Newsletter Nº129

Newsletter Nº129
News­let­ter Nº129

Faz hoje anos que nas­cia, em 1862, Augus­te Lumiè­re. Nas­ci­do em Besan­çon na Fran­ça este inven­tor jun­ta­men­te com o seu irmão Louis foram os pri­mei­ros cine­as­tas da his­tó­ria. Eles paten­te­a­ram um cine­ma­tó­gra­fo melho­ra­do, que em con­tras­te com o kine­tos­co­pe de “Peepshow” de Tho­mas Edi­son per­mi­tia a exi­bi­ção simul­tâ­nea para vári­as pessoas.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1872, Jac­ques E. Bran­den­ber­ger. Este quí­mi­co suí­ço ficou conhe­ci­do na his­tó­ria por ter inven­ta­do o papel celofane.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1909, Mar­gue­ri­te Perey. É atri­buí­da a esta quí­mi­ca fran­ce­sa a des­co­ber­ta do últi­mo ele­men­to quí­mi­co des­co­ber­to na natu­re­za antes de ser sin­te­ti­za­do — o frân­cio. Tra­ba­lhan­do como assis­ten­te de Marie Curie, Perey con­cen­trou-se no actí­nio por mui­tos anos por­que foi con­si­de­ra­da uma pos­sí­vel fon­te de fran­co por enfra­que­ci­men­to. No entan­to, a puri­fi­ca­ção neces­sá­ria de actí­nio e con­cen­tra­ção exi­giu deze­nas de pro­ce­di­men­tos difí­ceis e cui­da­do­sos. Depois de envi­ar uma tese sobre seu tra­ba­lho no ele­men­to 87, em 1946, ela obte­ve um diplo­ma de dou­to­ra­do em física.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1910, Subrah­manyan Chan­dra­sekhar. Este astró­no­mo e astro­fí­si­co nor­te-ame­ri­ca­no de ori­gem indi­a­na ficou conhe­ci­do por ser um dos pri­mei­ros cien­tis­tas a com­bi­nar as dis­ci­pli­nas da físi­ca e da astro­no­mia. Foi ele con­jun­ta­men­te com Wil­li­am A.Fowler que for­mu­la­ram a teo­ria actu­al­men­te acei­ta nos está­gi­os evo­lu­ti­vos pos­te­ri­o­res de estre­las mas­si­vas (o que levou à des­co­ber­ta de bura­cos negros e estre­las de neu­trões). Esta mere­ceu o pré­mio Nobel da físi­ca em 1983. No iní­cio de sua car­rei­ra, ele demons­trou que há um limi­te supe­ri­or, ago­ra cha­ma­do de limi­te Chan­dra­sekhar, para a mas­sa de uma estre­la anã bran­ca. (Uma anã bran­ca é a últi­ma eta­pa da evo­lu­ção de uma estre­la como o Sol, que ter­mi­na com o colap­so quan­do a fon­te de ener­gia nucle­ar no seu cen­tro se esgo­tou). Além dis­so, mos­tra que as estre­las mui­to mais mas­si­vas do que o Sol devem ser explo­dir ou for­mar bura­cos negros.

Na sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que a pri­mei­ra fábri­ca de emis­sões nega­ti­vas de dió­xi­do de car­bo­no come­çou a ope­rar. Pro­du­zi­mos 40 mil milhões de kg de dió­xi­do de car­bo­no a cada ano, e esta­mos no cami­nho para ultra­pas­sar um limi­ar de emis­sões cru­ci­al que cau­sa­rá aumen­to de tem­pe­ra­tu­ra glo­bal para pas­sar o peri­go­so limi­te de 2°C esta­be­le­ci­do pelo acor­do cli­má­ti­co de Paris. Mas os cien­tis­tas do cli­ma já estão a falar sobre uma tec­no­lo­gia que pode­ria nos afas­tar do abis­mo. É cha­ma­do de cap­tu­ra de ar direc­to, e con­sis­te em máqui­nas que fun­ci­o­nam como uma árvo­re, sugan­do dió­xi­do de car­bo­no (CO2) para fora do ar, mas em este­rói­des — cap­tu­ran­do milha­res de vezes mais car­bo­no na mes­ma quan­ti­da­de de tem­po con­tri­buin­do para nos afas­tar­mos da catás­tro­fe cli­má­ti­ca. A 11 de Outu­bro, numa fábri­ca de ener­gia geo­tér­mi­ca na Islân­dia, foi inau­gu­ra­do o pri­mei­ro sis­te­ma que faz a cap­tu­ra direc­ta de ar e atin­ge de for­ma veri­fi­ca­da emis­sões nega­ti­vas de car­bo­no. Embo­ra ain­da este­ja numa esca­la pilo­to — cap­tu­rar ape­nas 50 tone­la­das métri­cas de CO2 do ar a cada ano — o mes­mo emi­ti­do por uma úni­ca casa dos EUA ou 10 famí­li­as indi­a­nas — é o pri­mei­ro sis­te­ma a con­ver­ter as emis­sões em pedra, garan­tin­do assim que não irão fugir para a atmos­fe­ra nos pró­xi­mos milhões de anos.

