lar (CNN). Ele tam­bém é o inven­tor e homó­ni­mo do cir­cui­to de Chua, um dos pri­mei­ros e mais conhe­ci­dos cir­cui­tos a exi­bir um com­por­ta­men­to caó­ti­co, e foi o pri­mei­ro a con­ce­ber as teo­ri­as por detrás e pos­tu­lar a exis­tên­cia do mem­ris­tor. Trin­ta e sete anos depois dele ter pre­vis­to a sua exis­tên­cia, um mem­ris­tor de esta­do sóli­do foi cri­a­do por uma equi­pa lide­ra­da por R. Stan­ley Wil­li­ams na Hewlett Pac­kard.

Nes­ta sema­na que pas­sou a Boeing apre­sen­tou o novo con­cei­to de avião hiper­só­ni­co para pas­sa­gei­ros. Este irá pos­si­bi­li­tar via­gens inter­con­ti­nen­tais de cer­ca de 2 horas. O con­cei­to, jun­ta­men­te com outras visões do futu­ro da Boeing, esta­rão em exi­bi­ção na fei­ra Farn­bo­rough Air em Julho.

Ain­da esta sema­na foi final­men­te anun­ci­a­do o WPA3. A Wi-Fi Alli­an­ce final­men­te intro­du­ziu este novo pro­to­co­lo que irá ser a pró­xi­ma gera­ção de segu­ran­ça Wi-Fi®, tra­zen­do novos recur­sos para melho­rar as pro­tec­ções Wi-Fi em redes pes­so­ais e cor­po­ra­ti­vas. Com base na ampla adop­ção do WPA2 em mais de uma déca­da, o WPA3 adi­ci­o­na novos recur­sos para sim­pli­fi­car a segu­ran­ça Wi-Fi, per­mi­tir auten­ti­ca­ção mais robus­ta e for­ne­cer mai­or for­ça crip­to­grá­fi­ca para uti­li­za­do­res de dados alta­men­te con­fi­den­ci­ais.

Final­men­te ficá­mos tam­bém saber que o pro­jec­to Aqui­la do Face­bo­ok foi des­con­ti­nu­a­do. O pro­jec­to Aqui­la rea­li­zou dois voos de tes­te públi­cos de alto per­fil de um dro­ne pro­tó­ti­po, o pri­mei­ro dos quais em 2016 resul­tou em séri­os danos à aero­na­ve duran­te a ater­ra­gem. Ago­ra, em vez de cons­truir sua pró­pria aero­na­ve, o Face­bo­ok diz que ago­ra se con­cen­tra­rá em tra­ba­lhar com par­cei­ros em sis­te­mas de entre­ga de Inter­net em alta alti­tu­de e em ques­tões polí­ti­cas rela­ci­o­na­das à garan­tia de espec­tro e ao esta­be­le­ci­men­to de regras fede­rais em tor­no da ope­ra­ção de tais sis­te­mas.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker. É apre­sen­ta­da a revis­ta Mag­PI Nº71 assim como as revis­tas newe­lec­tro­nics de 25 e 26 de Junho.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº164

