Newsletter Nº174

Newsletter Nº174
News­let­ter Nº174

Faz hoje anos que nas­cia, em 1852, Jaco­bus Hen­ri­cus Van’t Hoff. Este Quí­mi­co e físi­co holan­dês foi o pri­mei­ro ven­ce­dor do Pré­mio Nobel de Quí­mi­ca (1901) “em reco­nhe­ci­men­to pelos ser­vi­ços extra­or­di­ná­ri­os que ele pres­tou pela des­co­ber­ta das leis da dinâ­mi­ca quí­mi­ca e pres­são osmó­ti­ca em solu­ções.” Na esté­reo-quí­mi­ca, em 1874, ele iden­ti­fi­cou as qua­tro liga­ções quí­mi­cas do car­bo­no como ten­do um arran­jo tetraé­dri­co, que expli­cou como cer­tas molé­cu­las podem ser arran­ja­das dife­ren­te­men­te com os mes­mos áto­mos para dar isó­me­ro à esquer­da e à direi­ta. (Achil­le Bel che­gou inde­pen­den­te­men­te na mes­ma con­clu­são mais ou menos na mes­ma épo­ca.) Com rela­ção à pres­são osmó­ti­ca de líqui­dos, ele deri­vou leis (1886) para solu­ções diluí­das seme­lhan­tes às leis de gases de Robert Boy­le e Joseph Gay-Lus­sac. Estas rela­ções per­mi­ti­ram a deter­mi­na­ção expe­ri­men­tal do peso mole­cu­lar de uma subs­tân­cia em solu­ção.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1863, Ser­gey Pro­ku­din-Gorsky. Este quí­mi­co e fotó­gra­fo rus­so ficou conhe­ci­do pelo seu tra­ba­lho pio­nei­ro em foto­gra­fia colo­ri­da e seu esfor­ço para docu­men­tar a Rús­sia do iní­cio do sécu­lo XX. Usan­do uma câma­ra escu­ra for­ne­ci­da pelo czar Nico­lau II, Pro­ku­din-Gorsky via­jou pelo Impé­rio Rus­so de 1909 a 1915 usan­do sua foto­gra­fia colo­ri­da de três ima­gens para regis­tar mui­tos dos seus aspec­tos. Enquan­to alguns de seus nega­ti­vos foram per­di­dos, a mai­o­ria aca­bou na Bibli­o­te­ca do Con­gres­so dos EUA após sua mor­te. A par­tir de 2000, os nega­ti­vos foram digi­ta­li­za­dos e a cor tri­pli­ca para cada assun­to digi­tal­men­te com­bi­na­da para pro­du­zir cen­te­nas de ima­gens colo­ri­das de alta qua­li­da­de da Rús­sia do sécu­lo pas­sa­do.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1871, Ernest Ruther­ford. Este físi­co neo­ze­lan­dês-inglês lan­çou as bases para o desen­vol­vi­men­to da físi­ca nucle­ar. Ele cola­bo­rou com Fre­de­rick Soddy no estu­do da radi­o­ac­ti­vi­da­de. Em Setem­bro de 1898, ele datou um arti­go nome­an­do par­tí­cu­las alfa e par­tí­cu­las beta (a radi­a­ção gama foi des­co­ber­ta em 1900 por Paul Vil­lard) no ano seguin­te. Em 1905, com Soddy, ele anun­ci­ou que o decai­men­to radi­o­ac­ti­vo envol­ve uma série de trans­for­ma­ções. Em 1907, com Hans Gei­ger e Ernest Mars­den, ele desen­vol­veu a expe­ri­ên­cia de espa­lhar par­tí­cu­las alfa que levou, em 1911, à des­co­ber­ta do núcleo ató­mi­co. Em 1919 ele con­se­guiu a divi­são arti­fi­ci­al de áto­mos leves. Em 1908 ele foi pre­mi­a­do com o Pré­mio Nobel de Quí­mi­ca.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1884, The­o­dor Sved­berg. Este quí­mi­co sue­co ganhou o Pré­mio Nobel de Quí­mi­ca de 1926 pelo seu estu­do da quí­mi­ca de colói­des e sua inven­ção de uma ultra-cen­trí­fu­ga (1923) como uma téc­ni­ca para inves­ti­gar os pesos mole­cu­la­res de molé­cu­las mui­to gran­des. Ele mos­trou que os pesos mole­cu­la­res das pro­teí­nas eram mui­to mai­o­res do que se pen­sa­va ori­gi­nal­men­te (a hemo­glo­bi­na, por exem­plo, tem um peso mole­cu­lar de cer­ca de 68.000). Já que as medi­ções de peso repe­ti­da­men­te deram os mes­mos valo­res, o que impli­ca que as par­tí­cu­las tinham um tama­nho e com­po­si­ção defi­ni­dos, Sved­berg assim refu­tou o mode­lo de Wilhelm Ostwald de con­jun­tos irre­gu­la­res de molé­cu­las meno­res. Sved­berg tam­bém con­tri­buiu para o desen­vol­vi­men­to do ciclo­tron e do pro­ces­so de ele­tro­fo­re­se da aná­li­se quí­mi­ca.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1907, John Mau­chly. Este enge­nhei­ro e físi­co nor­te-ame­ri­ca­no, com John P. Eckert inven­tou (1946) o Elec­tro­nic Nume­ri­cal Inte­gra­tor and Com­pu­ter (ENIAC), o pri­mei­ro com­pu­ta­dor elec­tró­ni­co de uti­li­za­ção gené­ri­ca. Mau­chly ini­ci­al­men­te con­ce­beu a arqui­tec­tu­ra do com­pu­ta­dor e Eckert pos­suía as habi­li­da­des de enge­nha­ria para dar vida à ideia. O ENIAC foi desen­vol­vi­do para o Depar­ta­men­to de Arti­lha­ria do Exér­ci­to dos EUA como o que pro­va­vel­men­te foi o pri­mei­ro com­pu­ta­dor elec­tró­ni­co de uti­li­za­ção gené­ri­ca. Era uma máqui­na vas­ta, con­su­mia 100 kW de ener­gia eléc­tri­ca e con­ti­nha 18.000 vál­vu­las elec­tró­ni­cas. O seu bem-suce­di­do com­pu­ta­dor UNIVAC lan­ça­do em 1951 foi o pri­mei­ro com­pu­ta­dor comer­ci­al e intro­du­ziu fita mag­né­ti­ca para pro­gra­ma­ção.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1912, Edward Mills Pur­cell. Este físi­co nor­te-ame­ri­ca­no divi­diu o Pré­mio Nobel de Físi­ca de 1952 com Felix Blo­ch pelo desen­vol­vi­men­to inde­pen­den­te da res­so­nân­cia mag­né­ti­ca nucle­ar (RMN) em líqui­dos e sóli­dos. A RMN tor­nou-se uma pode­ro­sa fer­ra­men­ta ampla­men­te uti­li­za­da para estu­dar a estru­tu­ra mole­cu­lar de mate­ri­ais puros e a com­po­si­ção de mis­tu­ras. O méto­do detec­ta e mede os cam­pos mag­né­ti­cos dos núcle­os ató­mi­cos.