Tam­bém esta sema­na a Wes­tern Digi­tal apre­sen­tou a pró­xi­ma gera­ção de tec­no­lo­gia que irá asse­gu­rar a pre­ser­va­ção e o aces­so ao arma­ze­na­men­to neces­sá­rio para tec­no­lo­gi­as como o Big Data. Esta assen­ta numa ino­va­ção revo­lu­ci­o­ná­ria para a pro­du­ção de uni­da­des de dis­co rígi­do de alta capa­ci­da­de (HDDs) para aten­der às futu­ras neces­si­da­des do Big Data com con­fi­a­bi­li­da­de com­pro­va­da de nível de data cen­ter. O even­to, rea­li­za­do na sede da empre­sa em Sili­con Valey, incluiu uma demons­tra­ção do pri­mei­ro HDD de gra­va­ção mag­né­ti­ca assis­ti­da por micro­on­das (MAMR). O inven­tor da tec­no­lo­gia MAMR, o pro­fes­sor Jimmy Zhu da Uni­ver­si­da­de Car­ne­gie Mel­lon este­ve pre­sen­te no even­to. A empre­sa tam­bém apre­sen­tou avan­ços na tec­no­lo­gia de micro atu­a­ção e cabe­ça de gra­va­ção Damas­ce­ne. A Wes­tern Digi­tal espe­ra come­çar a usar HDDs MAMR de alta capa­ci­da­de em 2019 para uso em cen­tros de dados que supor­tam apli­ca­ções Big Data.

Esta sema­na tam­bém, uma equi­pa de astró­no­mos, detec­tou a coli­são de duas estre­las de neu­trões usan­do ondas gra­vi­ta­ci­o­nais e luz. A des­co­ber­ta inau­gu­ra uma nova era emo­ci­o­nan­te em astro­no­mia — astro­no­mia com ondas gra­vi­ta­ci­o­nais — menos de dois anos após a pri­mei­ra detec­ção de ondas gra­vi­ta­ci­o­nais abrir uma nova jane­la no universo.

Por fim, foi lan­ça­da hoje mais uma ver­são do sis­te­ma Ubun­tu — 17.10 — “Art­ful Aard­vark”. A Cano­ni­cal anun­ci­ou hoje o lan­ça­men­to des­te novo sis­te­ma com um novo sis­te­ma de ges­tão de jane­las GNOME com Way­land e novas ver­sões do KDE, MATE e Bud­gie para res­pon­der a uma ampla gama de gos­tos. Na cloud, esta ver­são traz o Kuber­ne­tes 1.8 para ope­ra­ções de con­ten­to­res hiper-elás­ti­cos e ima­gens de base míni­mas para con­ten­to­res. Este é o 27º lan­ça­men­to do Ubun­tu, o Linux mais uti­li­za­do no mun­do, e cons­ti­tui a linha de base para os recur­sos no pró­xi­mo lan­ça­men­to de clas­se empre­sa­ri­al de supor­te a lon­go pra­zo em Abril de 2018.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como um mode­lo 3D que pode­rá ser útil. São apre­sen­ta­dos os livros “An Intro­duc­ti­on To Sta­tis­ti­cal Lear­ning With Appli­ca­ti­ons In R” e “Linux Appli­an­ce Design”.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº128