Newsletter Nº164
News­let­ter Nº164

Faz hoje anos que nas­cia, em 1781, Siméon Denis Pois­son. Este mate­má­ti­co fran­cês ficou conhe­ci­do pelo seu tra­ba­lho em inte­grais defi­ni­das, avan­ços nas séri­es de Fou­ri­er, teo­ria elec­tro­mag­né­ti­ca e pro­ba­bi­li­da­de. A dis­tri­bui­ção de Pois­son (1837) des­cre­ve a pro­ba­bi­li­da­de de que um even­to ale­a­tó­rio ocor­ra num inter­va­lo de tem­po ou espa­ço sob as con­di­ções em que a pro­ba­bi­li­da­de do even­to ocor­rer é mui­to peque­na, mas o núme­ro de ten­ta­ti­vas é mui­to gran­de para que o even­to real­men­te ocor­ra pou­cas vezes. Os seus tra­ba­lhos incluí­ram apli­ca­ções para elec­tri­ci­da­de e mag­ne­tis­mo e astro­no­mia. Ele tam­bém é conhe­ci­do pela inte­gral de Pois­son, pela equa­ção de Pois­son na teo­ria do poten­ci­al, pelos parên­te­ses de Pois­son nas equa­ções dife­ren­ci­ais, pela razão de Pois­son na elas­ti­ci­da­de e pela cons­tan­te de Pois­son na elec­tri­ci­da­de.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1863, Max Wolf. Este astró­no­mo ale­mão fun­dou e diri­giu o Obser­va­tó­rio Königs­tuhl. Ele usou a foto­gra­fia de cam­po amplo para estu­dar a Via Lác­tea e usou o tra­ta­men­to esta­tís­ti­co da con­ta­gem de estre­las para pro­var a exis­tên­cia de nuvens de maté­ria escu­ra. Ele foi um dos pri­mei­ros astró­no­mos a mos­trar que as nebu­lo­sas em espi­ral têm espec­tros de absor­ção típi­cos de estre­las e, por­tan­to, dife­rem das nebu­lo­sas gaso­sas. A sua con­tri­bui­ção mais impor­tan­te foi a intro­du­ção da foto­gra­fia para des­co­brir cen­te­nas de aste­rói­des, o pri­mei­ro dos quais ele nome­ou Bru­cia em home­na­gem ao doa­dor de seu teles­có­pio duplo de 16 pole­ga­das, Cathe­ri­ne Wol­fe Bru­ce.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1916, Joseph Bam­ford. Este inven­tor e indus­tri­al Inglês inven­tou e fabri­cou a máqui­na de cons­tru­ção JCB com uma pá ope­ra­da hidrau­li­ca­men­te na fren­te e um bra­ço de esca­va­do­ra nas cos­tas. Do negó­cio que levou suas ini­ci­ais, que ele come­çou numa gara­gem em 1945, e tor­nou-se num dos indus­tri­ais mais bem suce­di­dos da Grã-Bre­ta­nha. Ele foi pio­nei­ro a intro­du­zir o con­cei­to de retro-esca­va­do­ra na Euro­pa. Ele tam­bém é cre­di­ta­do com a ampla apli­ca­ção da tec­no­lo­gia hidráu­li­ca na cons­tru­ção e equi­pa­men­tos agrí­co­las. A empre­sa que ele fun­dou ago­ra tem um mer­ca­do glo­bal de máqui­nas pesa­das e máqui­nas agrí­co­las.

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que os cons­tru­to­res de Sto­nehen­ge usa­ram o teo­re­ma de Pitá­go­ras 2.000 anos antes do filó­so­fo gre­go nas­cer. Um novo livro, Mega­lith, ree­xa­mi­nou a anti­ga geo­me­tria dos monu­men­tos neo­lí­ti­cos e con­cluiu que eles foram cons­truí­dos por astró­no­mos sofis­ti­ca­dos que enten­di­am lon­gos ciclos luna­res, sola­res e de eclip­ses e cons­truí­ram enor­mes calen­dá­ri­os de pedra usan­do geo­me­tria com­ple­xa.

Tam­bém esta sema­na ficá­mos a saber que a Chi­na é pio­nei­ra em impres­são 3D em cerâ­mi­ca em micro-gra­vi­da­de. O uso poten­ci­al mais exci­tan­te da tec­no­lo­gia é cons­truir bases na Lua, Mar­te ou outros pla­ne­tas. Ou tal­vez ape­nas para beber chá de um copo fei­to de poei­ra lunar ou solo mar­ci­a­no. Cien­tis­tas do Cen­tro de Tec­no­lo­gia e Enge­nha­ria para Uti­li­za­ção Espa­ci­al da Aca­de­mia Chi­ne­sa de Ciên­ci­as (CAS) con­cluí­ram a pri­mei­ra expe­ri­ên­cia de fabri­ca­ção de cerâ­mi­ca do mun­do sob micro-gra­vi­da­de, usan­do a tec­no­lo­gia de pro­ces­sa­men­to digi­tal de luz a bor­do de um avião euro­peu de voos para­bó­li­cos na Suí­ça.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker. É apre­sen­ta­da a revis­ta hacks­pa­ce núme­ro 8 e o livro ace­la­ran­do a trans­for­ma­ção digi­tal com con­ten­to­res e Kuber­ne­tes.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº163

