Newsletter Nº200

Newsletter Nº200
News­let­ter Nº200

Esta é a News­let­ter Nº200 e este nume­ro para além de ser redon­do tem vári­os sig­ni­fi­ca­dos. No domí­nio da Inter­net o códi­go “200 OK” em HTTP sig­ni­fi­ca que o pedi­do de um recur­so web ocor­reu com suces­so. Este núme­ro é igual­men­te con­si­de­ra­do como a velo­ci­da­de Stan­dard das pelí­cu­las foto­grá­fi­cas — o ISO 200. Curi­o­sa­men­te a soma dos resul­ta­dos da fun­ção toti­en­te de Euler apli­ca­da aos pri­mei­ros vin­te e cin­co núme­ros intei­ros é tam­bém 200. Con­tu­do, a News­let­ter Nº200 sig­ni­fi­ca que esta News­let­ter já é publi­ca­da à 200 sema­nas sem inter­rup­ção. Lan­ça­da a 5 de Maio de 2015 são qua­se 4 anos com a publi­ca­ção sema­nal. Con­tou no seu his­to­ri­al com a publi­ca­ção de mais de 4500 Noti­ci­as, mais de 6200 Pro­jec­tos, per­to de 500 EBo­oks e revis­tas, e qua­se 400 mode­los 3D. Irei con­ti­nu­ar a tra­ba­lhar para que con­ti­nue a ser uma refe­ren­cia para todos os que a con­sul­tam.

Faz hoje anos que nas­cia, em 1552, Jost Bür­gi. Este Relo­jo­ei­ro e mate­má­ti­co suí­ço inven­tou os loga­rit­mos de for­ma inde­pen­den­te do mate­má­ti­co esco­cês John Napi­er. Ele era o mais hábil e o mais famo­so relo­jo­ei­ro de seu tem­po. Ele tam­bém fez ins­tru­men­tos de geo­me­tria astro­nó­mi­cos e prá­ti­cos (nota­vel­men­te a bús­so­la pro­por­ci­o­nal e um ins­tru­men­to de tri­an­gu­la­ção útil na pes­qui­sa). Isto levou a que se tor­nas­se assis­ten­te do astró­no­mo ale­mão Johan­nes Kepler. Bür­gi foi um dos prin­ci­pais con­tri­bui­do­res para o desen­vol­vi­men­to de frac­ções deci­mais e da nota­ção expo­nen­ci­al, mas sua con­tri­bui­ção mais notá­vel foi publi­ca­da em 1620 como uma tabe­la de anti-loga­rit­mos. Napi­er publi­cou a sua tabe­la de loga­rit­mos em 1614, mas Bür­gi já tinha com­pi­la­do a sua tabe­la de loga­rit­mos pelo menos dez anos antes.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1814, Edmond Frémy. Este Quí­mi­co fran­cês é conhe­ci­do pela sua des­co­ber­ta de flu­o­re­to de hidro­gé­nio e pelas inves­ti­ga­ções de com­pos­tos de flúor. Entre outros com­pos­tos, Frémy inves­ti­gou os de fer­ro, esta­nho e chum­bo. Ele tam­bém estu­dou o áci­do osmi­co, o ozó­nio, as subs­tân­ci­as coran­tes das folhas e flo­res e a com­po­si­ção das subs­tân­ci­as ani­mais. Apli­cou quí­mi­ca à sapo­ni­fi­ca­ção comer­ci­al de gor­du­ras e à tec­no­lo­gia de fer­ro, aço, áci­do sul­fú­ri­co, vidro e papel. Ele ten­tou, mas falhou, iso­lar o flúor. Ele tam­bém falhou em ten­ta­ti­vas de fazer cris­tais de óxi­do de alu­mí­nio, mas des­co­briu que pode­ria cri­ar rubis.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1901, Linus Pau­ling. Este quí­mi­co, físi­co e autor nor­te-ame­ri­ca­no apli­cou a mecâ­ni­ca quân­ti­ca ao estu­do de estru­tu­ras mole­cu­la­res, par­ti­cu­lar­men­te em cone­xão com liga­ções quí­mi­cas. Pau­ling foi a úni­ca pes­soa a ganhar dois pré­mi­os Nobel não par­ti­lha­dos. O pri­mei­ro foi o Pré­mio Nobel de Quí­mi­ca con­ce­di­do em 1954 por mape­ar os ali­cer­ces quí­mi­cos da pró­pria vida. Além dis­so, por cau­sa de seu tra­ba­lho pela paz nucle­ar, ele rece­beu o Pré­mio Nobel da Paz em 1962.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1916, Audley Bow­dler Wil­li­am­son. Este inven­tor e fabri­can­te bri­tâ­ni­co de pro­du­tos de cui­da­dos com a pele que inven­tou o lim­pa­dor de mãos Swar­fe­ga, um gel ver­de que mecâ­ni­cos, impres­so­ras e outros usam para lavar gra­xa, suji­da­de e tin­ta das suas mãos. “AB”, como era conhe­ci­do, fun­dou a sua empre­sa, Deb Ltd., em 1941, ven­den­do um deter­gen­te neu­tro para o tra­ta­men­to das mei­as de seda, um mer­ca­do que entrou em colap­so com a che­ga­da do nylon após a Segun­da Guer­ra Mun­di­al. No entan­to, ele sabia que os mecâ­ni­cos lim­pa­vam as mãos com gaso­li­na, para­fi­na e areia, o que era efi­caz na remo­ção de óleo, mas tam­bém cau­sa­va pele seca e der­ma­ti­te. Ele adap­tou a sua fór­mu­la de deter­gen­te para lim­par o óleo da pele sem esses efei­tos cola­te­rais, e nome­ou-o com­bi­nan­do “swarf” (ter­mo para grão ole­o­so) e “-ega” (ansi­o­so).