Newsletter Nº128
News­let­ter Nº128

Faz hoje anos que nas­cia, em 1812, Asca­nio Sobre­ro. Este quí­mi­co ita­li­a­no ficou conhe­ci­do por ter des­co­ber­to o com­pos­to explo­si­vo nitro­gli­ce­ri­na. Esta era for­ma­da ao adi­ci­o­nar len­ta­men­te a gli­ce­ri­na à mis­tu­ra de áci­dos nítri­co e sul­fú­ri­co. Quan­do des­co­briu o poder explo­si­vo mes­mo de uma úni­ca gota num tubo de ensaio, ele nome­ou o novo com­pos­to de piro-gli­ce­ri­na. Sobre­ro ficou hor­ro­ri­za­do com o poten­ci­al des­tru­ti­vo da sua des­co­ber­ta, e não fez nenhum esfor­ço para desen­vol­ver esse poder ele mes­mo, embo­ra tenha fica­do conhe­ci­da como nitro­gli­ce­ri­na ou óleo explosivo.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1860, Elmer Ambro­se Sper­ry. Foi um enge­nhei­ro e inven­tor ame­ri­ca­no que inven­tou a bús­so­la giros­có­pi­ca. Na déca­da de 1890, ele cri­ou inven­ções úteis em máqui­nas eléc­tri­cas de mine­ra­ção assim como o sis­te­ma de tra­vão eléc­tri­co para veí­cu­los. Em 1908, ele paten­te­ou o giros­có­pio acti­vo impe­dia que um navio se viras­se assim que come­ças­se. Ele paten­te­ou a pri­mei­ra bús­so­la giros­có­pi­ca pro­jec­ta­da expres­sa­men­te para o meio mari­nho em 1910. Este giro de “roda gira­tó­ria” foi uma gran­de melho­ria em rela­ção ao com­pas­so mag­né­ti­co tra­di­ci­o­nal e mudou o cur­so da his­tó­ria naval. O pri­mei­ro giros­có­pio Sper­ry foi tes­ta­do no mar a bor­do do USS Delawa­re em 1911 e esta­be­le­ceu a Sper­ry como líder mun­di­al na fabri­ca­ção de giros­có­pi­os mili­ta­res nos 80 anos seguintes.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1931, Ole-Johan Dahl. Este cien­tis­ta da com­pu­ta­ção noru­e­guês ficou conhe­ci­do por ser um dos pais da lin­gua­gem Simu­la e da pro­gra­ma­ção ori­en­ta­da a objec­tos con­jun­ta­men­te com Kris­ten Nyga­ard. Eles foram os pri­mei­ros a desen­vol­ver os con­cei­tos de clas­se, sub­clas­se (per­mi­tin­do ocul­ta­ção de infor­ma­ções implí­ci­tas), heran­ça, cri­a­ção dinâ­mi­ca de objec­tos, etc., todos os aspec­tos impor­tan­tes do para­dig­ma OO. Um objec­to é um com­po­nen­te autó­no­mo (com uma estru­tu­ra de dados e pro­ce­di­men­tos ou méto­dos asso­ci­a­dos) num sis­te­ma de soft­ware. Estes são com­bi­na­dos para for­mar um sis­te­ma com­ple­to. A abor­da­gem ori­en­ta­da a objec­tos é ago­ra abran­gen­te no desen­vol­vi­men­to de soft­ware moder­no, incluin­do lin­gua­gens de pro­gra­ma­ção impe­ra­ti­vas ampla­men­te uti­li­za­das, como Java e C++.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1952, Roger Heath-Brown. Este Mate­má­ti­co inglês tra­ba­lhou no cam­po da teo­ria ana­lí­ti­ca dos núme­ros. Heath-Brown é conhe­ci­do por mui­tos resul­ta­dos impres­si­o­nan­tes. Ele pro­vou que exis­tem infi­ni­ta­men­te mui­tos núme­ros pri­mos da for­ma x^3 + 2y^3.
Ficou tam­bém conhe­ci­do pela sua con­tri­bui­ção da cha­ma­da cons­tan­te de Heath-Brown–Moroz, com o seu nome e do mate­má­ti­co Boris Moroz. Esta cons­tan­te faz par­te de uma esti­ma­ti­va assimp­tó­ti­ca para a dis­tri­bui­ção de pon­tos raci­o­nais de altu­ra limi­ta­da na super­fí­cie cúbi­ca X0^3 = X1X2X3.

Na sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que a Alpha­bet vai usar o seu sis­te­ma de balões — Pro­ject Loon — para ten­tar res­ta­be­le­cer as tele­co­mu­ni­ca­ções em Por­to Rico que fica­ram bas­tan­te dani­fi­ca­das depois da pas­sa­gem dos fura­cões Irma e Maria. Os balões for­ne­ce­ri­am ser­vi­ços de voz e dados atra­vés de ope­ra­do­ras locais para tele­fo­nes dos uti­li­za­do­res. Na sua apli­ca­ção à FCC, a empre­sa incluiu car­tas e e-mails de oito ope­ra­do­ras sem fio de Por­to Rico, no qual eles con­sen­ti­ram que o Loon usas­se as suas frequên­ci­as para ali­vi­ar a situ­a­ção de desas­tre e res­tau­rar comu­ni­ca­ções ain­da que limitadas.

Tam­bém esta sema­na que pas­sou a Spa­ceX lan­çou com suces­so mais 10 novos saté­li­tes da rede Iri­dium. Os saté­li­tes Iri­dium Next foram lar­ga­dos 57 minu­tos após o lan­ça­men­to, com todo o pro­ces­so a levar cer­ca de 15 minu­tos, de acor­do com o pla­no de voo da SpaceX.