Newsletter Nº163
News­let­ter Nº163

Faz anos hoje que nas­cia, em 1736, Char­les-Augus­tin de Cou­lomb. Este físi­co fran­cês ficou conhe­ci­do pela for­mu­la­ção da lei de Cou­lomb, que afir­ma que a for­ça entre duas car­gas eléc­tri­cas é pro­por­ci­o­nal ao pro­du­to das car­gas e inver­sa­men­te pro­por­ci­o­nal ao qua­dra­do da dis­tân­cia entre elas. A for­ça de cou­lomb é uma das for­ças prin­ci­pais envol­vi­das em reac­ções ató­mi­cas. A rela­ção qua­dra­da inver­sa tam­bém é vis­ta na rela­ção da for­ça de gra­vi­ta­ção entre as mas­sas. Em 1777, ele inven­tou uma balan­ça de tor­ção que pos­te­ri­or­men­te modi­fi­cou para medi­ções eléc­tri­cas. Ele tam­bém fez pes­qui­sas sobre o atri­to de máqui­nas, sobre moi­nhos de ven­to e sobre a elas­ti­ci­da­de das fibras de metal e seda. O Cou­lomb (sím­bo­lo: C) é a uni­da­de de car­ga eléc­tri­ca do Sis­te­ma Inter­na­ci­o­nal de Uni­da­des (SI). É a car­ga (sím­bo­lo: Q ou q) trans­por­ta­da por uma cor­ren­te cons­tan­te de um ampe­re duran­te um segun­do.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1856, Andrey Mar­kov. Este mate­má­ti­co rus­so aju­dou a desen­vol­ver a teo­ria dos pro­ces­sos esto­cás­ti­cos, espe­ci­al­men­te aque­les cha­ma­dos de cadei­as de Mar­kov, sequên­ci­as de variá­veis ale­a­tó­ri­as em que a variá­vel futu­ra é deter­mi­na­da pela variá­vel pre­sen­te, mas é inde­pen­den­te da manei­ra em que o esta­do actu­al sur­giu a par­tir de seus pre­de­ces­so­res. (Por exem­plo, a pro­ba­bi­li­da­de de ganhar no jogo do mono­pó­lio pode ser deter­mi­na­da usan­do cadei­as de Mar­kov.) O seu tra­ba­lho base­a­do no estu­do da pro­ba­bi­li­da­de de even­tos mutu­a­men­te depen­den­tes foi desen­vol­vi­do e ampla­men­te apli­ca­do às ciên­ci­as bio­ló­gi­cas e soci­ais.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1862, John Ulric Nef. Este quí­mi­co suí­ço-ame­ri­ca­no publi­cou estu­dos que demons­tra­ram que o car­bo­no pode ter uma valên­cia (ou seja, afi­ni­da­de por elec­trões) de dois (como a qui­no­na), bem como uma valên­cia de qua­tro, aumen­tan­do assim enor­me­men­te a com­pre­en­são da quí­mi­ca orgâ­ni­ca teó­ri­ca. Ele for­ne­ceu uma base para o sis­te­ma moder­no de nota­ção quí­mi­ca. Ele estu­dou o tau­to­me­ris­mo, espe­ci­al­men­te de nitro-para­fi­nas, e des­co­briu o que hoje é cha­ma­do de “reac­ção de Nef”; a con­ver­são cata­li­sa­da por áci­do de nitro­al­ca­nos pri­má­ri­os e secun­dá­ri­os em aldeí­dos e ceto­nas, res­pec­ti­va­men­te. A sua prin­ci­pal pes­qui­sa foi sobre car­bo­no biva­len­te, incluin­do iso­ni­tri­las, monó­xi­do de car­bo­no, ful­mi­na­tos e meti­le­no. Nos últi­mos anos, ele estu­dou as com­ple­xas reac­ções dos açú­ca­res em álca­lis e áci­do.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1868, Karl Lands­tei­ner. Este médi­co aus­tría­co-ame­ri­ca­no, imu­no­lo­gis­ta e pato­lo­gis­ta rece­beu o Pré­mio Nobel da Medi­ci­na em 1930 pela des­co­ber­ta dos prin­ci­pais gru­pos san­guí­ne­os e pelo desen­vol­vi­men­to do sis­te­ma ABO de tipo san­guí­nea que redu­ziu mui­to o ris­co e tor­nou a trans­fu­são san­guí­nea uma prá­ti­ca médi­ca de roti­na. Esta aná­li­se do tipo san­guí­neo mos­trou-se útil tam­bém em apli­ca­ções gené­ti­cas e legais. Ele pri­mei­ro rela­tou que o san­gue tinha tipos em 1901. A base des­ses tipos são pro­teí­nas espe­cí­fi­cas cha­ma­das antí­ge­nos que são encon­tra­das na super­fí­cie dos gló­bu­los ver­me­lhos e dos anti­cor­pos encon­tra­dos no plas­ma. Ele tam­bém des­co­briu o fac­tor Rh, que expli­cou algu­mas com­pli­ca­ções da gra­vi­dez e do nas­ci­men­to, quan­do o fac­tor Rh da mãe e do bebê não com­bi­nam.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1832, Niko­laus August Otto. Este enge­nhei­ro ale­mão desen­vol­veu com suces­so o motor de com­bus­tão inter­na de car­ga com­pri­mi­da que fun­ci­o­na­va com gás de petró­leo e con­du­ziu ao moder­no motor de com­bus­tão inter­na. A VDI (Asso­ci­a­ção de Enge­nhei­ros Ale­mães) cri­ou o padrão DIN 1940 que diz “Otto Engi­ne: motor de com­bus­tão inter­na no qual a igni­ção da mis­tu­ra de ar-com­bus­tí­vel com­pri­mi­do é ini­ci­a­da por uma cen­te­lha”, que foi apli­ca­da a todos os moto­res des­te tipo des­de então.