Esta sema­na ficá­mos a saber que um sis­te­ma de con­du­ção autó­no­ma esta a ser tes­ta­do em Táxis no Japão. Um táxi autó­no­mo con­se­guiu levar os pas­sa­gei­ros pelas movi­men­ta­das ruas de Tóquio, aumen­tan­do a pers­pec­ti­va de que o ser­vi­ço este­ja pron­to a tem­po de trans­por­tar atle­tas e turis­tas entre os locais des­por­ti­vos e o cen­tro da cida­de duran­te os Jogos Olím­pi­cos de Verão de 2020. A ZMP, empre­sa que desen­vol­ve a tec­no­lo­gia de con­du­ção autó­no­ma, e a empre­sa de táxis Hino­ma­ru Kot­su, afir­mam que os tes­tes de estra­da, que come­ça­ram esta sema­na, são os pri­mei­ros do mun­do a envol­ver taxis­tas sem moto­ris­ta e pas­sa­gei­ros com tari­fas pagas.

Tam­bém esta sema­na ficá­mos a saber que a Tes­la pla­neia abrir seu soft­ware de segu­ran­ça de veí­cu­los gra­tui­ta­men­te para outras empre­sas para um futu­ro mais segu­ro e autó­no­mo. Com o aumen­to espe­ra­do de veí­cu­los autó­no­mos e mais conec­ta­dos, sur­ge um ris­co mai­or de hac­ke­ar esses veí­cu­los com inten­ções des­tru­ti­vas. Elon Musk acha que o soft­ware de segu­ran­ça da Tes­la é a melhor solu­ção e ele pla­neia abrir o códi­go gra­tui­ta­men­te para outras empre­sas para um futu­ro mais segu­ro.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker. É apre­sen­ta­da a revis­ta Mag­PI nº73 de Setem­bro.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.