Ain­da esta sema­na, na con­fe­ren­cia GTC Euro­pe, a NVIDIA anun­ci­ou que a Deuts­che Post DHL Group (DPDHL), a mai­or empre­sa de cor­reio e logís­ti­ca do mun­do, e a ZF, um dos mai­o­res for­ne­ce­do­res de auto­mó­veis do mun­do, se jun­ta­ram para implan­tar uma fro­ta de tes­tes de camiões de entre­ga autó­no­ma, come­çan­do já em 2018. A DPDHL pro­jec­ta camiões eléc­tri­cos com o sis­te­ma de auto-con­du­ção ZF Pro­AI, base­a­do na tec­no­lo­gia NVIDIA DRIVEPX, para auto­ma­ti­zar o trans­por­te e entre­ga de paco­tes, incluin­do a “últi­ma milha” de entregas.

Tam­bém esta sema­na a Intel anun­ci­ou um nome chip para a com­pu­ta­ção quân­ti­ca dota­do de uma capa­ci­da­de de 17-qubits. O novo chip foi fabri­ca­do pela Intel e pos­sui um design exclu­si­vo para obter melhor desem­pe­nho. A dis­po­ni­bi­li­za­ção des­te chip demons­tra o pro­gres­so rápi­do que a Intel e a QuTe­ch estão a fazer na pes­qui­sa e desen­vol­vi­men­to de um sis­te­ma de com­pu­ta­ção quân­ti­ca fun­ci­o­nal. Ele tam­bém demons­tra a impor­tân­cia da ciên­cia dos mate­ri­ais e da fabri­ca­ção de semi­con­du­to­res na rea­li­za­ção da pro­mes­sa da com­pu­ta­ção quân­ti­ca. A com­pu­ta­ção quân­ti­ca, em essên­cia, é o melhor em com­pu­ta­ção para­le­la, com o poten­ci­al de resol­ver pro­ble­mas que os com­pu­ta­do­res con­ven­ci­o­nais não con­se­guem manipular.

Por fim, o aste­ri­o­de 2012 TC4, obser­va­do pela pri­mei­ra vez à 5 anos atrás pela Teles­có­pio Pan-STAR­RS no Obser­va­tó­rio de Hale­a­ka­la, no Havai vai pas­sar mui­to per­to da Ter­ra hoje dia 12. O aste­rói­de do tama­nho de uma casa será obser­va­do cui­da­do­sa­men­te por astro­fí­si­cos e pos­si­bi­li­ta­rá às agên­ci­as espa­ci­ais uma rara opor­tu­ni­da­de de tes­tar as defe­sas espa­ci­ais do pla­ne­ta assim como pen­sar no que fari­am se um aste­rói­de mai­or e mais ame­a­ça­dor fos­se detec­ta­do em direc­ção direc­ta à Terra.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como vári­os mode­los 3D que pode­rão ser úteis. É apre­sen­ta­da a revis­ta newe­lec­tro­nics de 10 de Outu­bro assim como o livro Gera­ção de Som 8-bits com o Ardui­no e o livro Rea­ding in Data­ba­se Systems.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº127

