Newsletter Nº184

Newsletter Nº184
News­let­ter Nº184

Faz hoje anos que nas­cia, em 1656, Edmond Hal­ley. Este astró­no­mo, geo­fí­si­co e mate­má­ti­co inglês, ficou conhe­ci­do por reco­nhe­cer que um come­ta bri­lhan­te (mais tar­de cha­ma­do com o seu nome) apa­re­ceu diver­sas vezes, cal­cu­lan­do sua órbi­ta e pre­ven­do com suces­so seu retor­no. Depois de ter ori­gi­na­do a per­gun­ta que inci­ta­va Isa­ac New­ton a escre­ver o semi­nal Phi­lo­sophi­ae Natu­ra­lis Prin­ci­pia Mathe­ma­ti­ca, Hal­ley edi­tou e orga­ni­zou a sua publi­ca­ção. Hal­ley foi pro­fes­sor de geo­me­tria em Oxford e mais tar­de nome­a­do astró­no­mo real. Hal­ley iden­ti­fi­cou o movi­men­to apro­pri­a­do das estre­las, estu­dou o movi­men­to e as marés da Lua, per­ce­beu que as nebu­lo­sas eram nuvens de gás lumi­no­so entre as estre­las e que a auro­ra era um fenó­me­no liga­do ao mag­ne­tis­mo da Ter­ra. A sua pre­vi­são do trân­si­to de Vénus levou à via­gem do capi­tão James Cook ao Tai­ti.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1848, Got­tlob Fre­ge. Este mate­má­ti­co e lógi­co ale­mão fun­dou a lógi­ca sim­bó­li­ca moder­na e foi o pri­mei­ro a mos­trar a mate­má­ti­ca como uma exten­são da lógi­ca. Ele esten­deu o tra­ba­lho de Boo­le inven­tan­do sím­bo­los lógi­cos (sím­bo­los para “ou”, “se-então”, etc.) que melho­ra­ram a lógi­ca silo­gís­ti­ca que subs­ti­tuiu. Ele tam­bém tra­ba­lhou em ques­tões gerais de lógi­ca filo­só­fi­ca e semân­ti­ca. A sua teo­ria do sig­ni­fi­ca­do, base­a­da em fazer uma dis­tin­ção entre o que um ter­mo lin­guís­ti­co se refe­re e o que ele expres­sa, ain­da é influ­en­te. Fre­ge ten­tou for­ne­cer uma base rigo­ro­sa para a mate­má­ti­ca com base em prin­cí­pi­os pura­men­te lógi­cos, mas aban­do­nou a ten­ta­ti­va quan­do Ber­trand Rus­sell, em cujo tra­ba­lho ele teve uma pro­fun­da influên­cia, apon­tou um para­do­xo que tor­nou o sis­te­ma incon­sis­ten­te.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1854, Johan­nes Ryd­berg. Este físi­co sue­co ficou conhe­ci­do pela cons­tan­te de Ryd­berg na sua fór­mu­la empí­ri­ca que rela­ci­o­na­va os núme­ros de onda das linhas espec­trais de um ele­men­to (1890). Esta fór­mu­la expres­sa­va rela­ções fun­da­men­tais nes­sas linhas, que ele supu­nha serem o resul­ta­do da natu­re­za e estru­tu­ra inter­nas dos áto­mos de um ele­men­to. Em 1897, ele suge­riu que um núme­ro ató­mi­co para cada um dos ele­men­tos, em vez de pesos ató­mi­cos, seria uma for­ma melhor para orga­ni­zar os ele­men­tos e a sua peri­o­di­ci­da­de das suas carac­te­rís­ti­cas. O seu tra­ba­lho for­ne­ceu a base para a des­co­ber­ta da estru­tu­ra do invó­lu­cro de elec­trões do áto­mo. Pos­te­ri­or­men­te, foi esta­be­le­ci­do que o núme­ro intei­ro de car­gas posi­ti­vas no núcleo de um ele­men­to (seu núme­ro de pro­tões) cor­res­pon­dia à sua ideia de núme­ro ató­mi­co.