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1930, Leon Coo­per. Este Físi­co nor­te-ame­ri­ca­no rece­beu (com John Bar­de­en e John Robert Sch­ri­ef­fer) o Pré­mio Nobel de Físi­ca em 1972, por con­tri­buir com o con­cei­to de pares de elec­trões de Coo­per que for­mam a base da teo­ria de super­con­du­ti­vi­da­de da BCS (suas ini­ci­ais), na qual ele tra­ba­lhou quan­do tinha cer­ca de 20 anos. Ele pas­sou a tor­nar-se co-fun­da­dor e co-dire­tor da Nes­tor, Inc., um líder da indús­tria na apli­ca­ção de sis­te­mas de redes neu­ro­nais para apli­ca­ções comer­ci­ais e mili­ta­res. A empre­sa cons­truiu sis­te­mas de reco­nhe­ci­men­to de padrões e ava­li­a­ção de ris­co adap­tá­veis base­a­dos em com­pu­ta­dor, com apli­ca­ções que clas­si­fi­cam com pre­ci­são padrões com­ple­xos como alvos em sis­te­mas de sonar, radar ou ima­gem. Ele tam­bém fun­dou e foi direc­tor do Ins­ti­tu­to de Cére­bro e Sis­te­mas Neu­ro­nais da Brown Uni­ver­sity para desen­vol­ver pro­du­tos far­ma­cêu­ti­cos cog­ni­ti­vos e sis­te­mas inte­li­gen­tes para elec­tró­ni­ca, auto­mó­veis e comu­ni­ca­ções.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1939, Dani­el C. Tsui. Este Físi­co sino-ame­ri­ca­no rece­beu (com Horst L. Stör­mer e Robert B. Laugh­lin) o Pré­mio Nobel de Físi­ca de 1998 pela des­co­ber­ta e expli­ca­ção de que os elec­trões num cam­po mag­né­ti­co pode­ro­so a tem­pe­ra­tu­ras mui­to bai­xas podem for­mar um flui­do quân­ti­co cujas par­tí­cu­las têm car­gas eléc­tri­cas frac­ci­o­na­ri­as. Este efei­to é conhe­ci­do como o quan­tum frac­ci­o­ná­rio.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1948, Ste­ven Chu. Este Físi­co nor­te-ame­ri­ca­no que (com Clau­de Cohen-Tan­noud­ji e Wil­li­am D. Phil­lips) rece­beu o Pré­mio Nobel de Físi­ca de 1997 pela sua pes­qui­sa inde­pen­den­te e pio­nei­ra em arre­fe­ci­men­to e apri­si­o­na­men­to de áto­mos usan­do luz laser. No seu esta­do nor­mal, o movi­men­to tér­mi­co ale­a­tó­rio cons­tan­te dos áto­mos limi­ta as medi­ções pre­ci­sas dos esta­dos ató­mi­cos. Assim, os físi­cos pro­cu­ra­ram arre­fe­cer e desa­ce­le­rar os áto­mos o máxi­mo pos­sí­vel. Chu usou seis fei­xes de laser e tra­ba­lhou com um gás quen­te de áto­mos de sódio. Ele con­se­guiu arre­fe­cer e apri­si­o­nar áto­mos no que ele cha­mou de “mela­ço ópti­co”. Em 1985, ele tinha arre­fe­ci­do áto­mos de sódio a uma tem­pe­ra­tu­ra de cer­ca de 240 mili­o­né­si­mos de grau aci­ma do zero abso­lu­to. Os áto­mos podem ficar pre­sos nos fei­xes de laser por um perío­do de cer­ca de meio segun­do.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1954, Jean Bour­gain. Este Mate­má­ti­co bel­ga rece­beu a Meda­lha Fields em 1994 pelo seu tra­ba­lho em aná­li­se. As suas rea­li­za­ções em vári­os cam­pos incluí­ram o pro­ble­ma de deter­mi­nar o tama­nho de uma sec­ção de um espa­ço de Bana­ch de dimen­são fini­ta n que se asse­me­lha a um sub-espa­ço de Hil­bert; uma pro­va da desi­gual­da­de de Luis Anto­nio San­ta­ló; uma nova abor­da­gem para alguns pro­ble­mas na teo­ria ergó­di­ca; resul­ta em aná­li­se har­mó­ni­ca e ope­ra­do­res clás­si­cos; e equa­ções dife­ren­ci­ais par­ci­ais não line­a­res. O tra­ba­lho de Bour­gain foi notá­vel pela ver­sa­ti­li­da­de que demons­trou ao apli­car idei­as de dis­ci­pli­nas mate­má­ti­cas abran­gen­tes à solu­ção de diver­sos pro­ble­mas.