Newsletter Nº127
News­let­ter Nº127

Faz hoje anos que nas­cia, em 1781, Ber­nard Bol­za­no. Este Mate­má­ti­co e teó­lo­go che­co que fez con­tri­bui­ções sig­ni­fi­ca­ti­vas tan­to para a mate­má­ti­ca como para a teo­ria do conhe­ci­men­to. Ele for­ne­ceu uma pro­va mais deta­lha­da para o teo­re­ma bino­mi­al em 1816 e suge­riu os mei­os de dis­tin­guir entre clas­ses fini­tas e infi­ni­tas. Bol­za­no aju­dou a esta­be­le­cer as bases da aná­li­se (por exem­plo, o teo­re­ma de Bol­za­no-Wei­ers­trass), ten­tou ela­bo­rar o méto­do mate­má­ti­co e ante­ci­pou algu­mas idéi­as bási­cas da teo­ria dos con­jun­tos de Cantor.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1864, Louis Lumiè­re. Este inven­tor fran­cês, tra­ba­lhou com seu irmão Augus­te, para cri­ar equi­pa­men­tos pio­nei­ros de fil­ma­gem. Louis inven­tou o pro­jec­tor e a câma­ra de duas fun­ções “Ciné­ma­to­graphe” de 25 lb, que melho­ra­ram o Kine­tos­co­pe de Tho­mas Edi­son, adi­ci­o­nan­do um meca­nis­mo de movi­men­to de fil­me inter­mi­ten­te (base­a­do na máqui­na de cos­tu­ra). A 13 de Feve­rei­ro de 1895, eles paten­te­a­ram em con­jun­to o dis­po­si­ti­vo (como era cos­tu­me). Foi demons­tra­do pela pri­mei­ra vez a uma audi­ên­cia con­vo­ca­da em 22 de Mar­ço de 1895, mos­tran­do seu pri­mei­ro fil­me para um públi­co con­vi­da­do que viu “La Sor­tie des ouvri­ers de l’usine Lumiè­re” mos­tran­do tra­ba­lha­do­res que saem da fábri­ca de Lumiè­re. A pri­mei­ra exi­bi­ção públi­ca de suces­so em 28 de Dezem­bro de 1895 de seus fil­mes em Paris foi o “nas­ci­men­to” do cinema.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1882, Robert H. God­dard. Este físi­co e enge­nhei­ro de fogue­tes, e inven­tor nor­te-ame­ri­ca­no ficou conhe­ci­do como o “pai do fogue­tão moder­no”. Des­de os 17 anos, God­dard esta­va inte­res­sa­do em fogue­tes (1899) e, em 1908, rea­li­zou tes­tes está­ti­cos com peque­nos fogue­tes de com­bus­tí­vel sóli­do. Ele desen­vol­veu a teo­ria mate­má­ti­ca da pro­pul­são do fogue­te (1912) e pro­vou que os fogue­tes fun­ci­o­na­ri­am no vácuo para o vôo espa­ci­al (1915). Duran­te a Pri­mei­ra Guer­ra Mun­di­al, God­dard desen­vol­veu armas de fogue­te. Ele escre­veu um Méto­do de Alcan­ce de Alti­tu­des Extre­mas, em 1919. Duran­te as duas déca­das seguin­tes, ele pro­du­ziu uma série de gran­des fogue­tes de com­bus­tí­vel líqui­do na sua fábri­ca de fogue­tes em Roswell. Duran­te a Segun­da Guer­ra Mun­di­al, ele desen­vol­veu a des­co­la­gem assis­ti­da por fogue­tes de aviões de trans­por­te da Mari­nha e moto­res de fogue­te de com­bus­tí­vel de pro­pul­são variá­vel. Quan­do mor­reu, God­dard tinha 214 paten­tes em foguetões.

Faz hoje anos que nas­cia, em 1889, Dirk Cos­ter. Este físi­co holan­dês que (tra­ba­lhan­do com Georg von Hevesy) des­co­briu o ele­men­to háf­nio apli­can­do habil­men­te o méto­do de aná­li­se de rai­os X de Henry Mose­ley para dis­tin­guir as linhas espec­trais do háf­nio, ape­sar da dis­trac­ção de algu­mas linhas estra­nhas. Niels Bohr suge­riu que eles obser­vas­sem de per­to um miné­rio de zir­có­nio, um homó­lo­go, para o novo ele­men­to. Bohr ouviu por tele­fo­ne seu suces­so no dia da sua con­fe­rên­cia do Pré­mio Nobel (11 de dezem­bro de 1922), em que ele anun­ci­ou sua des­co­ber­ta. O ele­men­to, no.72, foi nome­a­do para Haf­nia, o anti­go nome roma­no para Cope­nha­ga. Ante­ri­or­men­te, tra­ba­lhan­do no labo­ra­tó­rio de Bohr em Cope­nha­ga, Cos­ter usou rai­os-X para for­ne­cer dados expe­ri­men­tais para apoi­ar a teo­ria da estru­tu­ra ató­mi­ca de Bohr e a tabe­la periódica. 

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1930, Rei­nhard Sel­ten. Este Mate­má­ti­co ale­mão que par­ti­lhou o Pré­mio Nobel de Eco­no­mia de 1994 com John F. Nash e John C. Har­sanyi pelo desen­vol­vi­men­to da teo­ria dos jogos, um ramo de mate­má­ti­ca que exa­mi­na riva­li­da­des entre con­cor­ren­tes com inte­res­ses mis­tos. Sel­ten con­se­guiu um avan­ço deci­si­vo na teo­ria dos jogos: a intro­du­ção dos con­cei­tos de equa­ção sub­jun­ti­va per­fei­ta e per­fei­ta redu­ziu o con­jun­to da Equil­li­bria de Nash dras­ti­ca­men­te excluin­do ame­a­ças que não são cre­dí­veis. Assim, podem ser fei­tas pre­vi­sões mais pre­ci­sas e sen­sí­veis para mui­tos jogos, e. mer­ca­dos. Além dis­so, a teo­ria do jogo encon­trou apli­ca­ções em todas as ciên­ci­as soci­ais e até mes­mo em biologia.

