Newsletter Nº195

Newsletter Nº195
News­let­ter Nº195

Faz hoje anos que nas­cia, em 1798, [Karl Georg Chris­ti­an von Staudt](https://en.wikipedia.org/wiki/Karl_Georg_Christian_von_Staudt). Este mate­má­ti­co ale­mão desen­vol­veu a pri­mei­ra teo­ria com­ple­ta de pon­tos ima­gi­ná­ri­os, linhas e pla­nos na geo­me­tria pro­jec­ti­va. O seu tra­ba­lho ini­ci­al foi deter­mi­nar a órbi­ta de um come­ta e, com base nes­se tra­ba­lho, ele rece­beu o seu dou­to­ra­men­to. Ele mos­trou como cons­truir um polí­go­no regu­lar de 17 lados usan­do ape­nas com­pas­sos. Ele vol­tou-se para a geo­me­tria pro­jec­ti­va e os núme­ros de Ber­noul­li (des­co­ber­tos por Jacob Ber­noul­li). Um tra­ba­lho impor­tan­te em geo­me­tria pro­jec­ti­va, Geo­me­trie der Lage foi publi­ca­do em 1847. Foi o pri­mei­ro tra­ba­lho a liber­tar com­ple­ta­men­te a geo­me­tria pro­jec­ti­va de qual­quer base métri­ca. Ele tam­bém deu uma solu­ção geo­mé­tri­ca para equa­ções qua­drá­ti­cas.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1872, [Mor­ris Travers](https://en.wikipedia.org/wiki/Morris_Travers). Este quí­mi­co inglês, enquan­to tra­ba­lha­va com Sir Wil­li­am Ram­say em Lon­dres, des­co­briu o ele­men­to kryp­ton (30 de maio de 1898). O nome deri­va da pala­vra gre­ga para “ocul­to”. Era uma frac­ção sepa­ra­da do ar lique­fei­to, que quan­do colo­ca­do num tubo de Plüc­ker liga­do a uma bobi­na de indu­ção pro­du­zia um espec­tro com uma linha ama­re­la bri­lhan­te com um tom mais ver­de que a linha de hélio conhe­ci­da e uma linha ver­de bri­lhan­te que cor­res­pon­dia a nada vis­to antes.

Faz igual­men­te hoje anos que nas­cia, em 1882, [Harold D. Babcock](https://en.wikipedia.org/wiki/Harold_D._Babcock). Este Astró­no­mo nor­te-ame­ri­ca­no con­jun­ta­men­te com o seu filho, Hora­ce, inven­tou o mag­ne­tó­gra­fo solar (1951), para obser­va­ção deta­lha­da do cam­po mag­né­ti­co do Sol. Com o seu mag­ne­tó­gra­fo, os Bab­cocks medi­ram a dis­tri­bui­ção de cam­pos mag­né­ti­cos sobre a super­fí­cie solar a uma pre­ci­são sem pre­ce­den­tes e des­co­bri­ram estre­las mag­ne­ti­ca­men­te variá­veis. Em 1959, Harold Bab­cock anun­ci­ou que o Sol inver­te a sua pola­ri­da­de mag­né­ti­ca peri­o­di­ca­men­te. Os estu­dos labo­ra­to­ri­ais pre­ci­sos de Bab­cock sobre espec­tros atô­mi­cos per­mi­ti­ram que outros iden­ti­fi­cas­sem as pri­mei­ras linhas “proi­bi­das” em labo­ra­tó­rio e des­co­bris­sem os raros isó­to­pos de oxi­gé­nio. Com C.E. St. John, ele melho­rou mui­to a pre­ci­são dos com­pri­men­tos de onda de cer­ca de 22.000 linhas no espec­tro solar, refe­rin­do-os a padrões recém-deter­mi­na­dos.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1902 — [Oskar Morgenstern](https://en.wikipedia.org/wiki/Oskar_Morgenstern). Este eco­no­mis­ta e mate­má­ti­co ger­ma­no-ame­ri­ca­no popu­la­ri­zou a “teo­ria dos jogos”, que ana­li­sa mate­ma­ti­ca­men­te o com­por­ta­men­to do homem ou dos ani­mais em ter­mos de estra­té­gi­as para maxi­mi­zar os ganhos e mini­mi­zar as per­das. Ele é co-autor de Teo­ria dos Jogos e Com­por­ta­men­to Eco­nó­mi­co (1944), com John von Neu­mann, que esten­deu a teo­ria de jogos de estra­té­gia de Neu­mann de 1928 para situ­a­ções de negó­ci­os com­pe­ti­ti­vas. Eles suge­ri­ram que, mui­tas vezes, numa situ­a­ção de negó­ci­os (“jogo”), o resul­ta­do depen­de de vári­as par­tes (“joga­do­res”), cada uma esti­man­do o que todas as outras farão antes de deter­mi­nar sua pró­pria estra­té­gia. Mor­gens­tern foi pro­fes­sor na Uni­ver­si­da­de de Vie­na, na Áus­tria, de 1931 até a ocu­pa­ção nazis­ta em 1938), quan­do fugiu para os Esta­dos Uni­dos e se jun­tou ao cor­po docen­te da Uni­ver­si­da­de de Prin­ce­ton. As suas publi­ca­ções pos­te­ri­o­res incluí­ram tra­ba­lhos sobre pre­vi­são eco­nó­mi­ca e aspec­tos da defe­sa dos EUA.