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que inves­ti­ga­do­res con­se­gui­ram bater o recor­de de capa­ci­da­de de 26.2 tera­bits por segun­do em mais de 6.000 km do cabo de fibra ópti­ca tran­sa­tlân­ti­ca da MAREA. Uma equi­pa de inves­ti­ga­do­res da Infi­ne­ra alcan­çou novos padrões de efi­ci­ên­cia para cabos de fibra ópti­ca tran­sa­tlân­ti­cos. Tes­tan­do uma abor­da­gem emer­gen­te de como os sinais de luz são trans­mi­ti­dos — cha­ma­da modu­la­ção 16QAM — o gru­po esma­gou regis­tos de efi­ci­ên­cia para trans­fe­rên­cia de dados, qua­se dupli­can­do a capa­ci­da­de de dados e apro­xi­man­do-se do limi­te teó­ri­co para tal trans­fe­rên­cia.

Tam­bém nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que a son­da isra­e­li­ta Bereshe­et que foi lan­ça­da com suces­so do fogue­tão Fal­con 5 da Spa­ceX teve uma peque­na falha no cami­nho para a lua. “Duran­te a fase de pré-mano­bra, o com­pu­ta­dor da son­da rei­ni­ci­ou-se ines­pe­ra­da­men­te, fazen­do com que a mano­bra fos­se auto­ma­ti­ca­men­te can­ce­la­da”, dis­se­ram repre­sen­tan­tes da Spa­ceIL num comu­ni­ca­do. “As equi­pas de enge­nha­ria da Spa­ceIL e do IAI estão a exa­mi­nar os dados e a ana­li­sar a situ­a­ção. Nes­te momen­to, os sis­te­mas da son­da estão a fun­ci­o­nar cor­rec­ta­men­te, excep­to pelo pro­ble­ma conhe­ci­do no star trac­ker.” Os segui­do­res de estre­las são usa­dos pela son­da para a aju­dar a ori­en­tar-se no espa­ço em rela­ção às estre­las-alvo.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker. É apre­sen­ta­do o livro “Con­quer The Com­mand Line” 2.a Edi­ção e a revis­ta Mag­PI Nº79.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.