Newsletter Nº166

Newsletter Nº166
News­let­ter Nº166

Faz hoje anos que nas­cia, em 1750, Ami Argand. Este quí­mi­co suí­ço ficou conhe­ci­do por ter inven­ta­do a lâm­pa­da Argand, um quei­ma­dor de óleo com um pavio tubu­lar den­tro de uma cha­mi­né de vidro que indu­ziu uma cor­ren­te de ar atra­vés de dois tubos de fer­ro, con­cên­tri­cos com o pavio, resul­tan­do numa melhor com­bus­tão. Quei­ma dez vezes mais que uma sim­ples lam­pa­ri­na a óleo, com menos fumo e chei­ro. O óleo de col­za usa­do era vis­co­so, então a ali­men­ta­ção de com­bus­tí­vel era for­ne­ci­da pela gra­vi­da­de de um vaso ele­va­do. Ele fabri­cou a lâm­pa­da por ape­nas alguns anos por­que duran­te a Revo­lu­ção Fran­ce­sa as suas fábri­cas foram des­truí­das. Em 1793, não ten­do nenhu­ma com­pen­sa­ção por suas per­das, Argand mudou-se para Ingla­ter­ra. Ele tam­bém é conhe­ci­do por aju­dar os irmãos Mont­gol­fi­er com seus voos de balão, e pelo seu tra­ba­lho para des­ti­la­ri­as.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1820, Wil­li­am John Mac­quorn Ran­ki­ne. Este enge­nhei­ro e físi­co esco­cês é um dos fun­da­do­res da ciên­cia da ter­mo­di­nâ­mi­ca, par­ti­cu­lar­men­te em refe­rên­cia à teo­ria dos moto­res a vapor. Como pre­si­den­te de enge­nha­ria civil e mecâ­ni­ca em Glas­gow, ele desen­vol­veu méto­dos para resol­ver a dis­tri­bui­ção de for­ça em estru­tu­ra arma­das. Ran­ki­ne tam­bém escre­veu sobre a fadi­ga no metal de eixos fer­ro­viá­ri­os, sobre as pres­sões da Ter­ra na mecâ­ni­ca do solo e a esta­bi­li­da­de das pare­des. Ele foi elei­to Fel­low da Royal Soci­ety em 1853. Entre suas obras mais impor­tan­tes estão o Manu­al de Mecâ­ni­ca Apli­ca­da (1858), Manu­al do Motor a Vapor e Outros Movi­men­ta­do­res Pri­má­ri­os (1859) e Sobre a Teo­ria Ter­mo­di­nâ­mi­ca de Ondas de Dis­túr­bi­os Lon­gi­tu­di­nais Fini­tos.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1891, John Howard North­rop. Este Bioquí­mi­co ame­ri­ca­no rece­beu (com James B. Sum­ner e Wen­dell M. Stan­ley) o Pré­mio Nobel de Quí­mi­ca em 1946 por puri­fi­car e cris­ta­li­zar com suces­so cer­tas enzi­mas, per­mi­tin­do-lhe deter­mi­nar a sua natu­re­za quí­mi­ca. Duran­te a Pri­mei­ra Guer­ra Mun­di­al, ele con­du­ziu pes­qui­sas sobre pro­ces­sos de fer­men­ta­ção ade­qua­dos para a pro­du­ção indus­tri­al de ace­to­na e álco­ol etí­li­co. Este tra­ba­lho levou a um estu­do de enzi­mas essen­ci­ais para a diges­tão, res­pi­ra­ção e pro­ces­sos gerais da vida. Ele cris­ta­li­zou a pep­si­na (1930), uma enzi­ma diges­ti­va pre­sen­te no suco gás­tri­co, e des­co­briu que é uma pro­teí­na, resol­ven­do assim a dis­pu­ta sobre a natu­re­za das enzi­mas. Usan­do os mes­mos méto­dos quí­mi­cos, ele iso­lou o pri­mei­ro vírus bac­te­ri­a­no (bac­te­rió­fa­go) e des­co­briu que é uma nucle­o­pro­teí­na (1938).

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que a Bai­du ini­ci­ou a pro­du­ção em volu­me da Apo­long, o pri­mei­ro auto­car­ro total­men­te autó­no­mo L4 da Chi­na. O Apo­long, desen­vol­vi­do em par­ce­ria com o fabri­can­te de auto­car­ros chi­nês King Long e com a pla­ta­for­ma aber­ta autó­no­ma Bai­du, será colo­ca­do em ope­ra­ção comer­ci­al em vári­as cida­des chi­ne­sas, incluin­do Pequim, Shenzhen, Xion­gan, Wuhan e Ping­tan, na pro­vín­cia de Fuji­an. O volu­me de pro­du­ção da Apo­long che­gou a 100 uni­da­des na sua fábri­ca em Xia­men, na pro­vín­cia de Fuji­an, sudes­te da Chi­na.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker. É apre­sen­ta­do o pri­mei­ro núme­ro da revis­ta Micro:Mag assim como o livro Soft­ware-Defi­ned Radio for Engi­ne­ers publi­ca­do pela Ana­log.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.