Newsletter Nº135

Newsletter Nº135
News­let­ter Nº135

Faz hoje anos que nas­cia, em 1711, Ebe­ne­zer Kin­ners­ley. Este inven­tor ame­ri­ca­no de ori­gem ingle­sa ficou conhe­ci­do pelas suas inves­ti­ga­ções da elec­tri­ci­da­de. Em 1748, Kin­ners­ley demons­trou que o flu­xo eléc­tri­co real­men­te atra­ves­sou a água, usan­do na expe­ri­ên­cia uma calha de água com cer­ca de 3 m de com­pri­men­to. Em 1751, como um dos pri­mei­ros divul­ga­do­res da ciên­cia, ele come­çou a dar pales­tras sobre “O incên­dio eléc­tri­co recém-des­co­ber­to”. As suas expe­ri­ên­ci­as mos­tra­ram a dife­ren­ça entre a elec­tri­ci­da­de pro­du­zi­da pelos glo­bos de vidro e de enxo­fre, que ele comu­ni­cou a Ben­ja­min Fran­klin na Fila­dél­fia, uma vez que mos­tra­ram sem duvi­da que a teo­ria posi­ti­va e nega­ti­va esta­va cor­re­ta. Ele tam­bém pro­cu­rou manei­ras de pro­te­ger os edi­fí­ci­os dos rai­os, inven­tou um ter­mó­me­tro eléc­tri­co e demons­trou que a elec­tri­ci­da­de pode pro­du­zir calor.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1756, Ernst Chlad­ni. Este físi­co ale­mão é conhe­ci­do como o “pai da acús­ti­ca” pelas suas inves­ti­ga­ções mate­má­ti­cas de ondas sono­ras. As figu­ras de Chlad­ni, vis­tas quan­do pla­cas finas cober­tas de areia em vibra­ção, são padrões com­ple­xos de vibra­ção com linhas nodais que per­ma­ne­cem esta­ci­o­ná­ri­as e reter areia. Ele demons­trou isso para uma audi­ên­cia de cien­tis­tas em Paris em 1809. Ele mediu a velo­ci­da­de do som em vári­os gases, deter­mi­nan­do o tom da nota de um tubo de órgão pre­en­chi­do com dife­ren­tes gases. Para deter­mi­nar a velo­ci­da­de do som em sóli­dos, Chlad­ni usou a aná­li­se do padrão nodal em vibra­ções de ondas esta­ci­o­ná­ri­as em has­tes lon­gas. Ele cri­ou um ins­tru­men­to musi­cal cha­ma­do euphon, fei­to de vidro e bar­ras de aço que vibram esfre­gan­do com um dedo hume­de­ci­do.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1819, Cyrus West Field. Este Empre­sá­rio nor­te-ame­ri­ca­no pro­mo­veu o pri­mei­ro cabo tele­fó­ni­co tran­sa­tlân­ti­co. Em 1856, aju­dou a esta­be­le­cer Atlan­tic Tele­graph Com­pany. O pri­mei­ro cabo foi con­cluí­do a 5 de Agos­to de 1858, mas falhou pou­co depois. Field per­sis­tiu, e em 27 de Julho de 1866, um cabo melho­ra­do foi colo­ca­do.

Faz tam­bém anos hoje que nas­cia, em 1858, Jaga­dish Chan­dra Bose. Físi­co indi­a­no e fisi­o­lo­gis­ta de plan­tas que inves­ti­gou as pro­pri­e­da­des de ondas de rádio mui­to peque­nas, tele­gra­fia sem fio e fadi­ga indu­zi­da por radi­a­ção em mate­ri­ais inor­gâ­ni­cos. O seu tra­ba­lho fisi­o­ló­gi­co envol­veu medi­das com­pa­ra­ti­vas das res­pos­tas das plan­tas expos­tas ao stress. A sua inven­ção de ins­tru­men­tos alta­men­te sen­sí­veis para a detec­ção de res­pos­tas minu­ci­o­sas por orga­nis­mos vivos a estí­mu­los exter­nos per­mi­tiu ante­ci­par o para­le­lis­mo entre os teci­dos ani­mais e vege­tais obser­va­dos por bio­fí­si­cos pos­te­ri­or­men­te.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1869, Gus­taf Dalén. Este enge­nhei­ro sue­co que ganhou o Pré­mio Nobel de Físi­ca em 1912 por sua inven­ção da vál­vu­la solar auto­má­ti­ca, ou Sol­ven­til, que regu­la uma fon­te de luz de gás pela ação da luz solar, des­li­gan­do-a ao ama­nhe­cer e no cre­pús­cu­lo ou nou­tros perío­dos de escu­ri­dão. Ela rapi­da­men­te entrou em uso mun­di­al para bói­as e faróis não tri­pu­la­dos. Ao recu­pe­rar-se de um aci­den­te, con­va­les­cen­do em casa, ele notou o tem­po que a sua espo­sa pas­sa­va a tomar con­ta do fogão a lenha. Ele deci­diu inven­tar um fogão mais efi­ci­en­te e eco­nó­mi­co. Em 1922, o Amal­ga­ma­ted Gas Accu­mu­la­tor Co. de Dalen paten­te­ou seu design e colo­cou os pri­mei­ros fogões AGA em pro­du­ção. Esses fogões pro­du­zi­ram um calor radi­an­te que man­te­ve a cozi­nha quen­te. O AGA con­ti­nua popu­lar ain­da hoje.