Na sema­na que pas­sou a Spa­ceX anun­ci­ou a inten­ção de subs­ti­tuir o Fal­con 9 e Fal­con Heavy e o Dra­gon por uma nova nave espa­ci­al. O pla­no é, em par­te, ter um veí­cu­lo menor do que o ori­gi­nal­men­te pla­ne­a­do para uso em mis­sões de Mar­te, que é “ain­da mui­to gran­de”, mas tam­bém é prá­ti­co para uso para “tudo o que é neces­sá­rio para uma mai­or acti­vi­da­de em órbi­ta terrestre”.

Tam­bém nes­ta sema­na que pas­sou Elon Musk que há mui­to sonha em cri­ar uma coló­nia huma­na em Mar­te, está a pla­ne­ar cons­truir uma nova nave desig­na­da por “BFR” capaz de via­jar até qual­quer lugar da Ter­ra em menos de uma hora. Se o con­cei­to se tor­nar rea­li­da­de, Musk dis­se que uma via­gem de Nova York a Xan­gai pode ser fei­ta em cer­ca de 30 minu­tos. O anún­cio de sur­pre­sa sig­ni­fi­ca que a sua Spa­ce Explo­ra­ti­on Tech­no­lo­gi­es Corp., que já aba­nou a indús­tria aero­es­pa­ci­al com lan­ça­men­tos reu­ti­li­zá­veis, pla­neia trans­por­tar seres huma­nos não ape­nas para pla­ne­tas dis­tan­tes, mas tam­bém sobre este, cri­an­do um desa­fio poten­ci­al­men­te com­pe­ti­ti­vo para a indús­tria aérea comercial.

E fez ontem 60 anos que foi lan­ça­do o famo­so saté­li­te Sput­nik-1. Com um diâ­me­tro de 58 cen­tí­me­tros e um peso de cer­ca de 84 Kg este foi o pri­mei­ro saté­li­te arti­fi­ci­al da Ter­ra. Equi­pa­do com 4 ante­nas de rádio era capaz de emi­tir sinais de rádio. O saté­li­te via­ja­va a cer­ca de 2 mil qui­ló­me­tros por hora e com­ple­ta­va uma orbi­ta à ter­ra em cer­ca de 96.2 minu­tos. Trans­mi­tiu sinais duran­te 21 dias. Foi des­truí­do na reen­tra­da na atmos­fe­ra da Ter­ra a 4 de Janei­ro de 1958, depois de via­jar cer­ca de 70 milhões de qui­ló­me­tros em 1440 orbi­tas a vol­ta da Terra.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como vári­os mode­los 3D que pode­rão ser úteis. É apre­sen­ta­da a revis­ta newe­lec­tro­nics de 26 de Setembro.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº126

Newsletter Nº126
News­let­ter Nº126

Faz hoje anos que nas­cia, em 1698, Pier­re Louis Mau­per­tuis. Este mate­má­ti­co e filó­so­fo fran­cês ficou conhe­ci­do na his­tó­ria por ter inven­ta­do o prin­cí­pio da menor acção tam­bém conhe­ci­do por prin­cí­pio de Mau­per­tuis — uma equa­ção inte­gral que deter­mi­na o cami­nho segui­do por um sis­te­ma físico.
.
Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1852, Hen­ri Mois­san. Este quí­mi­co fran­cês ficou conhe­ci­do pelo seu tra­ba­lho no iso­la­men­to do flúor dos seus com­pos­tos. Este iso­la­men­to foi pos­sí­vel atra­vés da elec­tró­li­se de uma solu­ção de flu­o­re­to de potás­sio em áci­do flu­o­rí­dri­co. Foi tam­bém ele que desen­vol­veu o for­no para pro­du­ção indus­tri­al de acetileno.

Faz tam­bém anos que nas­cia, em 1860, Paul Ulri­ch Vil­lard. Este quí­mi­co e físi­co fran­cês foi res­pon­sá­vel pela des­co­ber­ta dos rai­os gama. Ele esta­va a estu­dar as radi­a­ções de sais de urâ­nio des­co­ber­tos por Hen­ri Bec­que­rel qua­tro anos antes. As par­tí­cu­las car­re­ga­das cujos cami­nhos esta­vam dobra­dos num cam­po mag­né­ti­co eram conhe­ci­das, mas Vil­lard encon­trou uma for­ma de radi­a­ção pene­tran­te que não se des­vi­ou, mas cha­mou pou­ca aten­ção de cien­tis­tas contemporâneos.

