Newsletter Nº141

Newsletter Nº141
News­let­ter Nº141

Faz hoje anos que nas­cia, em 1872, Geor­ge Washing­ton Pier­ce. Este inven­tor Nor­te-ame­ri­ca­no foi pio­nei­ro em radio-tele­fo­nia e pro­fes­sor notá­vel de enge­nha­ria de tele­co­mu­ni­ca­ções. Ele fez o tra­ba­lho que levou à apli­ca­ção prá­ti­ca de uma vari­e­da­de de des­co­ber­tas expe­ri­men­tais em pie­zo­e­lé­tri­ca e mag­ne­tos­tric­ção. Ele desen­vol­veu o osci­la­dor Pier­ce, que uti­li­za cris­tal de quart­zo para man­ter as trans­mis­sões de rádio pre­ci­sa­men­te na frequên­cia atri­buí­da e for­ne­cer pre­ci­são simi­lar para medi­do­res de frequên­cia. Ele foi igual­men­te res­pon­sá­vel pela for­mu­la de cál­cu­lo mate­má­ti­co das pro­pri­e­da­des de radi­a­ção das ante­nas de rádio; inven­ção do tubo de des­car­ga de vapor de mer­cú­rio, que era o pre­cur­sor do tiran­tron; inven­ção de um méto­do de gra­va­ção de som em fil­me; e gera­ção de som por mor­ce­gos e insec­tos.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1875, Fre­de­rick Mark Bec­ket. Este Meta­lúr­gi­co cana­di­a­no deti­nha mais de cem paten­tes, cobrin­do uma ampla gama de pro­du­tos eléc­tri­cos para for­no e pro­du­tos quí­mi­cos, nome­a­da­men­te ligas de fer­ro, car­bo­ne­to de cál­cio e aços espe­ci­ais de cró­mio. Ele desen­vol­veu um pro­ces­so de uso de silí­cio em vez de car­bo­no como um agen­te redu­tor na pro­du­ção de metais, tor­nan­do as ligas de fer­ro com bai­xo teor de car­bo­no e cer­tos aços prá­ti­cos. Os seus pro­ces­sos para a pro­du­ção de ligas de fer­ro de bai­xo car­bo­no tive­ram apli­ca­ção mun­di­al.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1895, Lau­rens Ham­mond. Este inven­tor e empre­sá­rio nor­te-ame­ri­ca­no ficou conhe­ci­do pela cri­a­ção do órgão elec­tró­ni­co de Ham­mond. Fas­ci­na­do pela ciên­cia, Ham­mond paten­te­ou a sua pri­mei­ra inven­ção, uma trans­mis­são de auto­mó­veis, enquan­to era mui­to jovem. Em 1909, ele ven­deu sua ideia para um baró­me­tro bara­to e sen­sí­vel, e em 1920, ele ven­deu o seu design para um reló­gio “sem engre­na­gens”. Em 1933, ele abriu um pia­no anti­go reti­ran­do todo o seu con­teú­do com excep­ção do tecla­do para usar como con­tro­la­dor. Ele expe­ri­men­tou vári­as manei­ras dife­ren­tes de gerar o som até encon­trar o que pare­cia melhor — o gera­dor do “tonewhe­el”, com o qual ele fun­dou a Ham­mond Organ Com­pany. Duran­te a Segun­da Guer­ra Mun­di­al, Lau­rens aju­dou a pro­jec­tar con­tro­los de mís­seis gui­a­dos com paten­tes para ori­en­ta­ção de bom­bas.

Nas sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que um empre­ga­do da FedEx do Ten­nes­see con­se­guiu des­co­brir, um novo núme­ro pri­mo da clas­se de núme­ros pri­mos de Mer­sen­ne — o 50º. Os pri­mos de Mer­sen­ne são um gru­po de núme­ros pri­mos nome­a­dos em hon­ra do mon­ge fran­cês Marin Mer­sen­ne, que estu­dou os núme­ros há mais de três sécu­los. O núme­ro tem mais de 23 milhões de dígi­tos — 1 milhão de dígi­tos a mais do que o 49º pré­mio Mer­sen­ne conhe­ci­do, des­co­ber­to em Janei­ro de 2016. Este núme­ro foi des­co­ber­to atra­vés dos esfor­ços con­ju­ga­dos do pro­jec­to GIMPS — Gre­at Inter­net Mer­sen­ne Pri­me Sear­ch. O núme­ro, desig­na­do de M77232917, é cal­cu­la­do ele­van­do o núme­ro 2 à potên­cia 77.232.917 e depois sub­train­do 1.