Por fim faz anos hoje que nas­cia, em 1915, Henry Tau­be. Este Quí­mi­co ame­ri­ca­no nas­ci­do no Cana­dá que, em 1983, ganhou o Pré­mio Nobel de Quí­mi­ca pela sua exten­sa pes­qui­sa sobre as pro­pri­e­da­des e reac­ções de subs­tân­ci­as inor­gâ­ni­cas dis­sol­vi­das, par­ti­cu­lar­men­te pro­ces­sos de redu­ção de oxi­da­ção envol­ven­do iões de ele­men­tos metá­li­cos. Os metais geral­men­te for­mam com­ple­xos, nos quais outros áto­mos se agru­pam em tor­no do áto­mo de metal, trans­fe­rin­do e par­ti­lhan­do elec­trões entre si para se uni­rem. Tau­be des­co­briu que duran­te uma reac­ção, uma “pon­te” tem­po­rá­ria de áto­mos geral­men­te se for­ma entre áto­mos de metal. Ele estu­dou a trans­fe­rên­cia de elec­trões atra­vés des­ta pon­te, ace­le­ran­do as reac­ções que de outra for­ma acon­te­ce­ri­am len­ta­men­te ou não. As suas idei­as são rele­van­tes além de seu pró­prio cam­po de estu­do, por exem­plo, em pro­ces­sos bioquí­mi­cos como a res­pi­ra­ção.

Esta sema­na ficá­mos a saber que, na chi­na, uma equi­pa de cirur­giões pro­ce­deu ao implan­te de um joe­lho do tân­ta­lo num paci­en­te. Zhang Jin­gui recu­pe­rou a mobi­li­da­de um dia depois de ter fei­to a cirur­gia rea­li­za­da por médi­cos do First Hos­pi­tal Affi­li­a­ted da AMU, um hos­pi­tal no muni­cí­pio de Chongqing, no sudo­es­te da Chi­na. A arti­cu­la­ção do joe­lho de 84 anos foi ampla­men­te revis­ta pelo implan­te per­so­na­li­za­do.

Tam­bém esta sema­na ficá­mos a saber que a NASA já está a cons­truir o Mars Rover para sua pró­xi­ma mis­são a Mar­te. De relan­ce, é mui­to pare­ci­do com o seu ante­ces­sor, o Curi­o­sity Mars rover. Mas não há dúvi­da de que é uma máqui­na cheia de ciên­cia: pos­sui sete novos ins­tru­men­tos, rodas rede­se­nha­das e mais auto­no­mia. Uma bro­ca irá cap­tu­rar núcle­os de rocha, enquan­to um sis­te­ma de cache com um bra­ço robó­ti­co em mini­a­tu­ra irá selar essas amos­tras. Sen­do então depo­si­ta­dos na super­fí­cie mar­ci­a­na para pos­sí­vel reco­lha numa mis­são futu­ra.

Ain­da esta sema­na, uma equi­pa lide­ra­da pela NASA encon­trou evi­dên­ci­as de que o exo­pla­ne­ta de gran­de dimen­sões desig­na­do por WASP-18b está envol­vi­do numa estra­tos­fe­ra sufo­can­te car­re­ga­da com monó­xi­do de car­bo­no e des­pro­vi­da de água. Os resul­ta­dos pro­vêm de uma nova aná­li­se das obser­va­ções fei­tas pelos teles­có­pi­os espa­ci­ais Hub­ble e Spit­zer. O pla­ne­ta WASP-18b tem 10 vezes a mas­sa de Júpi­ter e está a uma dis­tân­cia de cer­ca de 325 anos-luz da Ter­ra e tem um perío­do orbi­tal de 23 horas.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos pro­je­tos de maker assim como um mode­lo 3D que pode­rá ser útil. São apre­sen­ta­das as revis­tas newe­lec­tro­nics de 28 Novem­bro 2017, a Mag­PI nº 64 de Dezem­bro de 2017 e a revis­ta “The Offi­ci­al Rasp­ber­ry PI Pro­jects Book Volu­me 3”.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.