Por fim faz anos hoje que nas­cia, em 1925, Sey­mour Cray. Este enge­nhei­ro elec­tro­téc­ni­co nor­te-ame­ri­ca­no foi pio­nei­ro no uso de tran­sís­to­res em com­pu­ta­do­res e depois desen­vol­veu super­com­pu­ta­do­res maci­ços para gerir redes de infor­ma­ções empre­sa­ri­ais e gover­na­men­tais. Ele era o pro­e­mi­nen­te cri­a­dor dos gran­des com­pu­ta­do­res de alta velo­ci­da­de conhe­ci­dos como super­com­pu­ta­do­res. Con­si­de­ra­do o pai dos super­com­pu­ta­do­res, Cray e a sua com­pa­nhia lan­çam em 1976 o Cray-1, um super­com­pu­ta­dor onde tudo no com­pu­ta­dor era rápi­do, não ape­nas o pro­ces­sa­dor. Este foi o pri­mei­ro super­com­pu­ta­dor a imple­men­tar o dese­nho de pro­ces­sa­do­res vec­tor (tam­bém desig­na­dos por array processor).

Na sema­na que pas­sou a nave espa­ci­al Osi­ris-Rex usou a for­ça gra­ví­ti­ca da Ter­ra para se lan­çar no cami­nho do aste­ri­o­de Ben­nu. A nave espa­ci­al este­ve a cer­ca de 17 mil qui­ló­me­tros da Antar­ti­da antes de seguir uma rota para nor­te por cima do oce­a­no Paci­fi­co. A mano­bra per­mi­tiu que a nave pudes­se ganhar a velo­ci­da­de neces­sá­ria para mudar a sua orbita.

Após cer­ca de um ano de tra­ba­lhos ficou final­men­te con­cluí­da uma nova liga­ção entre a Vir­gi­nia nos Esta­dos Uni­dos e Bil­bau em Espa­nha por cabo sub­ma­ri­no. Esta infra-estru­tu­ra desig­na­da por Marea foi sub­si­di­a­da pela Micro­soft e pelo Face­bo­ok e será ope­ra­da pela Tel­xius. Com mais de 6600 qui­ló­me­tros e pesan­do cer­ca de 4.65 milhões de qui­los pode trans­mi­tir mais de 160 tera­bits de infor­ma­ção por segundo.

Tam­bém esta sema­na, o com­pu­ta­dor Spa­ce­bor­ne da HPE foi liga­do a bor­do da esta­ção espa­ci­al inter­na­ci­o­nal. O Spa­ce­bor­ne é o pri­mei­ro sis­te­ma de com­pu­ta­dor comer­ci­al de alta per­for­man­ce (COTS) com um tera­FLOP na Esta­ção Espa­ci­al Internacional.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como um mode­lo 3D que pode­rá ser útil. É apre­sen­ta­da a revis­ta Mag­PI Nº62.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº125

Newsletter Nº125
News­let­ter Nº125

Faz hoje anos que nas­cia, em 1756, John Lou­don McA­dam. Este enge­nhei­ro esco­cês foi res­pon­sá­vel pela inven­ção do pro­ces­so de cons­tru­ção de estra­das desig­na­do por “Maca­dam”. Pedras eram colo­ca­das em três níveis, com as pedras mais peque­nas esma­ga­das colo­ca­das por cima. Isto pro­por­ci­o­na­va uma via­gem mais rápi­da e segu­ra. Mais tar­de, ele adi­ci­o­nou asfal­to para fixar a cama­da superior.
Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1832, Louis Paul Cail­le­tet. Este físi­co fran­cês des­ta­cou-se pelo seu tra­ba­lho sobre a lique­fa­ção de gases. Tra­ba­lhan­do no negó­cio de meta­lur­gia do seu pai, ele inves­ti­gou a per­me­a­bi­li­da­de do fer­ro ao hidro­gé­nio e outros gases, con­si­de­ran­do o com­por­ta­men­to impre­vi­sí­vel de alguns fer­ros em ter­mos de exces­so de gases dissolvidos.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1853, Hei­ke Kamer­lingh Onnes. Este físi­co holan­dês ficou conhe­ci­do pelo seu tra­ba­lho sobre físi­ca de bai­xa tem­pe­ra­tu­ra onde ele liqui­di­fi­cou o hidro­gé­nio e o hélio. Dos seus estu­dos sobre a resis­tên­cia dos metais a bai­xas tem­pe­ra­tu­ras, ele des­co­briu a super­con­du­ti­vi­da­de (um esta­do em que cer­tos metais apre­sen­tam qua­se nenhu­ma resis­tên­cia eléc­tri­ca a uma tem­pe­ra­tu­ra pró­xi­ma do zero absoluto).

