Newsletter Nº137

Newsletter Nº137
News­let­ter Nº137

Faz hoje anos que nas­cia, em 1911, Hans von Ohain. Este enge­nhei­ro aero­náu­ti­co ale­mão ficou conhe­ci­do por ter pro­jec­ta­do o pri­mei­ro motor a jato ope­ra­ci­o­nal. Com ape­nas 22 anos, con­ce­beu a sua teo­ria da pro­pul­são a jac­to, por­que para voar mais rápi­do, os aviões podi­am voar mais alto para a menor resis­tên­cia do ar, mas lá, as héli­ces e os moto­res de pis­tão fun­ci­o­na­vam mal. Ele viu os tur­bo-reac­to­res como uma solu­ção e fez a sua pri­mei­ra paten­te no motor a jato de tur­bi­na a gás em 1935, qua­tro anos depois de Frank Whit­tle. Em Setem­bro de 1937, Ohain tinha um mode­lo de ban­ca­da com hidro­gé­nio pro­du­zin­do um impul­so de 250 km. Ele pro­jec­tou o tur­bo-jac­to HeS3b que ali­men­tou a pri­mei­ra aero­na­ve expe­ri­men­tal, o He178, no seu voo inau­gu­ral his­tó­ri­co, a uma velo­ci­da­de máxi­ma de cer­ca de 560 km/h, a 27 de Agos­to de 1939, per­to de Ros­tock, na Ale­ma­nha. O pri­mei­ro jac­to de Whit­tle voou mais tar­de, em 1941. O seu tra­ba­lho con­ti­nu­a­do no motor de tur­bi­na a gás duran­te a Segun­da Guer­ra Mun­di­al resul­tou no aban­do­no do con­cei­to de flu­xo cen­trí­fu­go e na adop­ção do motor do tipo com­pres­sor de flu­xo axi­al.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1922, Niko­lay Basov. Este físi­co sovié­ti­co, mais conhe­ci­do pelo desen­vol­vi­men­to do maser, o pre­cur­sor do laser. Em 1955, enquan­to tra­ba­lha­va como alu­no de pes­qui­sa com Alek­san­dr Prokho­rov na Aca­de­mia Sovié­ti­ca de Ciên­ci­as, ele cri­ou um ampli­fi­ca­dor de micro­on­das base­a­do em molé­cu­las de amó­nia. Os dois cien­tis­tas par­ti­lha­ram o Pré­mio Nobel em 1964 (com o ame­ri­ca­no Char­les Tow­nes, que desen­vol­veu de for­ma inde­pen­den­te um maser), para pes­qui­sas bási­cas em elec­tró­ni­ca quân­ti­ca que leva­ram ao desen­vol­vi­men­to tan­to do maser como do laser. Estes dis­po­si­ti­vos pro­du­zem fei­xes mono­cro­má­ti­cos, para­le­los e coe­ren­tes de micro­on­das e luz, res­pec­ti­va­men­te. Basov pas­sou a desen­vol­ver o prin­cí­pio do laser e intro­du­ziu a ideia de usar semi­con­du­to­res para atin­gir a acção do laser.

Esta sema­na ficá­mos a saber que uma nova téc­ni­ca que com­bi­na o Gali­leo e outras cons­te­la­ções de sat­nav para entre­gar rapi­da­men­te uma pre­ci­são de posi­ci­o­na­men­to menor do que a mão foi com­pro­va­da usan­do sinais de toda a Ter­ra. Desen­vol­vi­da por uma equi­pa de pes­qui­sa espa­nho­la com a ESA, esta téc­ni­ca de Posi­ci­o­na­men­to Rápi­do de Pon­tos Rápi­dos ou Fast-PPP pode­ria, no futu­ro, for­ne­cer um posi­ci­o­na­men­to pre­ci­so de 10–20 cm mais rapi­da­men­te do que nun­ca para uma gran­de vari­e­da­de de uti­li­za­do­res, de topó­gra­fos a car­ros sem moto­ris­ta.

Ficá­mos tam­bém a saber que a NASA coma aju­da da inte­li­gên­cia arti­fi­ci­al des­co­briu oito pla­ne­tas a cir­cun­dar uma estre­la dis­tan­te. O nos­so sis­te­ma solar ago­ra está empa­ta­do para a mai­o­ria dos pla­ne­tas em tor­no de uma úni­ca estre­la, com a recen­te des­co­ber­ta de um oita­vo pla­ne­ta que gira em tor­no de Kepler-90, uma estre­la pare­ci­da com o Sol, a 2,545 anos-luz da Ter­ra. O pla­ne­ta foi des­co­ber­to em dados do Kepler Spa­ce Teles­co­pe da NASA. O recém-des­co­ber­to Kepler-90i — um pla­ne­ta quen­te e rocho­so que orbi­ta sua estre­la uma vez a cada 14,4 dias — foi encon­tra­do usan­do o sis­te­ma de “Machi­ne Lear­ning” da Goo­gle. Este sis­te­ma baseia-se numa abor­da­gem da inte­li­gên­cia arti­fi­ci­al em que os com­pu­ta­do­res “apren­dem”. Nes­te caso, os com­pu­ta­do­res apren­de­ram a iden­ti­fi­car pla­ne­tas ao encon­trar em casos de dados Kepler onde o teles­có­pio regis­tou sinais de pla­ne­tas além do nos­so sis­te­ma solar, conhe­ci­dos como exo-pla­ne­tas.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker. São apre­sen­ta­dos igual­men­te 22 tuto­ri­ais da tuto­ri­al­point sob a for­ma de Ebo­ok sobre diver­sos temas, como C++, Java, Python, SQL, PHP, CSS, HTML, SAS, Boots­trap, Unix, Android, etc.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.