Newsletter Nº149

Newsletter Nº149
News­let­ter Nº149

Faz anos hoje que nas­cia, em 1879, Otto Hahn. Este Químico/físico ale­mão jun­ta­men­te com o radio-quí­mi­co Fritz Stras­s­mann, ficou conhe­ci­do pela des­co­ber­ta da fis­são nucle­ar. Ele rece­beu o Prê­mio Nobel de Quí­mi­ca em 1944 e par­ti­lhou o Prê­mio Enri­co Fer­mi em 1966 com Stras­s­mann e Lise Meit­ner. O ele­men­to 105 car­re­ga o nome hah­nium em reco­nhe­ci­men­to do seu tra­ba­lho.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1824, John Elder. Este enge­nhei­ro esco­cês, assis­ti­do por W.J.M. Ran­ki­ne, desen­vol­veu o com­pos­to de moto­res a vapor (1854), divi­din­do a expan­são do vapor em dois cilin­dros, de modo que cada um se des­lo­cas­se atra­vés de um inter­va­lo menor de tem­pe­ra­tu­ras e pres­sões que melho­ra­ram sig­ni­fi­ca­ti­va­men­te a efi­ci­ên­cia do com­bus­tí­vel. O S.S. Bran­don nave­gou em Julho de 1854 com seu pri­mei­ro motor des­te tipo, que usou menos um ter­ço do car­vão do que era neces­sá­rio antes. Elder con­ti­nu­ou a melho­rar os seus pro­jec­tos para serem ain­da mais eco­nó­mi­cos. Como resul­ta­do, seu negó­cio de enge­nha­ria no Cly­de em Glas­gow, na Escó­cia, con­ti­nu­ou a flo­res­cer, com mais de 4.000 tra­ba­lha­do­res. Entre 1853 e 1867, a sua empre­sa sub­me­teu cator­ze impor­tan­tes paten­tes, incluin­do um motor de expan­são quá­dru­pla (1862).

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1900, Howard H. Aiken. Este Mate­má­ti­co nor­te-ame­ri­ca­no inven­tou o Har­vard Mark I, pre­cur­sor do moder­no com­pu­ta­dor digi­tal elec­tró­ni­co. Enquan­to estu­dan­te de pós-gra­du­a­ção e ins­tru­tor da Uni­ver­si­da­de de Har­vard, a pes­qui­sa de Aiken con­du­ziu-o a um sis­te­ma de equa­ções dife­ren­ci­ais que só pode­ria ser resol­vi­do usan­do téc­ni­cas numé­ri­cas, pelo qual ele come­çou a pla­ne­ar o gran­de com­pu­ta­dor. A sua ideia era usar uma adap­ta­ção da máqui­na de car­tões per­fu­ra­dos da Hol­le­rith. Quan­do final­men­te cons­truí­do, (1943) pesa­va 35 tone­la­das, tinha 500 milhas de fio e podia cal­cu­lar até 23 casas sig­ni­fi­ca­ti­vas. Tinha 72 regis­tos de arma­ze­na­men­to e uni­da­des cen­trais para rea­li­zar a mul­ti­pli­ca­ção e a divi­são. Era con­tro­la­do por uma sequên­cia de ins­tru­ções em fitas de papel per­fu­ra­do e usa­va car­tões per­fu­ra­dos para inse­rir dados e pro­du­zir os resul­ta­dos.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1902, Tom Bla­ke. Este nor­te-ame­ri­ca­no foi o inven­tor da pran­cha de base oca. Após a sua pri­mei­ra pran­cha oca expe­ri­men­tal em 1926, as suas ino­va­do­ras pran­chas de surf / pad­dle de núcleo oco domi­na­ram o mun­do do surf até o final da déca­da de 1940. Tor­nou-se equi­pa­men­to de sal­va­ção padrão no pri­mei­ro cor­po de guar­da-vidas da Cali­fór­nia. Os pro­jec­tos adi­an­ta­dos da pran­cha de surf con­sis­ti­ram em pla­cas de madei­ra maci­ças que remon­tam aos havai­a­nos anti­gos, estes qua­dros novos e mais cla­ros foram um suces­so ime­di­a­to e tor­na­ram-se extre­ma­men­te impor­tan­tes na evo­lu­ção da pran­cha de surf moder­na. Na déca­da de 1930, ele fez o pri­mei­ro gran­de avan­ço de design com a inven­ção de bar­ba­ta­nas.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1924, Geor­ges Char­pak. Este físi­co pola­co-fran­cês rece­beu o Pré­mio Nobel de Físi­ca em 1992 pela sua inven­ção e desen­vol­vi­men­to de detec­to­res de par­tí­cu­las suba­tó­mi­cas, em par­ti­cu­lar a câma­ra pro­por­ci­o­nal mul­ti-fios, um avan­ço na téc­ni­ca para explo­rar as par­tes mais ínti­mas da maté­ria. Como os físi­cos de par­tí­cu­las con­cen­tra­ram seu inte­res­se em inte­rac­ções de par­tí­cu­las mui­to raras, que mui­tas vezes reve­lam os segre­dos das par­tes inter­nas da maté­ria, às vezes ape­nas uma inte­rac­ção de par­tí­cu­las em um bilião é aque­la pro­cu­ra­da. Char­pak subs­ti­tuiu ago­ra méto­dos foto­grá­fi­cos ina­de­qua­dos com com­po­nen­tes elec­tró­ni­cos moder­nos que liga­vam o detec­tor direc­ta­men­te a um com­pu­ta­dor.

Esta sema­na ficá­mos a saber que o sis­te­ma de ener­gia con­ti­nen­tal euro­peu (CE) — uma gran­de área sin­cro­ni­za­da que se esten­de da Espa­nha para a Tur­quia e da Poló­nia para a Holan­da; abran­gen­do 25 paí­ses — está com um des­vio con­tí­nuo da frequên­cia do sis­te­ma do valor médio de 50 Hz, e isto des­de mea­dos de Janei­ro de 2018. Este des­vio pro­vo­ca alte­ra­ções nos valo­res de equi­pa­men­tos que usam esta frequên­cia para o cal­cu­lo do tem­po. Per­ce­beu-se que este des­vio está a ser pro­vo­ca­do numa área de con­tro­lo cha­ma­da Sér­via, Mace­dó­nia, Mon­te­ne­gro (blo­co SMM) e, mais espe­ci­fi­ca­men­te, Koso­vo e Sér­via. Os des­vi­os de ener­gia leva­ram a uma ligei­ra dimi­nui­ção na média de frequên­cia eléc­tri­ca. Este des­vio de frequên­cia médio, que nun­ca acon­te­ceu de for­ma seme­lhan­te no sis­te­ma CE Power, deve ces­sar. A quan­ti­da­de de ener­gia em fal­ta actu­al­men­te é de 113 GWh.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como alguns mode­los 3D que pode­rão ser úteis.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.