Tam­bém esta sema­na, a Wifi-Ali­an­ce fez o anun­cio de um novo stan­dard de segu­ran­ça de redes Wifi — WPA3. Este vem res­pon­der às neces­si­da­des de subs­ti­tuir o actu­al WPA2 que tem alguns pro­ble­mas no seu design nome­a­da­men­te o que ficou conhe­ci­do como KRACK e que está rela­ci­o­na­do com o seu meca­nis­mo de “four-way handsha­ke”. Para ultra­pas­sar esta situ­a­ção este novo pro­to­co­lo cor­ri­ge esta falha e res­ta ago­ra espe­rar que a adop­ção seja rápi­da por par­te dos fabri­can­tes de Hard­ware.

Ain­da esta sema­na ficá­mos a saber que a ten­ta­ti­va da Spa­ceX para lan­çar no espa­ço um “pay­lo­ad” secre­to desig­na­do por Zuma terá falha­do o seu objec­ti­vo e a car­ga se deve ter per­di­do. Esta foi a pri­mei­ra vez que a Spa­ceX teve que usar um sis­te­ma de 3 fogue­tões com­bi­na­dos. O lan­ça­men­to apa­ren­te­men­te foi um suces­so mas pos­te­ri­or­men­te a infor­ma­ção que apa­re­ceu no meus de comu­ni­ca­ção indi­cou que uma falha qual­quer terá pro­vo­ca­do a per­da. Como se tra­ta de uma mis­são da qual pou­co se sabe a infor­ma­ção é mui­to escas­sa.

A Boeing apre­sen­tou um pro­tó­ti­po fun­ci­o­nal de um dro­ne de trans­por­te de car­ga. Em menos de três meses, os enge­nhei­ros da Boeing pro­jec­ta­ram e cons­truí­ram o pro­tó­ti­po do CAV, que fica a qua­tro metros do chão, mede 15 por 18 pés e pesa mais de 700 libras. É equi­pa­do com oito lâmi­nas de héli­ce com con­tra-rota­ção e bate­ri­as Boeing per­so­na­li­za­das que per­mi­tem o voo ver­ti­cal.

Está tam­bém a decor­rer esta sema­na a CES2018 em Las Vegas e têm sido fei­tos anún­ci­os de diver­sos pro­du­tos que que irão bre­ve­men­te apa­re­cer no mer­ca­do.
Des­tes des­ta­cam-se as apre­sen­ta­ções dos novos pro­ces­sa­do­res da Intel com um pro­ces­sa­dor grá­fi­co Rade­on. A AMD apre­sen­tou tam­bém os seus novos pro­ces­sa­do­res Ryzen e Rade­on. A Toyo­ta lan­çou um ecos­sis­te­ma de mobi­li­da­de de veí­cu­los. A Intel apre­sen­tou avan­ços na tec­no­lo­gia de “quan­tum com­pu­ting” cri­an­do um chip tes­te de 49-qubit. A HyperX apre­sen­tou o pri­mei­ro módu­lo de memó­ria sin­cro­ni­za­do por infra­ver­me­lhos. A Qual­comm apre­sen­tou um sis­te­ma de blu­e­to­oth audio de mui­to bai­xo con­su­mo que pode­rá revo­lu­ci­o­nar ain­da mais esta área. E por fim a Razer apre­sen­ta o pro­jec­to Lin­da que se tra­ta de um Híbri­do entre um por­tá­til e um smartpho­ne. Atrás das cenas e jun­to ao even­to foi pos­sí­vel pre­sen­ci­ar um show de “strip” com robôs.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker. É apre­sen­ta­da a revis­ta newe­lec­tro­nics de 9 de Janei­ro e dois livros, intro­du­ção ao Linux e “Linux from Scrat­ch” Ver­são 8.1.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.