Faz tam­bém anos que nas­cia, em 1866, H. G. Wells. Este escri­tor inglês ficou conhe­ci­do na his­tó­ria por ter escri­to as obras “A maqui­na do tem­po” (1895), “A ilha do dr. More­au” (1896), “O homem invi­sí­vel” (1897), “A guer­ra dos mun­dos” (1898), entre outras. Por este moti­vo foi ape­li­da­do de “pai da fic­ção cien­ti­fi­ca” con­jun­ta­men­te com Jules Verne.

Por fim faz anos hoje que nas­cia, em 1926, Donald A. Gla­ser. Este físi­co e neu­ro-bio­lo­gis­ta nor­te-ame­ri­ca­no, ficou conhe­ci­do pela sua inven­ção da câma­ra de bolhas usa­da na físi­ca de par­tí­cu­las suba­tó­mi­cas. Nes­ta era pos­sí­vel cons­ta­tar que o com­por­ta­men­to de par­tí­cu­las suba­tó­mi­cas pode ser obser­va­do pelos tri­lhos que eles dei­xam. Uma foto­gra­fia ins­tan­tâ­nea regis­ta o cami­nho da par­tí­cu­la. A câma­ra de Gla­ser con­tém um líqui­do super-aque­ci­do man­ti­do em esta­do super-aque­ci­do e ins­tá­vel sem fer­ver. Um pis­tão que cau­sa uma dimi­nui­ção rápi­da da pres­são cria uma ten­dên­cia a fer­ver ao menor dis­túr­bio no líqui­do. Então, qual­quer par­tí­cu­la ató­mi­ca que pas­sa pela câma­ra dei­xa um tri­lho de peque­nas bolhas de gás cau­sa­das por uma fer­vu­ra ins­tan­tâ­nea ao lon­go do seu cami­nho onde os iões que ela cria ser­vem como cen­tros de desen­vol­vi­men­to de bolhas.

Na sema­na que pas­sou foi final­men­te anun­ci­a­do pela Ora­cle o Java SE 9 (JDK 9), Java Plat­form Enter­pri­se Edi­ti­on 8 (Java EE 8) e Java EE 8 Soft­ware Deve­lop­ment Kit (SDK). O JDK 9 é uma imple­men­ta­ção pron­ta para pro­du­ção da Java SE 9 Plat­form Spe­ci­fi­ca­ti­on, que foi apro­va­da recen­te­men­te jun­to com o Java EE 8 no Java Com­mu­nity Pro­cess (JCP). O Java SE 9 for­ne­ce mais de 150 novos recur­sos, incluin­do um novo sis­te­ma de módu­los e melho­ri­as que tra­zem mais esca­la­bi­li­da­de, segu­ran­ça melho­ra­da, melhor ges­tão de desem­pe­nho e desen­vol­vi­men­to mais fácil para a pla­ta­for­ma de pro­gra­ma­ção mais popu­lar do mun­do. O Java EE 8 moder­ni­za e sim­pli­fi­ca a pla­ta­for­ma Java EE para a cloud e micro­ser­vi­ces com actu­a­li­za­ções para oito espe­ci­fi­ca­ções principais.
Tam­bém esta sema­na, a Bai­du anun­ci­ou o Apol­lo 1.5 e um finan­ci­a­men­to de 0 mil milhões de yuan para desen­vol­vi­men­to da tec­no­lo­gia de con­du­ção autó­no­ma. O Apol­lo 1.5 é a últi­ma ver­são da pla­ta­for­ma autó­no­ma de códi­go aber­to Apol­lo da empre­sa e já reú­ne 70 for­tes par­cei­ros. Com base no Apol­lo 1.0, o Apol­lo 1.5 abre cin­co recur­sos prin­ci­pais adi­ci­o­nais que inclu­em per­cep­ção de obs­tá­cu­los, pla­ne­a­men­to, simu­la­ção em cloud, mapas de alta defi­ni­ção (HD) e deep lear­ning end-to-end, for­ne­cen­do solu­ções mais abran­gen­tes para desen­vol­ve­do­res e par­cei­ros de ecos­sis­te­mas para ace­le­rar a implan­ta­ção da con­du­ção autónoma.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como alguns mode­los 3D que pode­rão ser úteis. É apre­sen­ta­da a revis­ta His­pa­brick Nº28 assim como os livros “Sup­por­ting Python 3”, “Spring Fra­mework Refe­ren­ce Docu­men­ta­ti­on”, “Inter­net of Things in five days”, “Java Plat­form, Enter­pri­se Edi­ti­on — The Java EE Tuto­ri­al Rele­a­se 7”, “Open­CL Pro­gram­ming Gui­de for the CUDA Archi­tec­tu­re” e “Linux Fundamentals”.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.