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1866, Her­bert Aus­tin. Este enge­nhei­ro inglês fun­dou a Aus­tin Motor Com­pany (1905), cujo mode­lo Aus­tin Seven influ­en­ci­ou mui­to o design bri­tâ­ni­co e euro­peu de car­ros leves. Em 1884, após con­cluir sua edu­ca­ção ini­ci­al, Her­bert mudou-se para Mel­bour­ne, na Aus­trá­lia, e apren­deu enge­nha­ria na Lan­glands Foun­dry. Mais tar­de ele tor­nou-se o geren­te da Wol­se­ley She­ep She­a­ring Com­pany. Em 1893, ele vol­ta ao Rei­no Uni­do com essa empre­sa em 1893 e tor­nou-se logo o geren­te de pro­du­ção. Da expe­ri­ên­cia obti­da nas lon­gas jor­na­das no inte­ri­or da Aus­trá­lia, ele teve uma visão sobre a neces­si­da­de de veí­cu­los movi­dos a gaso­li­na. Em 1895, ele pro­du­ziu o pri­mei­ro car­ro Wol­se­ley (um veí­cu­lo de três rodas) e em 1900, seu pri­mei­ro design de qua­tro rodas Wol­se­ley. Em 1914, a empre­sa pro­du­zia mais de 1000 car­ros com 2000 fun­ci­o­ná­ri­os.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1923, Jack Kilby. Este enge­nhei­ro ele­tro­téc­ni­co nor­te-ame­ri­ca­no inven­tou o pri­mei­ro cir­cui­to inte­gra­do (IC), pelo qual par­ti­lhou o Pré­mio Nobel de Físi­ca 2000. O seu inte­res­se por ele­tró­ni­ca cres­ceu no seu pas­sa­tem­po de rádio ama­dor dos tem­pos da esco­la. Anos depois, a tra­ba­lhar na Texas Ins­tru­ments, ele inven­tou uma manei­ra de mini­a­tu­ri­zar um com­pli­ca­do cir­cui­to de tran­sís­to­res, cons­truin­do os seus com­po­nen­tes num blo­co de silí­cio com cone­xões inter­nas que eli­mi­na­vam a fia­ção exter­na. Em 12 de setem­bro de 1958, ele demons­trou seu pri­mei­ro cir­cui­to inte­gra­do ao seu super­vi­sor. Alguns meses depois, um dis­po­si­ti­vo IC numa for­ma melho­ra­da foi inven­ta­do nou­tra par­te por Robert Noy­ce. Geof­frey W.A. Dum­mer tam­bém teve o con­cei­to anos antes, mas não um dis­po­si­ti­vo fun­ci­o­nal. Em setem­bro de 1965, a equi­pa de Kilby desen­vol­veu a pri­mei­ra cal­cu­la­do­ra ele­tró­ni­ca de bol­so usan­do IC’s.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1986, Aaron Swartz. Este pro­gra­ma­dor de com­pu­ta­do­res nor­te-ame­ri­ca­no foi empre­sá­rio, escri­tor, orga­ni­za­dor polí­ti­co e hack­ti­vis­ta da Inter­net. Ele este­ve envol­vi­do no desen­vol­vi­men­to do for­ma­to de feed RSS e no for­ma­to de publi­ca­ção Mark­down, na orga­ni­za­ção Cre­a­ti­ve Com­mons, e na estru­tu­ra do site web.py, e foi co-fun­da­dor da o site de notí­ci­as soci­ais Red­dit. Ele rece­beu o títu­lo de co-fun­da­dor pelo pro­pri­e­tá­rio da Y Com­bi­na­tor, Paul Graham, após a for­ma­ção da Not a Bug, Inc. (uma fusão do pro­je­to Info­ga­mi de Swartz com uma empre­sa diri­gi­da por Ale­xis Oha­ni­an e Ste­ve Huff­man).

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que a IBM vai adqui­rir a Red Hat. Esta aqui­si­ção vem tor­nar a IBM um dos mai­o­res pro­vi­ders de Cloud. Por outro lado refor­ça a pre­sen­ça do Open Sour­ce no mun­do cor­po­ra­te. A Red Hat é a fabri­can­te do RHEL e do Fedo­ra, dis­tri­bui­ção que fez esta sema­na 15 anos.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como um mode­lo 3D que pode­rá ser útil.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.