Faz igual­men­te hoje anos que nas­cia, em 1931, [Lars Hörmander](https://en.wikipedia.org/wiki/Lars_H%C3%B6rmander). Este mate­má­ti­co sue­co rece­beu a Meda­lha Fields em 1962 pelo seu tra­ba­lho em equa­ções dife­ren­ci­ais par­ci­ais. Pas­san­do cin­co anos por escri­to, ele pro­du­ziu um tex­to “A aná­li­se de ope­ra­do­res dife­ren­ci­ais par­ci­ais line­a­res”, em qua­tro volu­mes (1983–85). Entre 1987 e 1990, ele foi vice-pre­si­den­te da União Mate­má­ti­ca Inter­na­ci­o­nal. Em 1988, Hör­man­der rece­beu o Pré­mio Wolf. O tex­to de Hör­man­der, “Uma Intro­du­ção à Aná­li­se Com­ple­xa em Diver­sas Variá­veis”, tor­nou-se um clás­si­co que lida com a teo­ria das fun­ções de diver­sas variá­veis com­ple­xas.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1947, [Michio Kaku](https://en.wikipedia.org/wiki/Michio_Kaku). E um físi­co teó­ri­co nor­te-ame­ri­ca­no, futu­ris­ta e divul­ga­dor da ciên­cia (comu­ni­ca­dor cien­tí­fi­co). Ele é pro­fes­sor de físi­ca teó­ri­ca no City Col­le­ge de Nova York e no CUNY Gra­du­a­te Cen­ter. Kaku escre­veu vári­os livros sobre físi­ca e assun­tos rela­ci­o­na­dos, este­ve pre­sen­te em pro­gra­mas de rádio, tele­vi­são e cine­ma, e escre­ve blogs e arti­gos onli­ne.

Faz hoje 15 anos que o Rover Oppor­tu­nity da NASA se encon­tra na super­fí­cie de Mar­te. O Rover pou­sou numa região do Pla­ne­ta Ver­me­lho cha­ma­da Meri­di­a­ni Pla­num em 24 de Janei­ro de 2004, envi­an­do seu pri­mei­ro sinal de vol­ta à Ter­ra por vol­ta das 9h05 da tar­de. PST (25 de Janei­ro de 2004, às 12h05 EST). O rover do tama­nho de um car­ro de gol­fe foi pro­jec­ta­do para via­jar 1.006 metros e ope­rar no Pla­ne­ta Ver­me­lho por 90 dias (sois) de Mar­te. Ele via­jou mais de 45 km e regis­tou seu 5.000º dia (ou sol) de Mar­te em Feve­rei­ro de 2018.

Tam­bém nes­ta sema­na que pas­sou a Boeing anun­ci­ou que o seu Veí­cu­lo Aéreo de Pas­sa­gei­ros Autó­no­mo com­ple­tou o Pri­mei­ro Voo. O pro­tó­ti­po do PAV com­ple­tou uma des­co­la­gem con­tro­la­da, pai­ran­do e pou­san­do duran­te o voo, que tes­tou as fun­ções autó­no­mas e os sis­te­mas de con­tro­le de solo do veí­cu­lo. Os voos futu­ros tes­ta­rão o voo direc­to com asas, bem como a fase de tran­si­ção entre os modos ver­ti­cal e de voo direc­to. Esta fase de tran­si­ção é tipi­ca­men­te o desa­fio de enge­nha­ria mais sig­ni­fi­ca­ti­vo para qual­quer aero­na­ve VTOL de alta velo­ci­da­de.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como um mode­lo 3D que pode­rá ser útil. São apre­sen­ta­das as revis­tas HackS­pa­ce maga­zi­ne #15, a Hel­lo World issue 7 e a micro:mag issue 3.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.