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a conhe­cer o Sum­mit — o novo super­com­pu­ta­dor mais rápi­do do mun­do. Ins­ta­la­do no Labo­ra­tó­rio Naci­o­nal de Oak Rid­ge este com­pu­ta­dor mas­si­vo tem 27,648 Vol­ta Ten­sor Core GPUs da NVi­dia que pode dis­po­ni­bi­li­zar cer­ca de 3 exa­ops, um valor par­ti­cu­lar­men­te ele­va­do de cál­cu­los por segun­do. Cer­ca de 100 vezes mais rápi­do que o Titan, o ante­ri­or super­com­pu­ta­dor mais rápi­do dos EUA, con­cluí­do há ape­nas cin­co anos. E 95% des­se poder de com­pu­ta­ção vem das GPUs. Só para colo­car as coi­sas em pers­pec­ti­va se toda a popu­la­ção ter­res­tre fizes­se um cal­cu­lo por segun­do, demo­ra­ria 15 anos para fazer o que o Sum­mit faz em ape­nas 1 segun­do. Num tes­te ini­ci­al, uma equi­pa de geno­mi­ca resol­ve um pro­ble­ma numa hora que demo­ra­ria 30 anos a resol­ver num PC actu­al. O Sum­mit ocu­pa o espa­ço de 520 metros qua­dra­dos ou cer­ca de dois cam­pos de ténis e pesa o equi­va­len­te a um avião comer­ci­al.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker. É apre­sen­ta­da a revis­ta newe­lec­tro­nics de 12 de Junho.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.