Newsletter Nº180

Newsletter Nº180
News­let­ter Nº180

Faz hoje anos que nas­cia, em 1755, Faus­to Elhuyar. Este Quí­mi­co e mine­ra­lo­gis­ta espa­nhol aju­dou o seu irmão mais velho, Juan José, em expe­ri­ên­ci­as para sepa­rar o metal de tungs­té­nio do seu miné­rio de vol­fra­mi­ta. Dois anos antes, o quí­mi­co sue­co Carl Sche­e­le des­co­briu o áci­do tungs­té­ni­co, embo­ra não iso­las­se a for­ma ele­men­tar, de um mine­ral conhe­ci­do des­de 1758 como tung sten (pedra sue­ca, pesa­da, que ago­ra é conhe­ci­da como sche­e­li­ta). Os irmãos Elhuyar, tra­ba­lhan­do no Semi­ná­rio de Ber­ga­ra, con­se­gui­ram extrair o metal redu­zin­do o áci­do tungs­té­ni­co com car­vão. Pela pri­mei­ra vez, os cien­tis­tas bas­cos entra­ram na his­tó­ria da ciên­cia.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1855, James Gay­ley. Este Meta­lur­gi­co Nor­te-ame­ri­ca­no inven­tou um dis­po­si­ti­vo para garan­tir humi­da­de uni­for­me na cor­ren­te de ar que entra­va nos altos-for­nos. Com expe­ri­ên­cia pré­via em vári­as obras de fer­ro, Gay­ley foi con­tra­ta­do pela Edgar Thom­son Ste­el Works como super­vi­sor dos Altos For­nos (1885). Nes­ta capa­ci­da­de era um eco­no­mis­ta, e fez uma redu­ção recor­de no con­su­mo de coque. Ele inven­tou a pla­ca de refri­ge­ra­ção de bron­ze para as pare­des do alto-for­no, o supor­te de fun­di­ção auxi­li­ar para as fabri­cas de aço da Bes­se­mer, e foi o pri­mei­ro a usar o motor de sopro de con­den­sa­ção com­pos­to com o alto-for­no. Ele tam­bém inven­tou a explo­são do ar seco, para o qual o Fran­klin Ins­ti­tu­te lhe con­ce­deu a meda­lha Elli­ott Cres­son.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1884, Fri­e­dri­ch Ber­gius. Este quí­mi­co ale­mão inven­tou um pro­ces­so para con­ver­ter pó de car­vão e hidro­gé­nio direc­ta­men­te em gaso­li­na e óle­os lubri­fi­can­tes sem iso­lar pro­du­tos inter­me­diá­ri­os (Stutt­gart, 25 jun 1921). Ber­gius con­se­guiu, duran­te a des­ti­la­ção do car­vão, for­çar o hidro­gé­nio sob alta pres­são a com­bi­nar-se qui­mi­ca­men­te com o car­vão, trans­for­man­do mais car­bo­no do car­vão em óle­os do que é pos­sí­vel com a des­ti­la­ção con­ven­ci­o­nal. Para resol­ver pro­ble­mas de dis­tri­bui­ção de calor e regu­la­ção de tem­pe­ra­tu­ra, Ber­gius inven­tou o tra­ta­men­to de uma mis­tu­ra de car­vão pul­ve­ri­za­do em óleo com o gás sob alta pres­são. Pelo seu tra­ba­lho no desen­vol­vi­men­to do méto­do quí­mi­co de hidro­ge­na­ção em alta pres­são neces­sá­rio para esse pro­ces­so, ele par­ti­lhou o Pré­mio Nobel de 1931 em Quí­mi­ca com Carl Bos­ch, da Ale­ma­nha.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1943, Micha­el Sto­ne­bra­ker. Este cien­tis­ta da com­pu­ta­ção espe­ci­a­li­za­do em pes­qui­sa em base de dados cri­ou a pes­qui­sa e os pro­du­tos da Sto­ne­bra­ker. Ele tam­bém é o fun­da­dor de mui­tas empre­sas de base de dados, incluin­do a Ingres Cor­po­ra­ti­on, a Illus­tra, a Paradigm4, a Stre­am­Ba­se Sys­tems, a Tamr, a Ver­ti­ca e a VoltDB, e foi direc­tor téc­ni­co da Infor­mix. Ele tam­bém é edi­tor do livro Rea­dings in Data­ba­se Sys­tems. A car­rei­ra de Sto­ne­bra­ker pode ser divi­di­da em duas fases: na Uni­ver­si­da­de da Cali­fór­nia, Ber­ke­ley, quan­do se con­cen­trou em sis­te­mas de ges­tão de bases de dados rela­ci­o­nais, como Ingres e Post­gres, e no Mas­sa­chu­setts Ins­ti­tu­te of Tech­no­logy (MIT), onde desen­vol­veu téc­ni­cas mais novas de ges­tão de dados. como C-Sto­re, H-Sto­re e SciDB. Os prin­ci­pais pré­mi­os inclu­em o Pré­mio Turing em 2015.

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que a son­da Voya­ger 2 da NASA, com mais de 40 anos, está a bei­ra de aban­do­nar o sis­te­ma Solar. Ori­gi­nal­men­te cons­truí­das para dura­rem ape­nas cin­co anos e para reco­lhe­rem só infor­ma­ção sobre Júpi­ter e Satur­no, de for­ma espan­to­sa, esta son­da acom­pa­nha­da pela Voya­ger 1 aca­ba­ram por durar (mui­to) mais do que o espe­ra­do. A mis­são de qua­tro déca­das da NASA é igual­men­te conhe­ci­da por ter envi­a­do com cada uma das Voya­ger um dis­co de cobre cober­to de ouro de 30 cen­tí­me­tros de diâ­me­tro onde está regis­ta­da infor­ma­ção sobre a vida na Ter­ra. Entre os dados inte­gra­dos estão foto­gra­fi­as, sons ambi­en­te, músi­cas e sau­da­ções em 55 lín­guas dife­ren­tes — entre as quais uma em por­tu­guês.

Tam­bém esta sema­na ficá­mos a saber que a mis­são que pare­cia ser roti­nei­ra de trans­por­tar os cos­mo­nau­tas da NASA Nick Hague e o Rus­so Ale­xey Ovchi­nin a bor­do do fogue­tão Soyuz, teve pro­ble­mas. Uma falha nos pro­pul­so­res do fogue­tão obri­gou a uma ater­ra­gem de emer­gên­cia. Ape­nas minu­tos após lan­ça­men­to sur­gi­ram os pro­ble­mas téc­ni­cos devi­do à falha nos pro­pul­so­res. Ape­sar do sus­to, ambos os cos­mo­nau­tas encon­tram-se bem. De acor­do com o cor­res­pon­den­te da BBC Jonathan Amos, os cos­mo­nau­tas ter-se-ão aper­ce­bi­do que algo esta­va erra­do “por­que eles rela­ta­ram sen­tir-se sem peso quan­do deve­ri­am sen­tir-se empur­ra­dos para trás nos seus luga­res” pela ace­le­ra­ção.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como um mode­lo 3D que pode­rá ser útil. É apre­sen­ta­da a newe­lec­tro­nics de 8 de Outu­bro de 2018.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.